Salvador, 21 de outubro de 2017

Otto leva Ferraz para a campanha de Wagner

Data: 30/09/2010
15:32:21

Atraído pelo candidato a vice-governador, Otto Alencar (PP), o deputado Clóvis Ferraz (DEM) está se incorporando às forças de apoio a Jaques Wagner (PT), assegura uma fonte deste blog. Mas diga-se, a bem da verdade, que não se trata de um reles ato de adesismo.


Ferraz reage à invasão de suas bases tradicionais pelo deputado federal ACM Neto (DEM) no sentido de ajudar seu protegido Bruno Reis (PRP), candidato a estadual, conforme Por Escrito informou no dia 14 de setembro, em nota intitulada "Candidato a adversário".


Deputado do PFL/DEM desde 1995, Ferraz é ligado a Paulo Souto, por cujas mãos chegou à presidência da Assembleia Legislativa em 2005, após um processo em que o então governador Souto enfrentou o falecido senador Antonio Carlos Magalhães, que preferia Vespasiano Santos.


Não se sabe por que o hoje candidato do DEM ao governo não saiu em socorro de Ferraz, que é seu amigo de longa data, colega do curso de Geologia da Ufba.



Deputado contesta pedido de prisão de soldado

Data: 30/09/2010
15:24:37

Solicitada pelo Ministério Público, a prisão preventiva do soldado Daniel dos Santos Soares, que matou um juiz de direito no Iguatemi no dia 10 de julho, foi contestada pelo deputado Capitão Tadeu (PSB) pelo fato de o delegado que presidiu o inquérito ter concluído que o militar agiu em legítima defesa.


"É aceitável que um promotor de justiça tenha dúvida e requeira nova investigação, mas beira a irresponsabilidade o pedido de prisão sem nenhum fundamento no Código de Processo Civil", alegou Tadeu. Para ele, "a sociedade perde com isso, porque há quebra da segurança jurídica por quem deveria garantir o respeito às leis".



O Tiririca da Bahia

Data: 30/09/2010
15:23:04

Rindo à toa o deputado José Rocha (PR). Como nesta extensa Bahia muita gente vive hoje de parabólica, não é o horário eleitoral baiano que se vê, mas o de São Paulo, no qual se destaca a candidatura de Tiririca a deputado federal.


Ocorre que Rocha tem o mesmo número - 2222 - do palhaço que imortalizou aquela bela página do cancioneiro nacional intitulada "Florentina de Jesus", saltando daí para o estrelato. E como o povo quer Tiririca, por tabela quer Rocha também.



Reparação já

Data: 30/09/2010
15:20:51

Chega a ser uma vergonha, no Estado mais negro do Brasil e na maior cidade negra do mundo fora da África, que o exemplo de "negro que venceu na vida" possa ser tão explorado como na campanha de Edvaldo Brito (PTB) ao Senado.



Marquicista

Data: 30/09/2010
15:19:15

De Carlão, candidato a senador pelo PCB, se suporta ouvir "esse pessoal que são governador..."  Mas "Carlão, força jovem na luta revolucionária", tenha paciência! Não combina com o governador da chapa, Sandro Santa Bárbara.



Há vagas

Data: 30/09/2010
13:55:29

Caso perca a eleição para o Senado, o deputado José Carlos Aleluia (DEM) poderá incorporar-se ao time de "guerreiros" do Vitória.



Candidatos deixam de debater para todo o Estado

Data: 29/09/2010
18:58:15

Os três principais candidatos ao governo do Estado, Jaques Wagner, Paulo Souto e Geddel Vieira Lima, decidiram conjuntamente não participar do último debate desta campanha eleitoral, marcado para as 8 horas de amanhã, quinta-feira, na Rádio Sociedade da Bahia.


Segundo explicação distribuída à imprensa pelo PMDB, "os três terão comícios e outros eventos de encerramento da campanha na capital e no interior do Estado que se impuseram de última hora e dificilmente conseguiriam conciliar as suas agendas para participar do debate".


Essa desistência, dizemos nós, é muito suspeita. Como imaginar que a três dias de uma eleição tão importante os principais candidatos rejeitem a oportunidade de falar para todo o Estado através da mais potente emissora de rádio AM?



Causa pode ser síndrome de Marcos Mendes

Data: 29/09/2010
18:30:09

Por Escrito arrisca uma resposta: estão fugindo de Marcos Mendes, do PSOL, que está acusando a trinca de corrupção e favorecimento a empresas que financiam e financiaram suas campanhas. Falando ou não a verdade, o "guerrilheiro" da Liberdade está criando vigorosas saias-justas para os poderosos.


Mendes já foi tachado pelos adversários de irreverente, inconsequente, irresponsável e até parlapatão, vocábulo este considerado tão duro pelo jornalista William Waack que valeu um direito de resposta contra Geddel no debate da TV Bahia. Ofendidos prometeram ir à Justiça contra ele, o que vamos aguardar.


Porém, independentemente da verdadeira motivação para tão inusitado entendimento entre renhidos competidores, rompem eles um acordo com a emissora, causando-lhe transtornos e prejuízo e dando uma ideia de como agem no cumprimento de compromissos.



Geddel sonha em virar cisne no domingo

Data: 29/09/2010
18:27:58

O deputado Geddel Vieira Lima é um profissional que dá sempre a impressão de que sabe toda a teoria e prática da política e da administração. Inicia a resposta a qualquer questionamento com um ar de tranquilidade de quem tem a certeza de que em pouco tempo o interlocutor estará convencido de sua tese.


Em encontro com jornalistas, ontem, respondeu sobre o golpe representado pelo recente apoio de Dilma Rousseff a Jaques Wagner na Bahia. A própria presença, ao seu lado, do presidente do PMDB e vice de Dilma, Michel Temer, demonstrava a correlação - e a contraposição - entre os dois atos políticos.


Tido como o patinho feio da campanha, aquele cujos encantos não são de pronto reconhecidos, o candidato segue resoluto, discretamente esperançoso naquilo que acredita ser o produto natural do trabalho que desenvolve: a ida ao segundo turno, conduzido pela "maioria silente" que falará no próximo domingo.


Entre esses que estariam preferindo reservar-se para o momento da urna, escondendo suas opções, estariam os servidores públicos, sujeitos a pressões que se imaginavam extintas, mas "as coisas não mudaram tanto como se diz". Instado a informar se está havendo perseguições, afirmou: "É o que ouço falar".



Sentimentalismo facilita digestão de sapo

Data: 29/09/2010
18:25:25

Sobre pessoas ligadas ao PMDB que estariam anunciando a ida para a candidatura de Marina Silva, o candidato ressaltou que o partido "é feito de homens e mulheres livres" e que não lhe cabe "controlar o voto de ninguém". Entretanto, com sua "história de firmeza nos compromissos", vai "pedir e recomendar o voto em Dilma" porque é o nome apoiado nacionalmente pelo partido.


De sua parte, a participação de Temer, a quem considerou "amigo e companheiro de jornada política", além de "liderança nacional inconteste", vincula-o de forma incontornável à chapa presidencial. O candidato explicou também que a propaganda de Dilma não saiu de sua campanha, como se aventou na conversa: "Apenas, em algumas peças, resolvemos privilegiar o 15 nesta fase final".


Geddel disse que o envolvimento de Lula e Dilma na campanha baiana rompe um acordo, mas preferiu minimizar o significado. "O presidente Lula é uma pessoa sentimental e falou mais forte a opção partidária. Eu o compreendo porque também sou um sentimental". Houve risos, é claro.



Candidato tem pedido pouco a João Henrique

Data: 29/09/2010
18:23:32

O prefeito João Henrique foi uma surpresa. Alinhado aos principais do encontro - além de Temer e Geddel, o senador César Borges e o ex-governador Moreira Franco, do Rio -, João foi presa fácil da imprensa. Um jornalista quis saber se ele está engajado na campanha de governador e ele disse que sua presença no evento era "prova melhor do que mil palavras".


Houve insistência sobre o pouco empenho demonstrado no apoio a Geddel, já que nem mesmo no horário eleitoral apareceu. O prefeito explicou que tem muitas responsabilidades no cargo, embora, como observou um jornalista, esteja até viajando ao interior para reforçar a candidatura de sua mulher, Maria Luiza, a deputada estadual.


Julgando que João Henrique fugia a seu estilo do discurso torrencial, outro repórter estranhou que o prefeito estivesse "sendo muito econômico nas palavras num tema dessa natureza". Foi quando Geddel veio em seu socorro - de João e dele mesmo: "João Henrique está fazendo tudo que eu lhe peço. Se ele não fez algo, é porque não lhe pedi". E convidou a turma para o almoço.



Peso e medida

Data: 29/09/2010
18:22:38

Supostamente vencedor, com Dilma, da eleição presidencial de domingo, Michel Temer demonstrou a sagacidade que deve ter contribuído para levá-lo tão longe. Um repórter quis saber se ele acreditava mesmo na possibilidade de segundo turno na Bahia: "Se não me atrevo a dizer que não haverá segundo turno na eleição de presidente, quanto mais na eleição daqui".



Condecorações ao peito

Data: 29/09/2010
18:19:12

Temer abriu o bate-papo com a imprensa fazendo questão de esclarecer que veio à Bahia "na condição de presidente nacional do PMDB e candidato a vice-presidente da República" para manifestar apoio à candidatura de Geddel a governador e "para registrar que, se ganhar, para ele estarão abertas as portas do governo federal".


O deputado, que também é presidente da Câmara, refutou a ideia de que sua vinda visasse acabar um "mal-estar" causado pelo apoio de Dilma a Wagner. "Assim, pelo fato de eu ser vice na chapa, também representaria um mal-estar apoiar Geddel, o que não é o caso".



Dureza com hora marcada

Data: 29/09/2010
18:16:47

O governador Jaques Wagner voltou a ser a vítima preferencial dos adversários no debate da TV Bahia. Independentemente dos erros e acertos do governo, quatro contra um "é covardia", como se dizia nas brigas desproporcionais da infância.


Como se não bastasse explicar-se sobre problemas do Estado quando perguntava ou quando respondia, tinha de ficar assistindo aos concorrentes "debaterem" entre si sobre mais mazelas ainda, todas elas, obviamente, por "culpa do governo".


Por exemplo, quando Paulo Souto provocou Luiz Bassuma sobre saúde, e este, depois de bater muito, disse que "a saúde pública na Bahia é um caso de UTI, mas nem UTI tem". Palavras, digamos, imprecisas, que fazem efeito na cabeça do eleitor.


Embora fosse uma boa solução, Wagner não poderia deixar de ir ao debate, sob pena de macular seu maior patrimônio - o "espírito democrático e republicano" que a todos ilumina na "nova política baiana". Talvez a opção fosse encarar um adversário de cada vez, mas isso as emissoras não iam topar.



Ampla contestação

Data: 29/09/2010
18:15:21

Alguns temas em que o governador, direta ou indiretamente, sofreu ataques poderosíssimos: encaixotamento de equipamentos de segurança, criação de pedágios, não-estadualização do metrô, política cultural, extinção de programas do governo anterior, contratação sem concurso público, aumento do trabalho infantil e falta de ação.


Em muitos não deu resposta convincentes, mas, mesmo nos casos em que se contrapôs à altura, isso pouco adiantou. Por mais que o acossado tenha argumentos para rebater, predomina a onda necessariamente negativa que se forma sobre a imagem do governo.



Onde mora o perigo

Data: 29/09/2010
18:13:17

Em sua vocação natural de alvo, Wagner se enrolou na resposta a Geddel sobre a promessa não cumprida de construir casas para que os policiais pudessem morar longe dos bandidos que combatiam. A desculpa da "tecnologia moderna de segurança" não poderia colar.


Mas o governador ganhou um ponto importante ao contestar o que estava implícito no raciocínio do adversário: bairros populares não são sinônimo de morador bandido. Quem mora na periferia e eventualmente estivesse vendo o debate não ia gostar muito da comparação de Geddel.



Isso é que é progresso

Data: 29/09/2010
18:12:15

Desde o debate anterior, o número de homicídios no governo Wagner segundo Paulo Souto caiu de 19 mil para 18 mil.



Só vou se você for

Data: 29/09/2010
14:20:46

O tricô entre Paulo Souto (DEM) e Luiz Bassuma (PV) já é caso pra ciúme.



Somos da turba tricolor

Data: 28/09/2010
09:25:38

O leitor Hilberto Lima protesta porque esperou "horas" para estacionar no Iguatemi na manhã de ontem e depois constatou que o problema era causado por "uma imensa fila de gente, debaixo desse sol brabo de início de verão na terra, e pra quê? Entrar numa loja chamada Torcedor do Bahia para comprar bagulho". Dizendo-se "estarrecido", o leitor não aceita que, "depois, a sociedade se queixe das mazelas".


Permita-nos, porém, um raciocínio: a perspectiva da volta do Bahia à Série A do Campeonato Brasileiro torna-se o fato mais importante do ano, mesmo que a decisão eleitoral, para a qual pouca bola se dá, venha a ser prejudicial ou mesmo nefasta à população.


Mas o Estado não perde de todo. Com o Bahia na "Primeirona", e levando em conta a quantidade e a extrema paixão de seus torcedores, haverá uma felicidade coletiva, patrimônio imaterial que a partir de 2011 terá reflexos positivos no crescimento da economia, pela maior produtividade, e na redução da violência, porque, estatisticamente, deve haver mais bandidos tricolores.



Borges x Lula

Data: 28/09/2010
09:24:02

Fora o instituto de pesquisa predileto, a batalha decisiva pelas duas vagas baianas no Senado Federal tem outra diferença.


César Borges (PR), ressalta seu trabalho como governador e senador, credita-se o advento da Ford e ainda fala em "independência", ao referir-se aos votos favoráveis que deu para o fim da CPMF e aumento de 7,7% aos aposentados, em ambos os casos derrotando o governo.


Lídice da Mata (PSB) e Walter Pinheiro (PT) puxaram o freio de mão das propostas e se concentram na história do "time de Lula". São incontáveis as vezes em que o presidente da República disse nesta campanha que Dilma vai precisar de Pinheiro e Lídice no Senado.



PSOL contra a ''certificação''

Data: 28/09/2010
09:22:18

A avaliação de desempenho de professores do Estado para concessão de avanço salarial, tema que vem sendo tratado com freqüência na campanha eleitoral, agora é motivo de ataque do PSOL à APLB-Sindicato, controlada pelo PCdoB, aliado do governo petista.

 
Hilton Coelho, candidato do partido a deputado estadual, disse que "é vergonhoso" que a entidade representativa dos professores opte "por ficar ao lado do governador Jaques Wagner em lugar de defender a categoria".


A chamada "certificação", cujas fichas de inscrição foram rasgadas recentemente por professores no horário eleitoral, foi defendida pela APLB em mensagem publicada na imprensa, Coelho pergunta "como ser favorável a um ato governamental que beneficia apenas três mil pessoas num universo de 50 mil, sendo 20.545 os inscritos?"



Pelas cotas raciais

Data: 28/09/2010
09:21:16

Eleição na boca, o deputado Bira Corôa não vacila: revalidou suas críticas ao Estatuto da Igualdade Racial, que foi sancionado pelo presidente Lula apesar dos protestos da comunidade negra, que não aceita o acordo feito no Congresso com relação às cotas para negros e às terras dos quilombolas, consideradas "questões de suma importância". Bira pediu em carta ao presidente que não sancionasse a lei.



Informação e excesso de pressa

Data: 28/09/2010
09:19:27

Depois de 24 horas de desinformação de diversos canais abertos e fechados, durante as quais o governo do presidente Hugo Chávez teria perdido a "maioria absoluta" na Assembleia Nacional ao eleger 98 entre 165 deputados, finalmente coube ao Bom Dia Brasil da manhã de hoje consertar a notícia.


Não exatamente o telejornal, mas sua colunista Miriam Leitão, que até precisou repelir a repetição do erro pelo âncora Renato Machado para dizer que se trata de perda da maioria qualificada, no caso de dois terços, que retirará de Chávez, na prática, sua prerrogativa de legislar. A pressa antichavista geral resultou na barriga.

 
Num parlamento, uma bancada pode exercer ainda dois tipos de maioria. Quando tem, no plenário, metade mais uma das cadeiras, constitui a maioria absoluta verdadeira. Abaixo disso, mas permanecendo majoritária, tem a maioria simples.



À Ricupero

Data: 28/09/2010
09:18:37

Currículo, às vezes, atrapalha. Por isso o candidato ao Senado pelo PTB, Edvaldo Brito, não destaca em sua propaganda que foi secretário de Negócios Jurídicos do prefeito Celso Pitta, de São Paulo, durante quatro anos, sob as bênçãos de Paulo Maluf.



Tabuada

Data: 28/09/2010
09:17:59

Só uma coisa não se entende muito bem na propaganda de Paulo Souto: se Jaques Wagner perdeu cinco pontos em certa pesquisa e ele, Souto, subiu cinco, como a diferença entre eles pode ter caído 12 pontos?



Reincidente

Data: 28/09/2010
09:16:53

O ministro Temporão (PMDB) escancarou de vez. Agora veio à Bahia apoiar a candidatura a deputado estadual de Alfredo Boa Sorte, do PCdoB. Desta vez não tem desculpa num tribunal de ética: seu partido tem candidatos a esse cargo no Estado.



Pesquisas ameaçam o processo eleitoral

Data: 27/09/2010
10:15:07

A legislação e os tribunais existem para garantir a integridade das eleições, cuidando para que o voto se liberte da influência do poder econômico, do uso de recursos públicos, da ameaça de violência e de tudo mais que possa impedir ou desvirtuar a essência da manifestação popular.


Mas nem assim o processo eleitoral consegue se ver livre das pesquisas, que anos antes de um pleito, quando começam a dar seus primeiros palpites, balizam a pauta das empresas jornalísticas e os comentários e opiniões de seus principais articulistas, que dão ares de verdade absoluta a números que, a rigor, ninguém sabe como foram produzidos, muito menos com que interesses e objetivos.


A emissão indiscriminada e descontrolada das pesquisas é, claramente, um fator de distorção das campanhas, criando e derrubando candidatos com a crédula divulgação que recebem da mídia. Especialmente num país de baixo desenvolvimento educacional e político, em que a derrota de seu preferido equivale, para muitos, a "perder o voto", o efeito é decisivo.



Políticos gritam tarde contra influência maléfica

Data: 27/09/2010
10:12:30

Na semana final da campanha eleitoral aparecem as críticas às pesquisas, seja de coligações, oficialmente, em seu horário de rádio e TV, seja de candidatos a distribuir avulsamente mensagens de dúvida sobre a correção técnica e até a honestidade das aferições feitas pelos vários institutos.


Exemplos do passado, na Bahia e em diversos outros Estados, deveriam ter sido suficientes para levar o segmento político, quando nada pelo seu próprio interesse, a mobilizar-se para discutir a relação pesquisa-eleição e decidir se o espírito da lei está ou não sendo violado por essa ação.


Não se trata de defender a supressão pura e simples das pesquisas, mas é gritante a necessidade de que haja algum tipo de regulamentação para sua existência. Entre os objetivos a serem alcançados, a transparência completa dos métodos e execução do trabalho, informação dos contratantes e restrição da publicação em certo período imediatamente anterior ao pleito.


Políticos que nos últimos meses, comentando resultados de pesquisas, preferiram defini-las ora como "fotografia do momento", ora como produto do desconhecimento do eleitor sobre suas propostas, agora se rebelam contra números francamente desfavoráveis e que foram construídos como uma realidade intangível.



Resultados controversos na campanha ao Senado

Data: 27/09/2010
10:10:53

Particularmente na Bahia, as pesquisas têm apresentado resultados discutíveis, dos quais o mais evidente diz respeito às eleições para o Senado. Duas pesquisas dão Walter Pinheiro (PT) na liderança, seguido por Lídice da Mata (PSB) e, na lanterna, César Borges (PR).


Mas, segundo o instituto mais acreditado no meio político, é Borges o mais cotado, com Lídice em segundo e Pinheiro em último lugar. Por isso a campanha de Lídice e Pinheiro anuncia os números do Ibope e do Vox Populi, enquanto a de Borges prefere a do Datafolha.


A persistirem os índices nas próximas pesquisas, que se imagina serão feitas até o dia da eleição, uma ou duas dessas organizações terá errado a previsão, o que poderia ser relevado se não estivesse em jogo a escolha, pela população, das pessoas que representarão o Estado por oito anos no Senado Federal, com todas as responsabilidades e prerrogativas inerentes.



''Nas pesquisas, o virtual deleita a imprensa''

Data: 27/09/2010
10:08:44

Por Escrito trata dessa matéria há muito tempo. Sob o título acima, publicou, em 26 de dezembro de 2009, o texto seguinte:


"Ao longo de muitos anos, podemos dizer, de décadas, duas coisas são absolutamente certas: as pesquisas eleitorais, ouriçando regularmente partidos e candidatos, e as muitas pesquisas eleitorais que vão ser desmentidas nas urnas.

 

"Na falta do que fazer, deleitamo-nos, nós, homens e mulheres de imprensa, em acolher, avaliar, comentar, divulgar e atestar índices de preferência estabelecidos por processos que desconhecemos absolutamente.

 

"E não há pesquisa que não possa ser interpretada favoravelmente por todas as partes, umas festejando eventuais números vantajosos, outras curtindo seu 'viés de crescimento', muitas vezes de um ponto percentual, como todos vemos religiosamente a cada divulgação.

 

"Os políticos estão no seu papel: correr atrás de números que os favoreçam no estímulo ao eleitorado e financiadores. Os jornalistas é que assombrosamente surpreendem quando tomam as pesquisas como material essencial de trabalho".



Hoje em dia, só urna é bicho misterioso

Data: 27/09/2010
08:51:49

O deputado Heraldo Rocha (DEM) inspirou-se em antiga sentença da chamada sabedoria popular para dizer que "pesquisa eleitoral não é ultra-sonografia", portanto não pode revelar com antecedência o resultado de uma eleição, como esse exame faz com relação não só ao sexo, mas a diversas outras características dos bebês ainda em gestação.


"De barriga de mulher, cabeça de juiz e urna ninguém sabe o que vai sair", dizia-se antigamente, e as eventuais surpresas confirmavam a validade da afirmação. O progresso tecnológico na medicina, no entanto, veio para destruir uma "verdade histórica", e a mulher teve de ser retirada do ditado.


O que não se imaginava é que, inversamente, a sociedade fosse regredir do ponto de vista moral e institucional, chegando a uma época em que há juízes que vendem sentenças, até em tribunais superiores, sem que sejam punidos devidamente pelo crime.


Nesse caso, a depender de suas reservas financeiras, um litigante pode contar com a possibilidade de saber antecipadamente que decisão tomará um magistrado em sua causa, naturalmente que a favor. Ao deputado Heraldo resta o consolo de que as urnas, apesar das pesquisas, continuam podendo fazer uma surpresa de vez em quando.



Democracia movida a charada

Data: 25/09/2010
14:36:39

Na noite da última terça-feira, o vereador Pedro Godinho (PMDB) fez um evento no restaurante Coliseu, orla marítima, para anunciar seu apoio aos candidatos César Borges (PR), ao Senado, e Maria Luiza Carneiro (PSC), à Assembleia Legislativa.


Borges listou seus feitos como governador e senador e, em gesto elegante ante tão seleta plateia, disse que ali não pedia voto, mas que fosse avaliado seu trabalho e que o merecimento, se fosse o caso, disso decorresse.


A deputada Maria Luiza, primeira-dama de Salvador, foi na direção oposta. Declarou não ser demagoga e que estava ali para pedir votos, sim, na eleição de 3 de outubro. E para não deixar dúvida sobre sua clareza, completou com um pedido para que não se votasse "em Geddel".


A sequência foi encerrada pelo prefeito João Henrique (PMDB): "Tá vendo, gente, a democracia é assim mesmo". E deixou como uma charada para os ouvintes: "Tanto que eu tenho um candidato a governador e minha mulher tem outro".



Possibilidades indecifráveis

Data: 25/09/2010
14:35:20

Especialistas em enigmas presentes deram-se à tarefa de discutir o significado das palavras do prefeito, mas nem depois de muito conversar unificaram a conclusão. Todos concordam com o raciocínio lógico: se Geddel Vieira Lima não é o candidato dele nem da mulher, sobram Jaques Wagner e Paulo Souto.


A questão é definir quem está com quem. As opiniões se dividem mais uma vez, com uma parte acreditando na aliança Maria Luiza-Souto, via ACM Neto - por consequência João Henrique ficando com Wagner, via João Durval -, e outra achando que não é nada disso, que os dois estão com um só, que ninguém sabe quem é.



Debate público

Data: 25/09/2010
14:33:49

Lúcio Vieira Lima (PMDB), de cuja futura votação se dizem maravilhas, fazia inflamado comício em Casa Nova, no nordeste do Estado, quando viu passar pela praça o vereador João Honorato (PSDB), dissidente tucano, aliado do deputado wagnerista Marcelo Nilo (PDT).


Lúcio bradou: "João Honorato, você está aqui de olheiro. Diga a Jaques Wagner quanta gente tem aqui no meu comício". Flagrado na espionagem, Honorato passou recibo, e antes de seguir seu caminho fez gesto de juntar o polegar e o indicador para reduzir a dimensão do público.



Quase xará

Data: 25/09/2010
14:33:08

O deputado Clóvis Ferraz (DEM) precisa dar uma providência. Numa de suas propagandas na televisão saiu grafado "Clovez".



Faltou pegada

Data: 25/09/2010
14:32:05

"Eu apoio aqui o Jaques Wagner. O Geddel atualmente, nas pesquisas, não está bem situado. Tudo indica que a disputa ficará entre os dois primeiros". As palavras de Dilma Rousseff em sua última passagem em Salvador, além do furor que causaram nas hostes peemedebistas, têm outro aspecto a ser considerado.


Como boa companheira, e já que estava mesmo disposta a desancar Geddel, Dilma deveria ter dito assim: "Eu apoio Jaques Wagner, que é o candidato do nosso lado que vai vencer no primeiro turno, segundo as pesquisas". Pode parecer que Dilma tenha alguma informação privilegiada sobre a eleição baiana, mas o mais certo é que tenha falado mesmo por "inexperiência".



Reta final do Senado terá campanha silenciosa

Data: 24/09/2010
11:11:56

Com relação ao comentário postado ontem sob o título "Pinheiro e Lídice em momento de decisão", ficou mais claro, segundo o instituto Datafolha, o cenário para o Senado, com César Borges (PR) e Lídice da Mata (PSB) na liderança, empatados tecnicamente, enquanto Walter Pinheiro (PT) apresenta sinais de recuo.


A semana final de propaganda, portanto, será de guerra na área governista. Tanto de guerra aberta contra o adversário histórico Borges, que parece ter alcançado um patamar de estabilização, quanto de guerra intestina, surda, porque Lídice, de aliada, passa a adversária de Pinheiro, aquela que poderá tirar a vaga dos petistas.


Fala-se muito em "casamento" e "companheirismo", mas esse argumento não resiste a uma observação. A pretensão senatorial de Lídice foi inicialmente rejeitada pelo PT, até com injunções públicas do presidente regional, Jonas Paulo, somente consolidando-se seu nome após o fracasso da aliança "à direita" com o próprio Borges.


No início da campanha, foi preciso que a candidata manifestasse preocupação com a falta de unidade na propaganda, no que foi secundada pelo seu lugar-tenente, Domingos Leonelli. O marketing afinal se ajustou, mas nada assegura que os pinheiristas, diante da dureza dos números, topem ir democraticamente para o sacrifício.



Boca de espera

Data: 24/09/2010
11:10:36

No recente ato de entrega do título de cidadão de Salvador à candidata presidencial Marina Silva, o vereador Alcindo da Anunciação fez nova manifestação sobre a possibilidade de trocar o PSL pelo PV.


O presidente do PSL, Toninho Olívio, não está gostando dessa conversa e anunciou que "as portas estão abertas" para quem quiser sair, com a lembrança de que "os mandatos eletivos pertencem aos partidos, conforme resolução do Supremo Tribunal Federal".


O primeiro suplente do PSL na Câmara Municipal é Plácido Faria. No momento, ele ocupa a cadeira porque o vereador Alan Castro (PTN), que foi eleito pela mesma coligação, licenciou-se para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. Plácido está doido para ser efetivado.



Apoio declarado

Data: 24/09/2010
11:09:24

Apoiadora firme nesta eleição quem tem é o deputado federal Jorge Khoury (DEM). Ontem, no restaurante da Assembleia Legislativa, a vereadora de Nova Ibiá Zenóbia Castro Santana anunciava "sem medo de errar" que o candidato sairá da região do Baixo Sul com "15 mil a 20 mil votos".


Sua base mais forte seria o município de Wenceslau Guimarães, onde tem o apoio da prefeita Suzete Nascimento e de seu marido, o ex-prefeito Carlos Durval Leão, mas os votos virão também de Teolândia, Nilo Peçanha, Gandu, Igrapiúna, Cairu e, é claro, Nova Ibiá.



Fonte inesgotável

Data: 24/09/2010
11:07:57

Leitores encaminham mais nomes de candidatos que herdam dos pais ou outros parentes a vocação eleitoral. No item "mulher de prefeito", destacam a petista Luiza Maia, casada com Luiz Caetano (Camaçari) e candidata a deputada estadual, com a ressalva de que ela tem trajetória pessoal como vereadora e, hoje, presidente da Câmara.


Entre os filhos de ex-deputados estão Leur Junior, filho de Leur Lomanto, e Virgínia Hagge, filha de Michel Hagge, também ex-prefeito de Itapetinga. Completa a lista Tom Araújo, ex-prefeito de Coité, que tenta a Assembleia com o beneplácito do sogro, o deputado Emério Resedá, que desistiu da reeleição.




Página Anterior    Próxima Página