Deputados querem concurso público para titular


A defesa do direito de opção está sendo feita com base na expectativa de que o Tribunal não arque com as despesas de pessoal, que passariam para os cartórios privatizados, um desfecho que os deputados consideram irreal, pois o titular poderia ficar com o cartório, mas os servidores não abririam mão de sua efetividade. Rangel, por outro lado, insiste: "Quem quiser disputar um cartório, que se exonere antes".


O deputado Álvaro Gomes perguntou por que não se deixava a votação para depois do recesso, irritando o presidente, que vê na demora um fator de desgaste para a Assembleia, que seria, em última análise, culpada pelo mau atendimento nos cartórios. "Por quê? Por quê? - retrucou Nilo, impaciente. Por sugestão do deputado João Bonfim (PDT), a conversa terminou no gabinete do presidente.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br