Mau conselho contra um conselheiro


O fato é esse acontecimento inédito em que um governador sai de seus cuidados para criticar o voto de um conselheiro-relator às contas de sua gestão, levantando-lhe suspeição. Trata-se de servidor público com cargo vitalício justamente para ter a autonomia necessária à profissão do seu voto do jeito que quiser, cabendo a seus pares segui-lo ou não.


Nesse aspecto, vale ressaltar que o Tribunal de Contas do Estado, por todos os demais conselheiros que votaram, rejeitou o voto do relator, fazendo, portanto, possivelmente, a crítica que o governador tardiamente apresenta. Resta saber quem está lhe dando esse tipo de conselho sobre assunto morto e sepultado.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br