Salvador, 20 de outubro de 2018

Não é por aí

Data: 14/02/2017
19:13:02

O vereador José Trindade (PSL) fez durante muitos anos ataques consistentes à gestão do prefeito ACM Neto, como, por exemplo, contra a exclusividade de marcas de cerveja em festas populares, o que configura privatização do espaço público e atentado à livre iniciativa.

Com desempenho marcante, foi reeleito e guindado à liderança da oposição na Câmara Municipal, que exercia de fato e agora exerce de direito. Mas perde tempo ao atribuir o êxito do prefeito, que abocanhou 74% dos votos da cidade, à “propaganda”. Vai ser difícil convencer até os oito vereadores que comanda.



Brasil ganha sem o peso da corrupção, diz Moro

Data: 14/02/2017
19:11:47

O juiz Sérgio Moro corrobora um conceito clássico quando diz que a Operação Lava-Jato será benéfica à economia do Brasil, ao contrário dos detratores das investigações, que veem danos irreversíveis com a retração de negócios e a destruição da imagem de grandes empresas.

Preliminarmente, é certo que o desenvolvimento do país não se sustentaria com a sangria de recursos públicos, detonadora inevitável, em algum momento, do déficit fiscal e da baixa capacidade de investimento, com todos os desdobramentos, especialmente o desemprego.

A questão é que, no mundo das concorrências, a corrupção entra como um valor incidente qualquer, ao lado de despesas com pessoal, equipamento e operação. Com a expectativa de sua redução, Moro entende que, a longo prazo, o Brasil “será mais competitivo e os custos dos contratos baixarão”.



Capacidade e qualidade vendidas a propina

Data: 14/02/2017
19:10:29

A posição parece uma resposta ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), que critica o tratamento dado às empreiteiras do petrolão, entre elas Odebrecht, OAS, Camargo Correa, UTC e Andrade Gutierrez, que seriam portadoras, em todo o mundo, da excelência da “engenharia nacional”.

Requião reforça um discurso antigo, do princípio da operação, quando se pretendeu distinguir “pessoas” e “organizações” com o fim oculto de preservar patrimônio. As organizações são as pessoas que as fazem, como, no presente caso, as 77 que assinaram a delação premiada pela Odebrecht.

É descabida a defesa da capacidade técnica das empresas brasileiras, porque, conhecidos os métodos largamente usados na participação em concorrência públicas e viabilização de projetos, ficam necessariamente em xeque, pelo menos, a qualidade e os preços oferecidos por produtos e serviços.



Pensamento do dia

Data: 14/02/2017
19:09:04

Corruptos não se sentem mal em liberdade.



“Colégio” em breve fechará as portas

Data: 12/02/2017
10:08:20

O “colégio de líderes” inaugurado na Assembleia Legislativa tem o mesmo destino de outros do passado: a morte por inanição.

É uma ideia nobre e louvável, discutir previamente matérias em tramitação na Casa para que cheguem ao plenário prontas para aprovação.

Essa civilidade, porém, esbarra na necessidade de espaço da oposição. Mesmo atendida em suas emendas e brindada com relatorias, a bancada da minoria não vai querer dar a impressão de que não existe.

Projetos do governo, especialmente os mais sensíveis, serão tratados a discurso e obstrução. Para isso serão apresentadas as melhores emendas, que o governo não aceitará.

A polêmica virá à tona por muitas sessões, com a “imprensa escrita, falada e televisada” em cima, dando voz à discórdia. É disso que político gosta.



Máquina pronta para entrar em ação

Data: 12/02/2017
10:06:42

Na mesma linha, o líder da oposição, Leur Lomanto Junior, garante que não haverá mais aquela prática de apreciar as matérias em regime de urgência, sem debate nas comissões técnicas.

Essa é, também, uma discussão antiga. No tempo do carlismo era pior, porque a oposição não tinha espaço para nada, havendo biênio em que ficou até sem a representação proporcional na Mesa.

Os governos do PT até que deram vez aos adversários, com pequenas migalhas de participação, mas todos os governos são, em geral, exatamente iguais, aprovando, a toque de caixa, com rolo compressor, projetos cujos conteúdos os próprios deputados desconhecem.



Salvo melhor juízo

Data: 12/02/2017
10:05:21

Vale ressaltar que tudo isso vai depender de como se definirá a correlação de forças na Assembleia até o fim da legislatura.

Caso se confirme o que é suspeita nos bastidores políticos, é possível que o governo Rui Cosrta termine em minoria.



Bico seco

Data: 12/02/2017
10:04:37

O aniversário do PT pela primeira vez passou sem festa. Mas não foi por vergonha, foi por falta de dinheiro.

O presidente Rui Falcão protestou contra os correligionários: “Chega de fazer militância pela internet”.

Ele vive o sonho de "ações diretas de mobilização", sem que se saiba de onde provém exatamente tanta esperança.



BLAGUE NO BLOG – Corretagem explosiva

Data: 12/02/2017
10:03:45

Secretário de Redação “emérito” de A Tarde, Chico Ribeiro Neto relembrava ontem com colegas daquele tempo histórias engraçadas que vivemos.

Como no dia em que alguém passou um trote informando a existência de uma bomba, o que deixou todos muito assustados.

Por coincidência, apareceu num dos corredores uma volumosa pasta – e não houve dúvida de que ali estava o petardo.

Foi uma missão para o coronel Nelton, chefe da segurança, que promoveu toda a encenação, com isolamento da área e convocação de peritos para o eventual desmonte.

Nisso apareceu o dono da pasta, um corretor de publicidade do jornal, que a havia esquecido. Com a paz dos inocentes, abriu a dita cuja e foi embora, conferindo seus talões e faturas.



Gato escaldado

Data: 12/02/2017
10:02:10

Esteja ou não em curso um plano do prefeito ACM Neto para incorporar o ex-deputado Marcos Medrado a seu grupo, impedindo-o de assumir mandato na Câmara dos Deputados, já deu errado.

Medrado é desses que não se dispõem a apanhar duas vezes. Vice-prefeito de Antonio Imbassahy nos dois mandatos, tendo sido, inclusive, decisivo para a vitória no primeiro turno em 1996, foi jogado para cima pelo falecido senador ACM na pretensão de ser o candidato em 2004.

Hoje bem aconchegado ao petismo, com bons cargos para si e para o filho, além de uma suplência de deputado estratégica, que o leva a assistir de camarote ao desenrolar da cena política municipal, não quer correr o risco de novo, mesmo à distância de duas gerações.



Como na velha TV Itapoan

Data: 12/02/2017
10:00:45

Pelo visto, o Senado vai reeditar a Sabatina da Alegria.



As amizades são sólidas, mas a traição existe

Data: 10/02/2017
18:53:38

Quando o experiente deputado Marcelo Nilo se diz traído por deputados que vão de Roberto Carlos a Nelson Leal, companheiros de dez anos, sem contar outras defecções fisiológico-partidárias, como Janio Natal e PCdoB, já se vê que traição é oxigênio no meio político.

Portanto, o quadro neste ano e meio até o fervor da sucessão estadual está absolutamente indefinido, apesar das juras de amor ao governador Rui Costa feitas pelo senador Otto Alencar e pelo vice-governador João Leão na cerimônia em que este foi agraciado com medalha na Assembleia Legislativa.

O senador botou panos quentes quanto às relações de Leão com Rui: “Quero dizer ao governador Rui Costa que eu fiquei muito feliz em ver o seu vice-governador com essa lealdade, essa franqueza, essa colaboração”. Lembrou que também foi vice e brincou: “Vice manda muito, o problema é ninguém obedece”.

Leão correspondeu ao caráter festivo do evento. “Eu tenho hoje por Rui Costa uma amizade muito grande”, destacando o êxito do governo, que “não vive as dificuldades que vemos em outros Estados”. Convidou os presentes a ficarem de pé e depois darem “uma salva de palmas a um cara retado, o governador Rui Costa”.

O senador Roberto Muniz foi um pouco mais explícito sobre o clima que tem rondado a aliança governamental. Assegurou que “Leão é um homem que não conspira para o mal” e que, em mais de 20 anos de convivência pessoal e política, jamais foi chamado pelo vice-governador “para fazer o mal contra ninguém”.



A voz do povo

Data: 10/02/2017
18:52:01

O presidente Temer tem prazo até hoje para explicar ao ministro Celso de Mello, do STF, por que criou um ministério para Moreira Franco.

Poderia dizer, como na solenidade de posse: “Todo mundo já chama o Moreira de ministro”.



As letras são outras

Data: 10/02/2017
18:51:21

“Foram emendas genéricas. Não fiz para beneficiar a, b ou c”, diz Rodrigo Maia, acusado de receber propina para patrocinar emendas legislativas em favor de conhecida empreiteira.

De fato, foi para beneficiar o, a e s.



A quadrilha contra-ataca

Data: 09/02/2017
18:27:28

As gravações de Sérgio Machado, reveladas há nove meses, não deixam dúvida quanto ao objetivo de Romero Jucá e cúmplices de derrubar a presidente Dilma Rousseff para “botar lá o Michel” e segurar a Lava-Jato.

A subida de Temer não chegou a barrar os passos da operação jurídico-policial, embora muitos percalços lhe tenham sido criados, até emenda constitucional de clara ameaça ao Judiciário e ao Ministério Público.

Entretanto, enriquecidos pela manipulação da institucionalidade e pelo dinheiro da corrupção, marginais da República vão montando suas barricadas na guerra franca e aberta que travam contra a lei e a democracia.

Por isso, quando Renan Calheiros, José Sarney e o mesmo Jucá são acusados de formação de quadrilha pelo procurador Rodrigo Janot, é reação normal da súcia defender-se com as armas disponíveis.

Coloca-se o implicadíssimo Edison Lobão à frente da Comissão de Constituição e Justiça, que “sabatinará”, com sua penca de investigados, o candidato de Temer ao Supremo Tribunal Federal, que provavelmente o julgará.

Ante o protesto amplo, apesar dos também muitos defensores, é exatamente o virtual presidiário Jucá quem sai a declarar que “não é demérito ser investigado, demérito é ser condenado”.

Os bandidos resistem em aguerrida solidariedade. Nomes seus foram designados para as presidências do Senado e da Câmara. Na liderança do PMDB, Renan simboliza o atrevimento da coligação criminosa.



É de outro

Data: 09/02/2017
18:25:11

Alexandre de Moraes tem um jeito fácil de explicar sua posição contrária, em tese acadêmica, à nomeação para o Supremo de ministro do presidente em exercício: basta dizer que plagiou essa parte.



Reação no Planalto

Data: 09/02/2017
18:24:18

Governo critica vazamento do plágio de Alexandre de Moraes.



Novo bloco

Data: 09/02/2017
18:23:46

Bloquinho ruim de corte fazem na Assembleia Legislativa o PMDB e o PSC, com sete deputados, sob a liderança de Pedro Tavares.

O primeiro é símbolo da oposição na Bahia. O segundo não é tão estável assim, mas quando assume um lado costuma manter a fidelidade pelo menos até a próxima eleição.



Leão na Assembleia, mas Neto não vai

Data: 09/02/2017
14:15:26

Muita movimentação e discurso logo mais às 15 horas, na Assembleia Legislativa, para a concessão da Comenda Dois de Julho ao vice-governador João Leão.

Será mais uma festa do governismo, que neste período continuará encenando unidade – palco, certamente, para Rui Costa, Jaques Wagner, Otto Alencar e alguma presença protocolar inesperada.

Por exemplo, o prefeito ACM Neto, por esta condição convidado natural em cerimônias de tal natureza, envolvendo autoridade estadual, e, mais que isso, parceiro político recente do PP de Leão na eleição da Assembleia.

O Cerimonial da Prefeitura, porém, lamentavelmente, não confirmou a ida de Neto ao burburinho. Ele não comparecerá devido a “eventos agendados anteriormente”, informou o órgão.



Amigos, amigos, o Supremo no bolo

Data: 08/02/2017
15:59:02

O presidente Michel Temer entende que “o ministro da Justiça é muito importante” e anuncia para o provimento do cargo “uma escolha pessoal”, feita com base não em critérios técnicos e objetivos, ainda que possam exisitr, mas em simpatia ou admiração nutrida por aquela sortuda pessoa.

Fora o fato de que ele, vergonhosamente, antecipa a aprovação do ministro Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal, decisão que ainda depende do Senado, a afirmação revela: Moraes foi “uma escolha pessoal” de Temer para o ministério, do qual “se licencia”, e da mesma forma o será para o STF.



Meu candidato

Data: 08/02/2017
15:57:01

Careca por careca, Leandro EnKarnal para ministro do Supremo.



Briga de quadrilha

Data: 08/02/2017
15:56:20

Sem entrar em digressões, devaneios ou considerações jurídicas, soam totalmente falsas as tentativas de criar embaraços à Operação Lava-Jato e a tantas outras que correm nas varas federais envolvendo políticos, empresários e funcionários públicos, sem falar nos “operadores” e nos beneficiários que aparam gordas migalhas e raspas.

A sensatez sugere que, estando presos José Dirceu, Marcelo Odebrecht, Eike Batista, Eduardo Cunha e Sérgio Cabral, não poderá haver acordo que salve Renan Calheiros, Michel Temer, Lula da Silva e, quem sabe, Rodrigo Maia. É improvável que, já sob as agruras da lei e da justiça, se conformem em pagar sozinhos pela lambança geral.



BLAGUE NO BLOG – Um homem literalmente limpo

Data: 08/02/2017
15:48:13

Entrevistado da rádio Metrópole cujo nome não foi captado contava, ontem, aspectos da vida do ex-deputado Fernando Santana, entre eles o de que o ilustre baiano jamais recebia aperto de mão de quem quer que fosse quando estivesse à mesa de refeição.

Relatada a passagem a primo do histórico comunista, falecido em 2012, aos 96 anos, este confirmou sua forte preocupação com a assepsia pessoal e a sanidade dos alimentos, recordando episódio passado em Brasília, antes do golpe de 64.

Em jantar na embaixada da antiga Iugoslávia comunista do Marechal Tito, Santana, cumprindo um ritual doméstico, cheirou o prato que lhe foi posto, desesperando-se com o vozeirão: “Parem todos de comer! Este peixe está podre!”

Óbvio que foi um rebu, com substituição emergencial do cardápio. Mas nesses eventos de 400 talheres houve quem não acreditasse ou já tivesse, inadvertidamente, engolido a porção fatal – estes respondendo depois por infecções e desarranjos que passaram longe de “Fernandão”.



Senador Otto, compre esta briga

Data: 07/02/2017
22:46:31

A memória desconhece indicado pelo presidente da República que não tenha alcançado a cadeira de ministro do Supremo Tribunal Federal.

Assim, parecem favas contadas a próxima nomeação de Alexandre de Moraes, que o presidente Temer não se pejou de apadrinhar tão descaradamente quanto outros o fizeram antes com outros ministros.

Mas eis que surge uma significativa voz discordante: a do senador Otto Alencar (PSD), para quem “é uma indicação muito política, que não deixa o governo em suspeição, mas fica mal para o governo”.

Dado o currículo recente do senador, de vitórias espetaculares, umas, e inesperadas, outras, imagina-se que ele tem algo em mente para tentar no Senado uma mobilização.

O assunto vai esquentar, a nação vai perceber que está se tentando colocar como revisor da Lava-Jato um político do PSDB intimamente ligado a vários implicados na operação.



Possível uninimidade

Data: 07/02/2017
22:43:31

A senadora Lídice da Mata (PSB) também já se pronunciou contra a indicação de Moraes, restando, na bancada baiana, saber o que pensa o senador Roberto Muniz (PP).



A velha dicotomia sempre presente

Data: 07/02/2017
22:42:19

É uma circunstância interessante para observar as relações políticas entre as forças representadas em Brasília.

Se Temer encaminha o nome, é porque está seguro de sua maioria, que tanto na Câmara como no Senado tem correspondido.

Dessa maioria fazem parte os partidos dos três senadores, os quais, no entanto, como se sabe, na Bahia estão alinhados ao governo petista de Rui Costa.

O veio pelo qual votarão Otto, Lídice e Muniz, se o federal ou o estadual, nessa e em outras questões, continua sendo uma charada difícil de desvendar.



Uma fatia de poder

Data: 07/02/2017
22:41:06

O deputado Marcelo Nilo (PSL) não demorou uma semana fora do poder. Assumiu a presidência da Comissão de Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa.

Pela comissão passa a maioria dos projetos de lei a serem apreciados pela Casa, envolvendo de temas tributários e financeiros às contas do governador e programas de desenvolvimento econômico.

Trata-se, portanto, de uma sinalização: Marcelo Nilo está firme na base governista, detendo para isso um dos postos mais importantes do processo legislativo – a menos que o futuro diga diferente.



Falso meia de ligação

Data: 07/02/2017
22:40:04

O vice-presidente empossado da comissão é o atuante deputado Luciano Ribeiro (DEM), que nos primeiros anos de mandato defendeu com veemência um papel mais consistente das comissões na análise e debate dos projetos que lhes são encaminhados.

Poderá fazer uma boa tabela com Nilo, mas por enquanto o discurso é outro. Destacando as qualidades de “grande tribuno” do ex-presidente, definiu: “Marcelo continuará, mais que nunca, a defender o governo, e nós, a fazer o contraponto”.



Haikai

Data: 07/02/2017
22:38:30

Eu queria
Ser ouvido
Pela Ouvidoria.



O genro do genro do genro

Data: 06/02/2017
15:43:35

Rufem os tambores: o Brasil possivelmente bateu um recorde mundial e, com certeza, a esmagadora maioria da população disso não tomou conhecimento.

Todos já ouviram falar de Getúlio Vargas, o chefe revolucionário, presidente indireto, ditador e novamente presidente, dessa vez por consagradora votação popular, que lhe deu a vitória até em São Paulo, berço da vencida Revolução Constitucionalista de 1932.

Mas deixemos os devaneios históricos pra lá. Getúlio teve como genro, casado que foi com sua filha Alzirinha, o almirante Ernâni do Amaral Peixoto, político de carreira da mais fina extração pessedista, em tempos de outro PSD.

Interventor e governador do Rio de Janeiro, senador, embaixador (nos Estados Unidos), Amaral Peixoto deu em casamento a mão de sua única filha, Celina, em 1969, ao jovem sociólogo e funcionário público de orientação maoista Wellington Moreira Franco.

Sim, é ele mesmo, o ministro privilegiado de hoje, metido até o pescoço na Lava-Jato, que a população do Rio de Janeiro fez o favor de colocar na cadeira de governador em 1986, em vez de Darcy Ribeiro. Por essa combinação de relações parentais, era chamado nos bastidores de “genro do genro”.

Pois bem, retornando à estupefação inicial deste texto: toma-se conhecido agora que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a quem não bastou ser filho de César Maia, é genro de Moreira Franco, marido de sua enteada Patrícia.

Tudo isso leva à reflexão sobre quão insondáveis são os caminhos da política e da própria vida. Getúlio, tão poderoso, não foi capaz de impedir, ou pelo menos evitar com sua argúcia, o fato gerador dessa cadeia talvez inédita, que só fez piorar com o tempo.



Cresce tendência a candidatura de Neto

Data: 05/02/2017
13:15:48

Os fatos conduzem à consolidação interna da candidatura do prefeito ACM Neto ao governo do Estado, e neles se destacam a derrota do deputado Marcelo Nilo na Assembleia Legislativa e a nomeação do deputado Antonio Imbassahy a ministro de Governo.

Na Assembleia, o governador Rui Costa não barrou a tentativa de reeleição de Nilo nem fez nada para apoiá-la, permanecendo numa indecisão que deu espaço à oposição para fechar com a minoria da bancada governista e eleger o deputado Angelo Coronel.

O governador se reúne em salamaleques públicos com o novo presidente, mas sabe que perdeu a eleição. Não por outro motivo foi alvo direto e claro do prefeito, que ironizou a comemoração feita por Rui da vitória de um deputado “da base”.

Coronel, consciente de que toda estratégia política tem seu tempo próprio, concorda e vai aproveitando, como no anúncio a Rui, no discurso de posse, de que espera maior receptividade dos secretários às audiências solicitadas por deputados.



Nilo correrá livremente na próxima eleição

Data: 05/02/2017
13:14:18

O prejuízo maior ficou para Marcelo Nilo, por não ter avaliado corretamente a situação nem ter captado, com tantas informações a seu redor, a manobra secreta do senador Otto Alencar com ACM Neto, que praticamente decidiu a eleição desde o início.

Seria o caso, então, de uma composição com um nome de sua proximidade, mas que fosse consensual, permitindo ao governo manter plenas relações com a Assembleia e restando à oposição, como quase sempre, entrar no acordo.

Driblado duas vezes – a outra foi a exclusão da chapa majoritária em 2014 –, Nilo não pode mais confiar nos governos petistas, muito menos passar à área de influência do carlismo, mudança totalmente incompatível com sua história. O caminho é transformar-se num outsider.

Dono de justo orgulho por ter sido eleito deputado sete vezes sempre com votação ascendente, provavelmente ele experimentará em 2018, o que seria uma consequência natural da perda de poder, a primeira redução de votos, caso concorra ao oitavo mandato.



Geddel e Imbassahy: praticamente iguais

Data: 05/02/2017
13:12:26

Com relação ao deputado Imbassahy, este blog penitencia-se por notas que punham em dúvida sua complicada nomeação – outro fator extraordinário a concorrer para o êxito da administração do prefeito e, portanto, de suas pretensões governamentais.

A Bahia, como se sabe, tinha perdido o importante ministro de Governo com a queda de Geddel Vieira Lima. A sorte de Neto é tanta que circunstâncias nacionais, traduzidas pela necessidade de o governo Temer segurar o PSDB, levaram para o cargo outro baiano e aliado.

Sem contar o nível de entendimento pessoal com Neto ou diferenças nos projetos políticos, o ex-ministro e o atual são “a mesma coisa”: igualmente experientes, preparados e bons articuladores. A vantagem de Imbassahy é que ele parece já resolvido em seus negócios particulares.



Só pra constar

Data: 05/02/2017
13:10:53

Entrevistando o prefeito há cerca de seis meses, o radialista Mário Kertész revelou uma conversa inesperada que tivera com senador Antonio Carlos Magalhães pouco antes de sua morte, em 2007.

Foi o próprio ACM quem lhe telefonou, perguntando se poderia ir à sua casa. Kertész o recebeu para algumas horas de amenidades e reminiscências, ao fim das quais o senador falou-lhe do neto xará.

A troco de nada, disse que Neto era muito melhor que o filho Luís Eduardo, falecido em 1998, por ser mais estudioso e com mais vocação e disposição para a política.



BLAGUE NO BLOG – Mistura grossa

Data: 05/02/2017
13:09:54

Antiga tirinha tratava da reconciliação entre cães e gatos após milênios de inimizade, e a cena inicial era esta: as naves espaciais das duas raças aproximando-se do planeta neutro onde seria assinada a paz.

O segundo quadrinho mostrava o comandante canino, tremendo brutamontes, com simpático sorriso, saudando o até então adversário que aparecia no monitor: “Ora se não é o velho Capitão Felino!!!”

A imagem final já é de dentro da nave dos gatos, e dessa vez quem vê o cachorrão no monitor é o Capitão Felino, que pensa: “Preciso me controlar para não ficar todo arrepiado”.

Na política baiana, há ensaios de várias alianças sobre o ainda incerto quadro de 2018. Vai ter gente arrepiada e de estômago embrulhado.



Necrofilia política

Data: 05/02/2017
13:08:27

Fiel a seu caráter, ou à falta dele, o ex-presidente Lula fez uso político do velório da mulher, Marisa Letícia, ao dizê-la vítima de perseguição, quando, na verdade, ele a tornou cúmplice dos desmandos que cometeu na presidência da República e fora dela.

Era um momento, presume-se, para a maioria das pessoas, de dor desconcertante, de sentimento profundo da perda, mas, tristemente, transformado em palco frio – mais um ato do desespero de um náufrago da falta de utopia.

É um trabalho que Lula sabe fazer bem – o exercício da demagogia irrefreável –, só que, no presente caso, o apelo emocional, que é o que lhe resta, não será suficiente para livrá-lo da caçoeira jurídico-policial em que foi apanhado.

Servirá apenas ao enredo escrito em cima da perna com que tenta, como solução para seus males, ser novamente candidato a presidente da República e vencer, esse, sim, um verdadeiro sonho de verão. O consolo é que a estação se estende até 20 de março.



Fora Trump

Data: 05/02/2017
13:06:55

Ainda há juízes em Seattle.



O dia de Moreira vai chegar

Data: 03/02/2017
16:57:16

É diferente o foro privilegiado que a ex-presidente Dilma tentou conceder ao ex-presidente Lula daquele que agora, efetivamente, recebe o secretário-geral da Presidência da República, Moreira Franco.

Lula foi flagrado em gravações oficiais conversando com Dilma e dela recebendo orientação para sua nomeação à Casa Civil, que passa à história pela citação de “Bessias”, condutor do elemento do delito, o termo de posse.

Foi um caso tão escandaloso – nem um ano completou e já parece distante – que o Supremo Tribunal Federal confirmou a sentença em primeira instância do juiz Itagiba Catta Preta, e Lula até hoje está à disposição do juiz Sérgio Moro e outros.

Juntando-se aí a importância do personagem e o processo de impeachment da presidente da República, a decisão ganhou uma dimensão proporcional à instabilidade da época, em que, paralelamente, o “desmoronamento” da economia assomava ao patamar da “preocupação” de todos.

Moreira Franco, sinceramente, a maioria do povo brasileiro nem sabe quem é, apesar de sua exposição na mídia, e é difícil mesmo saber o cargo que ocupa exatamente no Planalto, agora alçado à categoria de ministério, imune a “juizecos”, diria Renan.

O país, seja isto ou não produto da conspiração da mídia, empresariado e instituições, como dizem os petistas, apresenta números mais alentadores, especialmente nos índices de inflação, cujo desembestamento seria o dano mais gravoso à imensa maioria da população.

Pouco importa que Moreira, se este vier a ser o seu destino, seja preso agora ou depois, quando seus pepinos chegarem ao Supremo. Temos suportado muita gente solta, como o já citado Renan, não é o caso de fazer estardalhaço com o pobre do novo ministro.



Tá dentro, deixa

Data: 03/02/2017
16:53:55

Mas cabe ainda uma alegação final, muito apropriada ao espírito pátrio de resolução das coisas: Moreira já tava dentro do governo, é fácil ir deixando, resistindo mesmo às suas 30 aparições na Lava-Jato. Lula, não, Lula ia entrar, e aí sempre tem um monte de gente pra botar o pé na porta.



Agenda infinita

Data: 03/02/2017
16:52:56

A Odebrecht reitera todo dia sua disposição de colaborar com as autoridades.




Página Anterior    Próxima Página