Salvador, 21 de junho de 2018

Prefeito eleito é simbólico e real

Data: 28/10/2012
20:15:56

O arremate de ouro para quem buscasse uma derrota ocorreu, desgraçadamente, no ano eleitoral, representado pela dissociação do governo de bases importantes, que o ajudaram historicamente a chegar aonde está, além do despreparo com que o Estado foi surpreendido por uma seca de décadas de ineditismo.

Ante o quadro de desgaste, o governo bancou um candidato tido como “pesado” e que já havia sido derrotado três vezes para o mesmo cargo, desprezando alternativas que poderiam ser mais palatáveis mesmo a um eleitorado insatisfeito.

Do outro lado, veio um nome ao mesmo tempo simbólico e real. De fato, ACM Neto só pode ser neto de ACM, mas sua carreira de deputado campeão de votos já sem o avô e a ascensão por mérito no cenário nacional antecipavam que seria preciso mais que a surra em Lula para derrubá-lo.

Quanto ao “trunfo” do PT que seria a denúncia da relação genética, tudo indica que saiu pela culatra. A impressão é que prevaleceu no imaginário popular um passado melhor que Salvador e a Bahia teriam tido nos governos carlistas, supostamente impregnados de dinamismo e realizações de que a capital está hoje carente.



Rejeitada a tese da subordinação

Data: 28/10/2012
20:13:44

As circunstâncias negativas talvez pudessem ser neutralizadas por uma campanha propositiva, com objetivos claros e exequíveis, levados ao público a palavras comedidas, reconhecendo que não seria possível “realizar tudo”, mas transmitindo a esperança de progresso pelo trabalho de alguém que já provou compromisso com a sociedade.

Entretanto, o governo optou por um discurso megalomaníaco, de que Salvador teria, enfim, a mesma sorte do Brasil e da Bahia com a implementação do vago “projeto” petista, acrescido de uma mensagem de opressão ao eleitorado, fazendo-o saber que nada daquilo ocorreria se o eleito fosse “o outro”.

Com esse conceito, a publicidade de Pelegrino abriu um flanco que o adversário soube explorar muito bem, invocando o brio dos soteropolitanos, que, como está provado, não aceitaram o constrangimento, aliás, progressivamente agravado à medida que Dilma, Lula e até Lídice apareciam para renová-lo.



BLAGUE NO BLOG - Esperando o trem

Data: 28/10/2012
20:12:18

Enfim eleito, Pelegrino, ao povo,
Acenará, da Prefeitura, na janela.
Mas isso só será, juro de novo,
Quando o metrô rodar na Paralela.



Ibope e Babesp em novo embate

Data: 27/10/2012
11:04:49

Anuncia-se para hoje, no telejornal BA-TV, a divulgação da última pesquisa Ibope sobre a eleição em Salvador, entre ACM Neto (DEM) e Nelson Pelegrino (PT).

Fonte ligada ao DEM, e por tabela à TV Bahia, disse que os números serão “basicamente a mesma coisa da semana passada”, ou seja, Neto oito pontos à frente.

Por Escrito tentou, sem êxito, um contato com o deputado Marcelo Nilo, na busca do prognóstico do instituto Babesp, que derrotou o Ibope no primeiro turno.



Corrida pelo voto dos "pobres"

Data: 27/10/2012
11:03:36

O famoso “mapa da riqueza e da pobreza” do primeiro turno determinou, ao invés de estratégias opostas dos comitês de ACM Neto e Nelson Pelegrino, a busca intensiva de votos nos mesmos lugares – o subúrbio ferroviário, o miolo e a periferia.

Os netistas, como disse a este blog um alto membro da campanha, porque consideravam “consciente”, e portanto “mais difícil de mudar”, o voto das zonas à beira-mar, da península itapagipana a Stella Maris.

Pelegrino também pensou assim, e cuidou de reforçar o trabalho nas regiões onde venceu, contando, para isso, com a ida de Lula a Paripe e de Dilma a Cajazeiras. Para compensar a ação do adversário, que intimamente disse: “Vou morar no subúrbio”.



O bom é que Salvador terá prefeito

Data: 27/10/2012
10:57:09

As opiniões se dividem, como dividida foi a eleição. Uns acham que a presença de Lula e Dilma em Salvador “buliu com a militância petista”, que seria “uma fera adormecida”. Outros pensam que a ostensiva pressão “mexeu com o orgulho da cidade”, que reagiria em nome da “independência”.

O importante nisso tudo é que Salvador, quem quer que seja eleito amanhã, terá um prefeito com consistência política, de quem a população terá condições de cobrar com mais autoridade, porque são pessoas maduras, com equilíbrio emocional. Uma delas terá nas mãos responsabilidade que não poderá desprezar.



BLAGUE NO BLOG - Pra todo gênero

Data: 27/10/2012
10:56:04

Nota publicada nesta seção no dia 15, sob o título “Gentileza dispensada”, foi comentada em rede social pela leitora Carla Fernandes, que ficou surpresa com uma manifestação humorística do falecido presidente Tancredo Neves e quis saber se ele era “assim mesmo”.

Pois bem, Tancredo era bem humorado “por demais”, como se diz na novela Gabriela. Por exemplo, em campanha para arregimentar apoio social à sua candidatura indireta à presidência da República em 1984, teve uma reunião em São Paulo com mulheres de projeção de todo o Brasil, organizada pela feminista Ruth Escobar.

Lá pras tantas, querendo definir a dificuldade de sua caminhada diante do regime militar, exclamou: “Isso é tarefa pra macho!” – gerando, naturalmente, forte reação do auditório e protesto formal da organizadora. Tancredo explicou: “Minhas amigas, macho, hoje é dia, é uma palavra unissex”.



No reino das leis elásticas

Data: 27/10/2012
10:53:57

A “decisão” de um juiz que suspende a “decisão” de outro em relação à propaganda do governo do Estado em Salvador é apenas parte do velho jogo de cena que torna inútil, no fim das contas, a Justiça no Brasil.

O candidato fala da obra do governo, que faz propaganda da obra, ambos alimentando um processo recíproco de massificação que é um escândalo ante o elementar princípio da equidade na disputa eleitoral.

Nada, enfim, a estranhar. Este é o país onde bandidos, policiais, adolescentes, idosos, maridos, mulheres, filhos e pais matam impunemente, suscitando com isso apenas a reafirmação de que “é preciso mudar o Código Penal, que tem mais de 70 anos”.

Não será a transgressão da ética numa reles disputa eleitoral, ainda mais quando os anúncios nutrem com muito dinheiro público os meios de comunicação, que irá propiciar a mínima discussão em torno do tema.



Limites definirão recursos para 2014

Data: 26/10/2012
19:54:36

Os municípios de três territórios de identidade – Sertão Produtivo, Litoral Sul e Velho Chico – têm seus processos de redefinição de limites emperrados porque os projetos de lei correspondentes estão parados na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa.

Segundo o deputado João Bonfim (PDT), isso ocorre porque os parlamentares indicados para relator, em vez de se aterem à questão constitucional, de competência da CCJ, querem discutir o mérito da matéria, que cabe à Comissão de Assuntos Teritoriais e Emancipação, da qual é presidente.

Se esses processos não estiverem prontos até 31 de dezembro, será impossível fechar a estimativa populacional em maio de 2013, que é o limite para fixação da base de cálculo de repasse de recursos para os municípios no exercício de 2014.



Trabalho pioneiro destaca a Bahia

Data: 26/10/2012
19:52:50

A Lei 12.057/12, disse Bonfim, “é importante porque, além de resolver conflitos antigos, propicia às prefeituras transferência mais justa do Fundo de Participação dos Municípios, com base na população correta”, a partir do “trabalho criterioso do IBGE e da SEI”.

O deputado afirma que tem contado com a boa vontade do presidente da CCJ, deputado Paulo Rangel (PT), e reconhece que o período eleitoral dificultou muito a realização de sessões da comissão, mas espera que, passado o pleito, haja “mais celeridade”.

O trabalho de revisão de limites municipais está sendo feito com pioneirismo na Bahia, tendo a Comissão de Assuntos Territoriais sido procurada por Assembleias de outros Estados, como Mato Grosso, Maranhão e Ceará, para conhecer detalhes dos métodos e técnicas utilizados.



Deputado nega pressão sobre servidores

Data: 26/10/2012
19:51:41

Revelando “profunda indignação”, o deputado Sidelvan Nóbrega (PRB) contestou, em nota, matéria publicada no portal Metro 1 sob o título “Deputado ameaça demitir funcionários que não apoiarem Pelegrino”.

Sidelvan considerou “mau caráter” o autor do texto, que não o assinou, e disse que “não existe voto de cabresto” em seu gabinete, reiterando que “cada um é livre para votar em quem quiser”.

O deputado atribuiu a falsa notícia ao acirramento das eleições em Salvador, sendo “natural que surjam factóides com o intuito de manchar a imagem pública de alguém que nunca teve do que se envergonhar”.



Patrimônio ameaçado

Data: 26/10/2012
19:50:22

Detentora de 15 mil votos em Guanambi nas eleições para a Assembleia Legislativa em 2010, a deputada Ivana Bastos (PSD) viu minguar seu patrimônio eleitoral ao concorrer como vice na chapa do candidato Paulo Costa (PCdoB), que teve cerca de 10 mil votos, perdendo feio para Charles Fernandes (PP).

Na região, Ivana só conseguiu fazer a prefeita de Sebastião Laranjeiras, Luciana Leão Muniz (PR), que foi reeleita. Na disputa em sete outros municípios dirigidos por aliados, seus candidatos perderam a reeleição ou não elegeram o sucessor: Igaporã, Palmas de Monte Alto, Iuiú, Pindaí, Candiba, Urandi e Itambé.



"Risco" em Conquista

Data: 26/10/2012
19:49:13

Profundo conhecedor da política de Vitória da Conquista acha que a reeleição do prefeito Guilherme Menezes “está em risco” com o crescimento de Herzem Gusmão (PMDB).

Essa impressão foi reforçada em conversa com fonte próxima ao governador Jaques Wagner, para a qual “dá para ganhar”. A expressão, segundo ele, não foi muito convicta.



Magistrado a toda prova

Data: 26/10/2012
19:48:18

Aproveitando a presença do deputado Aderbal Caldas (PP) na presidência dos trabalhos na Assembleia Legislativa, o deputado Targino Machado (PSC) fez uma provocação ao prever a vitória do ACM Neto (DEM) em Salvador:

“Vossa excelência também está na torcida para que acabe na Bahia essa hegemonia do PT”. Aderbal, que foi grande amigo do senador Antonio Carlos Magalhães, compenetrou-se da posição de presidente da sessão e nada respondeu.



Com urna não se discute

Data: 26/10/2012
19:47:30

Em pelo menos um momento do debate de quarta-feira, na TV Aratu, o candidato Nelson Pelegrino (PT) deixou sem resposta o adversário ACM Neto: ao comentar a proposta de, em outra oportunidade, fazer um comparativo entre os governos Paulo Souto e Jaques Wagner.

Pelegrino só precisou lembrar que Souto foi derrotado por Wagner duas vezes, ambas no primeiro turno e com votações crescentes. Na segunda, disse, foram 64% dos votos a 16%, ou seja, o quádruplo.



Ainda a herança maldita

Data: 26/10/2012
19:46:27

Já Pelegrino, quis tapar com peneira o problema da violência: sem considerar que seu grupo está há seis anos no poder, atribuiu a criminalidade em alta à “herança” dos governos carlistas.



Sem postagem

Data: 25/10/2012
13:08:41

Emergência técnica no servidor deste blog impediu as posturas regulares de ontem.



Wagner só deixaria governo junto com Otto

Data: 25/10/2012
13:07:29

O sentimento, no governo, da força do vice-governador Otto Alencar, que “ganharia a eleição de 2014 com o dobro dos votos de qualquer adversário”, é tão real que uma situação já estaria definida: o governador Jaques Wagner só deixaria o cargo para enfrentar as urnas caso Otto também renunciasse.

Não se trata de mera especulação, mas de perspectivas compartilhadas em conversa reservada que reuniu, em mesa do restaurante da Assembleia Legislativa, deputados do governo e da oposição.


Por consenso, os parlamentares presentes entenderam que Wagner não deixaria o governo com Otto, pois, a depender das circunstâncias, o vice, já como titular, poderia aceitar uma “convocação” de parte expressiva da atual base do governador e da própria oposição para buscar a reeleição.

A principal circunstância seria a decisão de Wagner de enfrentar a sucessão com um candidato de seu partido, que seria Rui Costa ou José Sérgio Gabrielli, carentes, no meio político, de trânsito e potencial para sensibilizar a maioria dos atuais aliados do governo.



Nilo não ficaria menos que nove meses

Data: 25/10/2012
13:05:44

No caso de uma renúncia dupla, o seguinte na linha sucessória seria o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, a quem a Constituição reserva uma curta interinidade de 30 dias, enquanto se aguarda a Casa eleja indiretamente o governador que exercerá o chamado mandato-tampão.

Nesse aspecto, é razoável pensar que Nilo somente assumiria se fosse para ele próprio candidatar-se a governador-tampão, conduzindo o Estado, no total, por nove meses, já que bastaria o mês de interinidade para torná-lo inelegível no pleito de 2014 – a não ser, é claro, para governador.

Por isso, um parlamentar oposicionista, baseado na convicção de que Nilo não desejaria ficar sem mandato por quatro anos, arriscou dizer que ele tentaria viabilizar-se para ser o ocupante do Palácio de Ondina a partir de 2015, mesmo à custa da aliança com Wagner. Mas um colega – este governista – discordou: “Marcelo não tem histórico de deslealdade”.



Novo prefeito quer juventude em Coribe

Data: 25/10/2012
13:04:21

Evitar que jovens de Coribe, no Oeste, a 940 quilômetros de Salvador, continuem deixando o município para fazer o segundo grau em Brasília e Goiânia, o que os afasta de suas raízes, é um dos grandes objetivos do prefeito eleito Manoel Rocha (PR), que no último pleito derrotou por 54 votos o principal adversário, Dr. Murilo (PTdoB).

Para isso, voltará o foco já no início da gestão para a área educacional, com a informatização das escolas e a qualificação dos professores. Na sequência, procurará estimular “obras que gerem empregos e o crescimento do comércio, que é uma atividade importante do município”, ao lado da pecuária.

Foi o primeiro teste eleitoral do novo prefeito, que tem 28 anos e segue a tradição política da família: é neto de Olga Azevedo, primeira prefeita de Coribe, em 1958, e filho do deputado José Rocha (PR). Candidatou-se  com o apoio do prefeito Derval Barbosa de Arruda (PP), que está no segundo mandato.



Deputado não teme ação de impugnação

Data: 25/10/2012
13:02:24

A candidatura de Manoel Rocha foi alvo da ação na Justiça Eleitoral, movida pelo coligação de Dr. Murilo, em razão da participação do deputado federal Tiririca (PR-SP) em uma manifestação na cidade, que o adversário considerou um showmício.

Indagado sobre o assunto, o deputado José Rocha contesta: “Quem esteve em Coribe foi o deputado Francisco Everardo, na sua condição de político, assim como também foram o ex-governador César Borges e o líder do partido na Câmara, deputado Lincoln Portela”.

A principal alegação dos adversários, segundo Rocha, é de que Tiririca “contou uma piada” no palanque, mas ele não vê como isso possa constituir uma transgressão à legislação: “Ele nem estava paramentado para seu papel artístico. E qualquer um pode contar uma piada num comício”.



PSD e PT se enfrentam por UPB

Data: 25/10/2012
12:51:49

Um tanto esquecida da mídia, a eleição para o próximo presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), a realizar-se num dia qualquer de janeiro, movimenta intensamente os bastidores políticos, prevendo-se, passado o conflituoso pleito municipal, um novo embate entre o PT e o PSD.

Por enquanto, a única candidatura manifesta é a do prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso (PSB), a qual, apesar do crescimento de seu partido para 30 prefeituras, é tida nos meios políticos como de baixo potencial. Os atores principais serão mesmo os petistas, com seus 92 prefeitos, e os pessedistas, que têm 71.

“A diferença”, diz um observador, é que no PT as prefeituras estão distribuídas entre Josias Gomes, Valmir Assunção e outros deputados. No PSD, são todas de Otto” – o ex-governador Otto Alencar, que teria aliados no próprio PT, como o preferito eleito de Ruy Barbosa, sua terra natal, Bonifácio Marques Dourado.



Santiago é nome forte para voltar ao cargo

Data: 25/10/2012
12:45:01

Nesse contexto, embora ninguém assuma publicamente a pretensão, os nomes começam a aparecer. O atual presidente da UPB, Luiz Caetano (PT), deixará a Prefeitura de Camaçari em 1º de janeiro, o que o impede de candidatar-se à reeleição.

Entretanto, com o projeto de ser governador da Bahia, reforçado pela vitória de Ademar Delgado para sua sucessão, quererá manter o poder na entidade, e para isso tem três opções no PT: as prefeitas reeleitas Carmen Gandarela, Rilza Valentim ed Mária Quitéria, respectivamente em Madre de Deus, São Francisco do Conde e Cardeal da Silva.

Na “oposição”, desponta o prefeito eleito de Santo Estêvão, Orlando Santiago (PSD), havendo quem arrisque classificá-lo como favorito. Além de já ter presidido a UPB, "agrega", segundo uma fonte, “os votos dos ex-presidentes José Ronaldo e Alberto Muniz”.



Corpo mole

Data: 25/10/2012
12:41:59

Uma grande dificuldade enfrentada pelo candidato do PT a prefeito de Salvador, Nelson Pelegrino, é o fato de que “ninguém da base aliada, fora do PT, move um dedo por ele”. A afirmação é de um deputado governista, que explica: “Todo mundo teme o reforço dessa hegemonia”.



Promotor ataca Toffoli em júri

Data: 25/10/2012
12:41:04

Participando de sessão do 2º Tribunal do Júri, o promotor David Gallo criticou duramente o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, pelo seu desempenho no julgamento do mensalão.

Aborreceu o representante do Ministério Público a síntese do voto dado por Toffoli ao analisar a acusação de formação de quadrilha contra diversos réus: “Nesse item, eu absolvo todos os acusados”.

O voto no Supremo exige profundidade teórica e doutrinária, o que, com Toffoli, seria impossível, porque ele “foi reprovado em dois concursos”, só estando na corte por sua condição de “empregado de uma das partes”.

Gallo tachou o ministro de “um moleque, um office-boy do PT”, além de um “pau-mandado”, assim como o ministro Ricardo Lewandowski, com uma ressalva: “Lewandowski, pelo menos, conhece o Direito”.

Para o promotor, Toffoli “deveria se declarar impedido de participar do julgamento porque sua mulher é advogada do escritório que defende José Dirceu”, sendo “aviltante” sua presença no plenário do STF.



Apoio amplo

Data: 25/10/2012
12:39:03

A reunião promovida esta semana no Hotel Fiesta pelos vereadores eleitos Waldir Pires (PT) e Edvaldo Brito (PTB) foi considerado um dos atos mais importantes neste segundo turno em apoio à candidatura de Nelson Pelegrino.

Entre profissionais liberais, artistas, empresários e servidores públicos, compareceram mais de 800 personalidades tidas como formadoras de opinião, como José Carlos Capinan, Luiz Viana Queiroz, Joaci Goes, João Jorge, Bobô e Celso Castro.



Só falta a riqueza

Data: 25/10/2012
12:37:19

“Deus ofereceu riqueza ao rei Salomão, que recusou, pedindo-lhe somente sabedoria. Deus, então, deu-lhe riqueza e sabedoria”, relata o deputado-pastor Carlos Ubaldino (PSD), para quem “parte dessa sabedoria foi dada também ao governador Jaques Wagner”.



Discurso da dependência é via de risco

Data: 23/10/2012
13:22:09

O grande nó da campanha de Nelson Pelegrino é a falta de identidade do candidato, que entregou sua alma nas mãos de Dilma, Lula e – vá lá – Wagner. Essa foi a esperança de subida no primeiro turno e está sendo neste segundo, até com a vinda a Salvador das duas grandes estrelas do PT.

O discurso de dependência dos governos federal e estadual, que insistiu em sustentar ontem, no debate da TV Record, vale por uma punhalada na liberdade, e qualquer um percebe isso, restando decidir entre o conformismo e a rebeldia. É uma via perigosa de argumento porque toca na dignidade do cidadão.

“Só eu tenho dinheiro”, poderia dizer, em síntese, o candidato, embora os recursos, no caso de o adversário se eleger, não vão ser negados ao prefeito, mas à população da capital.



Ambulantes não esquecem ex-prefeito

Data: 23/10/2012
13:20:41

A grande vitória de Pelegrino, entre tantos temas trazidos ao público, deu-se na questão dos ambulantes, porque é indiscutível que o ex-prefeito Antonio Imbassahy, agindo sob os governos carlistas de Paulo Souto e César Borges, capitaneou um processo de “limpeza” dos locais, no centro da cidade e em bairros, tradicionalmente ocupados pelos trabalhadores da categoria.

Foi um tempo difícil para os camelôs, escanteados em espécies de guetos da informalidade, e sob total rigor no cumprimento das posturas municipais para perseguição e apreensão de mercadorias. Tudo que o adversário fizer nesse segmento será apenas uma tentativa de aliviar o prejuízo.



"Empate técnico" em acusações mútuas

Data: 23/10/2012
13:19:32

Se a questão forem as raízes históricas, os dois candidatos empatam em muitos itens, pois ambos os lados têm suas culpas em problemas que jogam um em cima do outro.

Tanto DEM quanto PT, cada um a seu modo e a seu tempo, são responsáveis pela situação do metrô, da segurança pública e do turismo, assim como pelas relações com o prefeito João Henrique.

Se Pelegrino tem campo vasto a avançar nas truculências e outros métodos do carlismo, Neto não poderia, agora, dispensar as mazelas do mensalão.



Tom alto passou "despercebido"

Data: 23/10/2012
13:18:14

Deslizando sobre os temas costumeiros, o debate teve, no entanto, uma grande diferença: a elevação do tom de Nelson Pelegrino (PT), que insinuou ter o falecido senador Antonio Carlos Magalhães enriquecido ilicitamente.

“Seu avô já morreu, mas deixou fortuna para o senhor e sua família”, afirmou, quando ACM Neto (DEM) reclamou de “ataques a quem não está mais aqui para se defender”. Faltou a Neto reação mais indignada.



Respeito às regras é essencial

Data: 23/10/2012
13:17:24

A gafe da noite foi, certamente, a interferência de Pelegrino na fala de Neto ao ouvir a expressão “acabe sua cota de mentiras”. O petista iniciou um bate-boca que consumiu o tempo de um minuto do adversário, depois reposto.

“Meça suas palavras” foi uma das frases que se conseguiu ouvir de Pelegrino, dando a Neto a oportunidade de dizer que ele estava “nervoso” – uma alusão silenciosa à suposta vantagem eleitoral revelada por pesquisas.

Fugir ruidosamente às regras de debate é a pior coisa que um candidato pode fazer. Aqui, insuspeitamente, recordamos o prejuízo sofrido pelo falecido governador Leonel Brizola com comportamento semelhante em vários debates, angariando antipatia do público.



Muito barulho para pouco voto

Data: 23/10/2012
13:16:11

O verdadeiro efeito dos debates nas TVs entre os candidatos a prefeito tem uma óbvia correlação com a audiência de cada emissora no horário em que os realizar.

O de ontem, na TV Record, terminou aos 30 minutos de hoje, supondo-se que não tenha influenciado substancialmente o eleitorado.

Seu público, naquele horário, é seleto – políticos, assessores, jornalistas e notívagos irresponsáveis que não precisem responder ao relógio pela manhã.



Sessão homenageia procuradores

Data: 23/10/2012
13:14:58

Como parte das comemorações do mês do servidor público, a Associação dos Procuradores do Estado da Bahia participará quinta-feira, às 14h30, de sessão especial na Assembleia Legislativa, proposta pelo deputado Álvaro Gomes (PCdoB).

Sob o tema “O procurador do Estado e o serviço público”, a proposta é homenagear uma carreira de servidores essenciais ao fortalecimento do Estado de Direito, responsável constitucionalmente pela consultoria do Estado e sua defesa judicial.

São 226 procuradores para atender às demandas do Estado da Bahia, com atuação em processos administrativos e de finanças, seja para recuperação de crédito ou para evitar perdas em demandas administrativas e judiciais.



Reação salgada do PSL a Alcindo

Data: 23/10/2012
13:12:56

“Sinto pena quando vejo ele no comitê central de Nelson Pelegrino, de cabeça baixa, sem mandato, se humilhando pelos cantos, atrás de uma boquinha. Meu partido não presta, mas foi aqui que ele se elegeu”.

O desabafo veio do presidente regional do PSL, Toninho Olívio, depois que o vereador Alcindo da Anunciação disse preferir a derrota no PT à vitória no antigo partido, tido por ele como “sem sal” – realmente um defeito em agremiação partidária que até agora não tinha sido notado pelos cientistas políticos.

A conversa não se baseia em hipóteses: Alcindo, efetivamente, teria conseguido a reeleição se houvesse permanecido no PSL, pois teve votação suficiente para isso, o que não foi possível na chapa do PT em razão do coeficiente eleitoral.



Policiais com mandato terão encontro

Data: 23/10/2012
13:09:39

O deputado Capitão Tadeu (PSB) está organizando para o dia 23 de novembro, em Salvador, um seminário com a presença de todos os policiais civis e militares detentores de mandato eletivo, “para uma troca de experiências que possam contribuir para o avanço da luta e do trabalho de cada um”.

Ainda na fase de levantamento dos que foram eleitos agora, Tadeu adianta que são pelo menos 30, incluindo o prefeito de Candeias, Sargento Francisco (PMDB), e um vice-prefeito.

O grupo, que já conta com os deputados Sargento Isidório (PSB) e Coronel Gilberto Santana (PTN), terá em 2013 o Soldado Prisco (PSDB) na Câmara Municipal e o Capitão Fábio (PRP), agora major, que volta à Assembleia Legislativa.



Central terá mudança na gestão

Data: 23/10/2012
13:08:06

Implantar “total transparência na administração e melhorar o relacionamento com o funcionalismo, que está desgastado”, são os objetivos primordiais do prefeito eleito de Central, Uilson Monteiro (PT).

Uilton é o atual vice-prefeito e sucederá a seu correligionário Léo Santana, que governa o município há oito anos. Mas, pelo jeito, a próxima gestão não será exatamente de continuidade.



Jonas refuta Ibope e vê empate técnico

Data: 23/10/2012
00:03:11

“A  eleição está rigorosamente equilibrada”, disse hoje a Por Escrito o presidente regional do PT, Jonas Paulo, sobre a disputa entre o candidato de seu partido, Nelson Pelegrino, e ACM Neto (DEM).

Jonas diz basear sua afirmativa em pesquisas de uso interno que vêm sendo feitas, “indicando um empate técnico” a favor de Pelegrino, “dentro da margem de erro de três pontos”.

A última pesquisa Ibope, com Neto oito pontos à frente, não o preocupa, pois acredita na subida rumo à vitória nesta semana final, ajudada pela presença de Lula em carreata na Avenida Suburbana às 11 horas de quarta-feira.



Questão do tamanho não será retirada

Data: 23/10/2012
00:01:53

O presidente não concorda com a crítica à presidente Dilma Rousseff por ter dito, no comício de Cajazeiras, que “aqui não pode ter um governo pequenininho, um governinho” – referência à estatura física do candidato ACM Neto.

Apesar de a declaração, hoje repetida no programa de Pelegrino na TV, estar sendo interpretada como politicamente incorreta, uma espécie de bullying, Jonas elogia “a felicidade” da presidente ao fazê-la.

“Ela propõe para Salvador um governo que tenha o tamanho das responsabilidades que o PT tem com o Brasil. Não vai ser uma força política em decadência, no seu ocaso, que vai garantir uma grande administração numa cidade que está no centro das decisões nacionais”.



Divergência sobre o futuro de Neto

Data: 23/10/2012
00:00:42

Para Jonas Paulo, ACM Neto é, neste pleito, “um franco atirador”, interessado na vitória para garantir a “sobrevida no cenário político”, no que foi contestado pelo repórter, com base no entendimento de que Neto viveu essa condição, de fato, nas eleições de 2008.

Na época, num exercício de interpretação, chegamos a afirmar que sua votação, mesmo tendo sido eliminado no primeiro turno, foi expressiva, porque semelhante à dos competidores, e o credenciava a disputas futuras, especialmente por ter sido sua primeira eleição majoritária e sem o respaldo do avô ACM.

O fato – dissemos – só não poderia se repetir em 2012, em que, para consolidar-se como nova liderança no Estado, nem precisaria vencer, mas teria de passar ao segundo turno a pouca distância do adversário, ainda que fosse o segundo colocado.

O presidente do PT não entende assim. O candidato do DEM dobrou a esquina do primeiro turno à frente do petista, mas Jonas diz que, se não vencer, “a tendência é ele se recompor com outra corrente, pois não terá força própria para galvanizar” nova tentativa de assumir o protagonismo político.




Página Anterior    Próxima Página