Adiamento tem em Nilo forte opositor


O presidente Marcelo Nilo, no entanto, por entender que há um posicionamento favorável da Casa, está determinado a votar o projeto na data prevista, e para isso tem um trunfo: a prerrogativa de não levar a votação a Lei de Diretrizes Orçamentárias, sem cuja aprovação não haverá o recesso de meio de ano, que já começará com atraso. "Não tem força humana que me faça botar a LDO", avisou.


Uma decisão que parece consensual entre os deputados é a criação de um fundo de compensação, no valor de 30% da arrecadação global dos cartórios, para que seja viabilizado o funcionamento do grande número de estabelecimentos deficitários, cerca de 85% do total. Esses recursos seriam redistribuídos conforme uma fórmula a ser definida e durante o tempo necessário à organização do sistema.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br