TJ não quereria privatização nenhuma


Dessa forma, como tem sobre si "uma espada apontada pelo Conselho Nacional de Justiça, que exige a privatização, quer transferir a responsabilidade pela não-privatização à Assembleia, já que o CNJ tem poder sobre o Tribunal, mas não tem sobre o Legislativo".


Dentro dessa lógica, é possível imaginar que o TJ tentará, nesses próximos dias, alguma manobra para chegar mais perto de seu objetivo, em cujo êxito o parlamenatar não aposta: "Fica bom para o Tribunal, ruim para a Assembleia e muito ruim mesmo para o povo".

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br