CPI investigará grupos de extermínio


Yulo, que no passado foi um dos mais ferrenhos denunciantes dos grupos de extermínio em Salvador e Região Metropolitana, afirmou que "a situação ainda é brutal" e que o Fórum de Combate à Violência da UFBA registrou em 2009 a média de seis assassinatos por dia.


O deputado entende que o quadro se agrava porque "o abuso de poder da polícia é muito grande, ocupando o lugar da inteligência, da investigação". Ele defende o "combate à contaminação do organismo policial na repressão ao crime".

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br