Engabelação gráfica vem da campanha de Collor

marketing", como depois seria definido seu governo pelo sucessor Itamar Franco.


Uma das peças mostrava um possante trem, naturalmente que significando o candidato, deslizando veloz e atropelando em seu caminho a violência, a inflação, o desemprego, a corrupção. Foi tal o efeito da propaganda que posteriormente, numa alteração da legislação eleitoral, tais recursos foram proibidos.


Portanto, é com surpresa que se assiste na Bahia, ainda que não estejamos tecnicamente em campanha eleitoral, ao emprego abusivo de imagens virtuais com o fim único de engabelar a população - porque outra finalidade não há para a traquinada burlesca que ameaça perpetuar-se.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br