Salvador, 20 de outubro de 2018

O humor venceu o medo no Brasil

Data: 25/08/2010
13:57:11

Depois da anistia (1979), voltando do exílio, três grandes lideranças do comunismo brasileiro, àquela altura fragmentado por causa também de uma luta sobre métodos e objetivos, foram jantar num restaurante para finalmente, em solo pátrio, tentar um entendimento em torno da trajetória futura.


O encontro pode não ter resultado em grande coisa, mas a oportunidade foi esplendidamente aproveitada por um chargista cujo nome - grande injustiça - foi esquecido.


Seu desenho mostra um maître cheio de solenidade perguntando a Luís Carlos Prestes, Giocondo Dias e João Amazonas: "Os senhores vão querer a criancinha bem ou malpassada?"


Sinal de que a alma brasileira não havia se perdido naquele cipoal.



Turma do riso contra o baixo astral

Data: 25/08/2010
12:43:24

Aproveitando o "gancho" do título do texto anterior, não sabemos ainda como estão trabalhando os humoristas atingidos pelo TSE na sua liberdade de criação A impressão é de que vai ser pacificamente desobedecida a decisão que proíbe uso de imagem de candidatos nesta época eleitoral.


O assunto virou matéria na CNN em espanhol, que fez ampla cobertura, nas ruas do Rio de Janeiro, de manifestação de humoristas contra o veto. Apesar do profissionalismo, a repórter não conseguiu esconder no semblante um ar de reação ao ridículo.



Fora de alcance

Data: 25/08/2010
12:42:17

De repente, nos bastidores políticos, Cláudia Oliveira (PT do B) surge como nome forte para a Assembleia Legislativa. Além de ser a esposa do prefeito de Eunápolis, Robério Oliveira (sem partido), faz dobradinha com o ex-prefeito e ex-deputado Jânio Natal (PRP), candidato a deputado federal.


O prefeito Robério é colecionador de processos na Justiça. São mais de dez, por causas diversas, como desvio de recursos, contratações irregulares, uso de dinheiro público em propaganda pessoal e contratos sem licitação. O PRTB o expulsou por entender que "denegria a imagem do partido".


Lamentavelmente, a Lei Ficha Limpa não pode valer para o cônjuge.



Em moeda sonante

Data: 25/08/2010
12:12:16

Tucano se queixa de que o PSDB baiano está cobrando R$ 35 mil para gravar as mensagens dos candidatos a deputado federal e estadual para exibição no horário eleitoral. Se o cidadão preferir fazer sua gravação em outro local, o valor cai para R$ 18 mil. A ordem teria vindo da direção nacional, "para cobrir custos de produção".



Com estilo

Data: 25/08/2010
11:57:37

Sobre uma corrida ao apoio a Jaques Wagner no interior, que estaria acontecendo a partir do fortalecimento de sua candidatura nas pesquisas, deputado da coligação comenta: "Já está todo mundo dando o beiço".


Por estranheza, já que "dar o beiço" significa, em geral, passar calote, foi indagado sobre a afirmação e explicou: "É uma expressão caatingueira. É o mesmo que entregar a rapadura".



Prefeito sugere dispensa de advogado

Data: 25/08/2010
11:21:14

"Os barraqueiros têm de decidir se querem continuar com o mesmo advogado". A afirmação, do prefeito João Henrique, merecia até uma reprimenda da Ordem dos Advogados. Nenhuma das partes de uma ação judicial tem direito a impugnar o representante legalmente constituído da outra.


Eventuais comportamentos do advogado João Maia, em audiências ou fora delas, têm de ser analisados à luz de leis e regimentos por órgãos e pessoas competentes. Quanto à eficácia da atuação profissional do advogado, é assunto da exclusiva alçada do constituinte.


Felizes somos nós por não bastar o arbítrio de uma só pessoa para julgá-lo, mesmo que seja o prefeito.



No Conselho de Sentença

Data: 24/08/2010
00:56:33

Fisgado pelo Poder Judiciário, o editor deste blog cumpre o dever cívico de ficar à disposição, no mês de agosto, na condição de jurado, do 2º Tribunal do Júri.

 

Nesta terça-feira pela manhã, mais uma vez estará se apresentando, e a depender de sorteio será retido e isolado em julgamento que poderá prolongar-se até o dia seguinte.


Não estranhem, portanto, os leitores, caso hoje não haja textos além daqueles que seguem abaixo, postados já na madrugada.

 

Trata-se - os julgamentos no Fórum Ruy Barbosa - de experiência importante e difícil, pelo bem precioso da liberdade do próximo que deposita nas mãos do cidadão comum.



Distância PT-PMDB no apoio de Lula a Pinheiro

Data: 24/08/2010
00:54:43

A declaração categórica de apoio à candidatura ao Senado do deputado Walter Pinheiro (PT) feita pelo presidente Lula no horário eleitoral é um sinal quase imperceptível, mas autêntico, do distanciamento entre governo e PMDB imposto pela consolidação da candidatura de Dilma Rousseff à presidência da República.


Em 2008, quando Dilma não passava de um projeto, Pinheiro, candidato derrotado a prefeito de Salvador contra João Henrique, do PMDB, teve de conformar-se com o pronunciamento "genérico" de Lula, aquele em que o presidente pedia voto para "o candidato do PT", sem citar o nome.


Geddel Vieira Lima era ministro, exercendo, inclusive pelo desempenho administrativo, papel importante para o entendimento entre os dois partidos. Estava em jogo um equilíbrio do qual dependiam as relações no Congresso e, simultaneamente, o processo sucessório. A "neutralidade" presidencial, como na Bahia, ocorreu em vários Estados.



Geddel é que tem agora limite no uso da imagem

Data: 24/08/2010
00:53:02

A "dependência" petista, como se sabe, levou à definição do deputado Michel Temer (PMDB) para vice na chapa de Dilma, uma escolha livre do partido, apesar da tentativa de Lula de vetar seu nome, com aquela história da "lista tríplice".


A afirmação como parceiro com ares igualitários na coligação deu corda ao PMDB, que se sentiu no direito de usar a imagem do presidente e de sua candidata nos embates regionais. Direito afinal reconhecido pelo Judiciário, mesmo porque muitos desses candidatos foram auxiliares do governo federal e tinham saldo a apresentar desse trabalho conjunto.


Mas o clima de já-ganhou que tomou conta da candidatura de Dilma e o amplo otimismo dos partidários da candidatura de Jaques Wagner parecem definir uma nova etapa, em que o presidente não necessariamente terá de participar das duas campanhas na Bahia. Desta vez, é Geddel quem recorre aos próprios arquivos para usar a imagem de Lula.



Vamos aguardar

Data: 24/08/2010
00:51:56

Não vamos, precipitadamente, dar a coisa como encerrada. A campanha está apenas começando. Pode ser que tudo não passe de presunção e que Lula possa dar declarações explícitas de apoio a Geddel, e até venha a participar de um seu comício, embora somente Dilma a isso seja obrigada, pois vem atrás de votos para si mesma e tem de pedi-los ao candidato do PMDB.



Wagner fatura a segurança

Data: 24/08/2010
00:50:14

A campanha de Jaques Wagner exibiu no horário eleitoral uma boa peça: a visita do governador ao Cabula VI para conversar com os moradores sobre a melhoria na segurança após medidas tomadas pelo governo. As pessoas deram depoimentos favoráveis e Wagner fala com naturalidade, no tom amistoso e de interação que usa comumente.



Melhoria sem estatística

Data: 24/08/2010
00:47:44

Pouco antes, a propaganda tinha falado das excelências da gestão da segurança pública, aumento de viaturas e de policiais, operações especiais, pesada elevação dos investimentos, para concluir que "o planejamento de médio e longo prazo começa a dar resultados". Entretanto, não cita números, o que torna muito difícil avaliar os presumíveis avanços.



Votos que o ''crack'' não dá

Data: 24/08/2010
00:45:58

Geddel foi de encontro a Wagner e sua tese de "caixão ou cadeia" para os usuários de crack. Fez o discurso correto do tratamento especializado ao usuário na tentativa de salvá-lo para o convívio social.


Para efeito de marketing eleitoral , essa mensagem é duvidosa. Pode sensibilizar famílias no desespero do seu drama, mas a realidade que se capta nas ruas é outra. Lamentavelmente, para quem tem a visão humana da questão, o povo quer que usuário de droga "se exploda".



O Retorno III

Data: 24/08/2010
00:44:34

Paulo Souto apresentou um veio que, se bem explorado, poderá render. "Retomar tudo que foi interrompido" para recuperar "a Bahia bonita e civilizada" que teria existido sob seus governos.


Citou o SAC, o programa de saneamento Bahia Azul, as escolas Luís Eduardo Magalhães e as companhias da Polícia Militar em diversas regiões. Certamente tem mais coisas a recordar.



''Só nós dois é que sabemos...''

Data: 24/08/2010
00:43:28

Para que não se pratique omissão: na propaganda da TV, o presidente Lula também pediu o voto para Lídice da Mata (PSB) ao Senado, na estratégia de marketing "casadinhos" - ela e Pinheiro.



Eu tenho a força

Data: 24/08/2010
00:41:46

Um "comercial" do programa de TV de Lídice e Pinheiro mostra quatro braços levantando algo pesado sob o texto de fundo: "Quando a gente une forças, fica mais fácil vencer desafios".


"Unindo forças" é o slogan histórico do deputado federal Marcos Medrado (PDT), desde que venceu sua primeira eleição, para a Assembleia Legislativa, em 1986.


Enfim, como Pinheiro é do subúrbio, tá tudo em casa.



Presidente dá aula de português

Data: 24/08/2010
00:39:24

Lula, no programa eleitoral, afirmou: "Quando Dilma for presidenta..."  Mostrando que é um homem mudado, lançou mão de um feminino que, embora sempre tenha existido, manteve-se até relativamente pouco tempo em desuso pela prevalência do homem no exercício do poder.


O termo masculino popularizou-se, e quando ocorreu de a primeira mulher chegar a uma presidência qualquer não lhe foi concedida a mudança de gênero do cargo. Presidente ficou como um substantivo "comum de dois", a exemplo de motorista e estudante, como aprendemos na gramática primária.


Talvez Lula não se recorde dessas lições, mas curte o direito de ser "original" na promoção de sua candidata. Se insistir no "presidenta", poderá resgatar a palavra para a língua corrente, como fez Luiz Fernando Veríssimo quando intitulou "Defenestração" uma de suas crônicas.



Curiosidade

Data: 24/08/2010
00:37:23

Na década de 70, havia certa preocupação em A Tarde com o formalismo do idioma, o que levou, em certa época, à obrigação do feminino presidenta.


A única exceção era para a proprietária do jornal, que continuou sendo "a presidente Regina Simões de Mello Leitão".


Que, aliás, permanece no cargo, na felicidade dos formidáveis 98 anos que completará no próximo dia 28, sábado.



Golpe à vista

Data: 24/08/2010
00:35:37

O candidato ao Senado José Carlos Aleluia (DEM) apenas tocou no assunto de um projeto seu, ou que teve sua participação, o qual resultou na redução pela metade das contas de luz das famílias mais pobres.


Poderia tratar de outros de igual importância, passados ou futuros. Preferiu continuar a carga com o "justa causa", destinado a cassar mandatos de políticos que prometem e não cumprem, uma proposta que beira a demagogia.


Até folheto de propaganda, segundo a proposta anunciada na TV, seria prova cabal para o cidadão levar o deputado ou senador à Justiça e cassá-lo. Se for aprovado, Aleluia conseguirá uma proeza: fechará o Congresso sem dar um só tiro.



Que venha Heloisa Helena

Data: 24/08/2010
00:33:49

Luiz Carlos França, candidato do PSOL ao Senado, tomou a medida mais óbvia para marcar sua campanha na televisão: lembrar a ex-senadora Heloisa Helena, candidata presidencial do partido com mais de 6 milhões de votos em 2006 e símbolo da luta no Brasil pelo processo político limpo e pelos direitos da população.


Os candidatos do PSOL poderiam usar com mais frequência a imagem da hoje vereadora em Maceió e divulgar suas propostas como forma de angariar simpatia dos eleitores. É o grande nome do partido e, na atual guerra de imagens, quem não usar as suas sai perdendo.



Preste bem atenção

Data: 23/08/2010
19:55:12

O pedido de voto do deputado Reinaldo Braga (PR) revela seu trânsito partidário: "O meu número agora é..."



Em nível nacional

Data: 23/08/2010
11:53:27

Os funcionários terceirizados da Fapes lotados nas Secretarias de Cultura e de Planejamento da Prefeitura de Salvador podem até não receber seus salários atrasados de junho e julho, mas fazem um barulho danado.


Agora conseguiram que o jornalista Octávio Costa, da revista IstoÉ, publicasse o calote em sua coluna "Brasil Confidencial". E sob um título nada dignificante: "Mau pagador".


O protesto tem um forte componente político: os servidores lembram que "faltam seis semanas para as eleições" e que os terceirizados são quatro mil pessoas que "terão a oportunidade de responder ao PMDB e seus aliados nas urnas". Os "principais aliados", também citados, são PTB, PSC e PR.



Questão de ordem

Data: 22/08/2010
09:35:50

Para usar um jogo de palavras de antigo filme nacional ("Se segura, malandro", de Hugo Carvana, 1977), o candidato ao Senado José Carlos Aleluia (DEM) deveria desistir do justa causa - nome do seu projeto que pretende punir os políticos que não cumprem promessa - e procurar uma causa justa.



Lutero, Brieba, Jorge Dória...

Data: 22/08/2010
09:33:04

Na verdade, convém esclarecer a citação da nota anterior para não deixar o leitor em dúvida. Do referido filme, cujo título não recordava, tendo sido lembrado pelo jornalista José Wellington Rodrigues do Nascimento, enciclopédia viva de fatos generalizados, o editor guardou a sequência em que Lutero Luiz sequestra um elevador, fazendo refém Henriqueta Brieba - ambos grandes atores do cinema brasileiro.


Lutero representava um funcionário público que ia para seu último dia de trabalho, uma festa que os colegas organizaram pela aposentadoria após 30 anos de serviço. Com a mente premida pelas vicissitudes da vida enquanto caminhava ao sol, o barnabé explode dentro do elevador, sacando um canivete e promovendo a cena - uma ironia aos sequestros de aviões e embaixadores que ocorreram no Brasil.


Lá pelas tantas, quando o caso já movimentava todo o bairro, com o elevador de porta pantográfica parado entre um andar e outro, chega Jorge Dória, o chefe da repartição, e tenta convencer o sequestrador a desistir, lembrando a festa que o esperava: "Acabe com isso, seu Alcebíades. É por uma justa causa!" Ao que foi corrigido pelo assessor: "Chefe, causa justa!"



Em busca do voto perdido

Data: 22/08/2010
09:31:14

Candidatos ao governo mal disfarçam uma maratona para ver quem visita mais municípios. A agenda de Geddel Vieira Lima registrou, no sábado, a ida a lugares tão distantes quanto Camaçari e Porto Seguro, passando por Itapebi, Itagimirim e Eunápolis.


Jaques Wagner, por sua vez, já incorporou a seu discurso a afirmação de que é "o governador que mais visitou a Bahia". Ganha, com certeza, pelo menos de Waldir Pires, que no segundo e último ano de mandato não visitara 30 municípios. Mas naquele tempo não tinha reeleição.



Como antigamente

Data: 22/08/2010
09:30:22

"A Bahia vai bem/Como vai, meu bem-querer?/A Bahia vai bem/Obrigado a você".



Não é quem você está pensando

Data: 22/08/2010
09:29:03

Ao lado de capilé, bufunfa, arame, capim-mimoso, gaita, grana e outros menos votados, o substantivo estrutura ganha lugar de honra no dicionário político como sinônimo de dinheiro. Exemplo: "Tem candidato que está gastando uma estrutura preta nesta campanha".



Falcatruas a mancheias

Data: 22/08/2010
09:00:39

A verdade é a seguinte: não tem Ministério Público que aguente abrir tanto inquérito. Como anuncia a diligente promotora Rita Tourinho, o MP mete-se agora, com toda procedência, no rumoroso caso das Transcons, que teria dado ao município de Salvador prejuízo de centenas de milhões de reais.


Mas a coleção de investigações é grande: descarte de entulho, comercialização ilegal de medicamentos, irregularidades em programas oficiais, registro fraudulento de imóveis, laranjas, lobistas... Sem medo de errar, o MP não tem quadros para enfrentar tanta corrupção.



Transitado em julgado

Data: 21/08/2010
11:13:22

Está decretado pelos institutos de pesquisa e referendado pelos grandes veículos de comunicação: Dilma Rousseff será a próxima presidente do Brasil. A negação, em si, do processo eleitoral, que deve tanto quanto possível ser imune a influências externas. Vamos todos às urnas em outubro fazer o que já está feito.



Agora é fácil

Data: 21/08/2010
10:28:59

O blogueiro João Andrade Neto, agora sujeito a processo sob várias acusações, foi preso, passou dez dias em cana, e neste tempo todo não parou de apanhar diariamente das vestais da imprensa baiana, que não tiveram a mesma coragem quando o língua de trapo aprontava por aí, com seu blog na rede, atirando em todas as direções.



Homicídio quase sempre é punido com liberdade

Data: 21/08/2010
10:26:59

Campanha eleitoral é para levantar temas que façam a diferença. Como a candidata do PSOL ao Senado Zilmar Alverita, que define como "uma tragédia para a Justiça brasileira" a liberdade do jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves, que há dez anos matou a namorada, a repórter Sandra Gomide, sua subordinada na redação do jornal O Estado de S. Paulo.


Os dois tiros dados pelas costas na vítima não foram suficientes para manter Pimenta Neves na cadeia mais que alguns meses. Condenado, vale-se dos recursos legais para protelar e talvez evitar o cumprimento da pena, o que, segundo Zilmar, "contribui de forma nefasta com a violência contra a mulher e o sentimento de impunidade".


Na prática, o direito de matar está legalizado no Brasil, especialmente para quem tem dinheiro, prestígio, posição, poder. A lei, quando é cumprida, não chega a punir um quinto dos crimes cometidos, mas seguramente só atinge a parte pobre da sociedade. Sabe-se disso há décadas, os fatos se repetem, e tudo continua como sempre. É a falência da Justiça.



Provocando os terroristas

Data: 21/08/2010
10:23:42

O sentimento corporativista, que leva as pessoas a defenderem obstinadamente os seus "iguais", manifestou-se claramente nas declarações do presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, ao participar em Aracaju de uma reunião relativa à investigação do atentado sofrido pelo presidente do TRE sergipano.


"É hora de repensar a segurança dos magistrados brasileiros e também de todos os funcionários da Justiça", disse o ministro, esquecido de que diversas outras categorias profissionais e o chamado "povo em geral" estão igualmente sujeitos aos criminosos que prosperam no país da impunidade.


Mas Lewandowski atingiu o cúmulo do ridículo e da megalomania quando disse que, para o Judiciário, o atentado de Aracaju tem o mesmo significado que a destruição do World Trade Center no 11 de Setembro teve para o mundo. Comparada a pistoleiros sergipanos, a Al Qaeda deverá reagir.



Mantenha distância

Data: 21/08/2010
10:22:48

Para evitar problemas de última hora, recomenda-se que a implosão da Fonte Nova seja feita num momento em que os trens do metrô não estiverem sendo testados nas proximidades.



Propaganda do Censo esquece etnias

Data: 21/08/2010
10:20:21

Anúncio do Censo 2010 veiculado na televisão é voltado para o conceito de serem bem recebidos nas residências os encarregados do recenseamento. Natural, porque diante dos riscos que podem decorrer nos dias atuais - uma "atualidade", aliás, que já vem de muito tempo -, é preciso tomar cuidado com a segurança.


A questão é que o modelo usado na propaganda não representa a diversidade ou mesmo a maioria do povo brasileiro. A pessoa idealiza a figura do recenseador que vai a sua casa, mas na hora vê outro tipo. Na Bahia, provavelmente, por razão estatística, um negro ou mulato.


Numa peça oficial do Censo que trata justamente dos cuidados que se deve ter, não é devaneio imaginar que a ausência de pessoas representativas etnicamente da população brasileira pode levar à ideia de que não seria conveniente o acesso de um negro, mulato à residência a ser recenseada.



Projeto prevê construção segura para baixa renda

Data: 21/08/2010
10:19:11

A vereadora Aladilce Souza (PCdoB) apresentou na Câmara de Salvador projeto de lei para que o município dê assistência técnica gratuita e adequada para as famílias de baixa renda construírem suas casas com segurança.


Por falta de um programa assim, "a cidade é palco de deslizamentos de terra que fazem vítimas na população carente, principalmente nos períodos de chuva", disse a vereadora. Pelo projeto, terão direito à assistência técnica famílias com renda de até três salários mínimos.



Brasil volta a ser a oitava economia do mundo

Data: 20/08/2010
09:40:12

O Brasil recuperou a posição de oitava economia do mundo, que havia perdido na década de 90. Os dados foram revelados pelo jornal espanhol "Expansión", mostrando que entre abril de 2009 e março de 2010 o Produto Interno Bruto brasileiro chegou a US$ 1,8 trilhão, superando o da Espanha, que ficou em US$ 1,5 trilhão.


As projeções indicam que a economia brasileira vai crescer 7% este ano, enquanto a Espanha, que há três anos era a sétima economia do mundo, teve sete trimestres seguidos de queda no PIB. Nos dois primeiros trimestres, o PIB espanhol limitou-se a 0,1% e 0,2%, respectivamente, devendo ser negativo ao final do ano.


As sete maiores economias do planeta, em trilhões de dólares, conforme os números de 2009, são Estados Unidos (14,57), Japão (4,80), China (4,78), Alemanha (3,40), França (2,71), Itália (2,17) e Grã-Bretanha (2,04). A expectativa é de que em 2010 a China supere o Japão e a Grã-Bretanha, igualmente, ultrapasse a Itália.



Levado na brincadeira, assédio moral não tem solução

Data: 20/08/2010
09:38:18

Tido como um problema de saúde pública, o assédio moral no trabalho tem seu combate dificultado no país pela cultura de "povo brincalhão" do brasileiro, segundo o especialista em higiene ocupacional Luiz Sérgio Lessi, que fez palestra na reunião do Conselho de Representantes da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil.


"O homem é mais atingido na sua virilidade, enquanto a mulher é mais atingida na sua capacidade intelectual", disse Lessi, lembrando, no caso feminino, o epíteto de "loura burra" utilizado para destratar a subordinada ou a colega. Muitos casos, como frisou, são vistos como "brincadeira", mas a gravidade do tema pode ser medida pelos episódios em que o assediado atirou no assediador ou mesmo suicidou-se.


A prática do assédio pode influenciar na saúde do trabalhador, tendo se registrado casos de exaustão mental e outras doenças físicas e psicológicas, gerando aposentadorias antecipadas ou demissão. Uma dificuldade levantada no evento é a ineficácia do Poder Judiciário para resolver denúncias que lhe são levadas.



Fim da tarifa-assinatura depende de promulgação de lei

Data: 19/08/2010
23:35:09

Os baianos estão na iminência de deixar de pagar cerca de R$ 40 por mês nas contas telefônicas, cobrados como tarifa-assinatura. O famoso projeto do deputado Álvaro Gomes (PCdoB) foi devolvido pelo governador Jaques Wagner à Assembleia Legislativa, e seu caminho agora é a promulgação pelo presidente Marcelo Nilo.


Quando a lei entrar em vigor, as operadoras terão 120 dias para adaptar-se à nova situação, mas é justamente nesse período que poderão ocorrer questionamentos judiciais. Há quem entenda que uma lei dessa natureza é inconstitucional porque, de acordo com o item I do artigo 22 da Carta Magna, "compete privativamente à União legislar sobre (...) telecomunicações".


Em defesa de seu projeto, porém, o deputado Álvaro diz que, segundo o artigo 24, item V, da mesma Constituição, o Estado pode "legislar concorrentemente" com a União em matéria de consumo - e que uma decisão de mérito do Supremo Tribunal Federal estabeleceu que a cobrança da tarifa caracteriza uma relação de consumo.



Das promessas impossíveis

Data: 19/08/2010
23:33:32

Candidato ao Senado pelo DEM, José Carlos Aleluia alardeia seu projeto de lei para que fiquem sujeitos a processo de perda do mandato os políticos que não cumprirem promessas de campanha feitas aos eleitores.


Como precisará, para ser aprovado, dos votos de deputados e senadores que não cumprem promessas - do contrário este país seria uma maravilha -, deduz-se que o destino do projeto será o arquivo.


Parece que justamente com base nisso é que Aleluia promete a nova lei. Ele sabe que não cumprirá a promessa, mas não se importa com isso porque não haverá lei vigente para cassá-lo. Quanta complicação!



BLAGUE NO BLOG - Só com identidade

Data: 19/08/2010
23:31:19

O ex-deputado Marcelo Duarte está entre aqueles que, na Bahia, jamais aceitaram o mandonismo do falecido senador Antonio Carlos Magalhães. Em 1967, líder do MDB na Assembleia Legislativa, criou dificuldades para a pretensão do então prefeito ACM de derrubar uma invasão no bairro de Ondina.


O prefeito telefonou para ele. "Alô, aqui é o prefeito Antonio Carlos..." Marcelo Duarte interrompeu: "Você está brincando comigo. Que prefeito nada!" - e desligou. A situação se repetiu mais uma vez até que, na terceira, ACM conseguiu se expressar: "Aqui é Antonio Carlos mesmo, seu...", desandando a xingar o deputado.


Foi quando Duarte concordou: "Agora, sim, estou te reconhecendo".




Página Anterior    Próxima Página