Sentimentalismo facilita digestão de sapo


De sua parte, a participação de Temer, a quem considerou "amigo e companheiro de jornada política", além de "liderança nacional inconteste", vincula-o de forma incontornável à chapa presidencial. O candidato explicou também que a propaganda de Dilma não saiu de sua campanha, como se aventou na conversa: "Apenas, em algumas peças, resolvemos privilegiar o 15 nesta fase final".


Geddel disse que o envolvimento de Lula e Dilma na campanha baiana rompe um acordo, mas preferiu minimizar o significado. "O presidente Lula é uma pessoa sentimental e falou mais forte a opção partidária. Eu o compreendo porque também sou um sentimental". Houve risos, é claro.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br