Salvador, 17 de dezembro de 2017

Bacelar continuará secretário da Educação

Data: 31/10/2012
22:03:22

Fonte próxima ao prefeito eleito, ACM Neto (DEM), assegura: “Só há um nome definido para o secretariado, foi o único acordo que o candidato fez – para ganhar a eleição”.

Indagado especificamente, confirmou tratar-se do atual secretário, João Carlos Bacelar, deputado estadual licenciado e presidente do PTN, partido que participou da coligação de Neto, elegendo seis vereadores.

O compromisso tem prazo de validade: um ano e três meses, pois em abril de 2014 Bacelar deixará o cargo para disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados.



Radialista assumirá mandato

Data: 31/10/2012
22:02:19

Por consequência, o radialista Uziel Bueno está a dois meses de ingressar num sistema mais bruto do que o que ele alardeia em seus programas de televisão.

Segundo suplente do PTN, pode tranquilamente mandar fazer o terno para a posse na Assembleia Legislativa, porque o primeiro suplente, Luizinho Sobral, que está exercendo o mandato, assumirá a Prefeitura de Irecê.



Tá emplacado

Data: 31/10/2012
22:01:27

“Neste momento, não seria ético nem educado da minha parte aceitar um convite que não foi formulado. Eu quero deixar o prefeito ACM Neto à vontade para escolher quem vai ser o secretário da Educação de Salvador”.

A declaração, hoje, numa emissora de rádio, é do secretário Bacelar, o que significa que ele ficará no cargo. Do contrário, não daria a entender que “espera” o convite nem precisaria deixar o prefeito “à vontade” para a escolha. Descartaria a hipótese e só.



Neto vai mudar relação com a Câmara

Data: 31/10/2012
22:00:10

Certo de que poderia ter grandes problemas – políticos e de gestão – se decidisse manter com a Câmara Municipal o tipo de convivência culturalmente consagrado, baseado no favorecimento e no clientelismo, o futuro prefeito vai implementar um novo modelo de relação com os vereadores.

Membro do comitê da campanha com efetiva participação no processo de transição que se inicia afirmou a Por Escrito que Neto agirá “como fazia ACM com os deputados, prestigiando politicamente e fortalecendo cada um em suas bases”.

Com isso, segundo ele, os parlamentares tinham boas condições eleitorais e só precisavam gastar com material de propaganda. “Vai acabar essa história de lideranças na folha da Prefeitura. Vereador vai ter apoio com obras e serviços nos bairros onde são votados”.

A fonte disse que a “estrutura viciada” hoje existente faz com que as campanhas custem “fortunas”, e que o novo prefeito vai mudar essa prática. “Os vereadores, além do apoio que receberão em suas bases, terão um valor definido em emendas para que possam levar obras aos locais que desejarem”.



Saindo de baixo

Data: 31/10/2012
21:57:48

Não há compromisso de ACM Neto para aprovar as contas do prefeito João Henrique em tramitação na Câmara, mesmo porque a maioria dos vereadores foi derrotada e é muito difícil controlar o voto deles numa hora dessas. Neto não pretende ter a menor relação com a atual legislatura.



Nilo não volta à Assembleia em 2015

Data: 31/10/2012
21:56:50

O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), não vai tentar renovar seu mandato de deputado estadual nas próximas eleições. Em conversa com o jornalista Itamar Ribeiro, que postou a notícia em seu site, ele disse que pretende disputar o governo do Estado em 2014.

Nilo, que comunicou sua intenção ao governador Jaques Wagner, reconhece, segundo o jornalista, o peso de outras candidaturas da base governista, tendo citado os senadores Walter Pinheiro (PT) e Lídice da Mata (PSB) e os secretários José Sérgio Gabrielli e Rui Costa, ambos do PT.

Por isso, não sendo possível viabilizar seu nome, o parlamentar buscará uma vaga na chapa majoritária para concorrer ao Senado. Caso também não seja bem-sucedido, articulará sua indicação para conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.



Conselho avalia eleições

Data: 31/10/2012
10:56:04

O governo do Estado começa a juntar os cacos do resultado eleitoral amanhã, às 9 horas, no Hotel Stella Maris, onde se reunirá o conselho político, formado por oito partidos da base eleita em 2010.

Apesar do discurso ufanista com base no número de prefeituras, a realidade é que o governo perdeu na metade dos 12 maiores municípios e, sobretudo, nos dois de maior expressão – Salvador e Feira de Santana.

Essas reuniões, presididas pelo governador Jaques Wagner, costumam ter a participação de dois representantes de cada legenda – PT, PDT, PHS, PSL, PTB, PR, PSD, PSB e PP. Amanhã, entretanto, espera-se comparecimento mais amplo.



Na preamar

Data: 31/10/2012
10:55:05

O presidente do PT, Jonas Paulo, costuma citar os 92 prefeitos que o PT elegeu no primeiro turno, totalizando 1 milhão 874 mil votos. Mas no íntimo sabe que quase todos, como os mais de 70 do PSD, fazem parte daquela maioria fluida que desce e sobe com a maré.



Contrato de risco

Data: 31/10/2012
10:54:21

Sempre presente aos encontros do conselho, Jonas Paulo, outro dia, foi saudado como “companheiro” pelo ex-deputado Clóvis Ferraz (PSD). E assim será se a sucessão não os separar.



Redução de gastos é vital para novo prefeito...

Data: 31/10/2012
10:53:44

O anúncio do prefeito eleito, ACM Neto, de que buscará reduzir em 20% as despesas com cargos de confiança, terceirizações e pagamentos a empresas, corresponde a um compromisso que assumiu na campanha, justificando a medida, na época, com a necessidade de ter recursos para os serviços emergenciais na cidade.

Sendo verdadeira a informação agora veiculada na imprensa, de que despesas dessas rubricas somam em torno de R$ 45 milhões por mês, tal economia resultaria na disponibilidade, em um ano, de R$ 128 milhões, bem mais que os R$ 100 milhões que a propaganda eleitoral disse ter a cidade para investimento.

A realidade brasileira de um serviço público altamente afetado pela corrupção e pelo desperdício permite dizer que o prefeito poderá obter muito mais dinheiro para realizar seus projetos se tomar outras medidas eficazes – a primeira delas, uma rigorosa auditoria das finanças públicas, seguida de fixação de normas para vedar os ralos existentes.

O novo prefeito vai precisar desse aporte para os meses iniciais da administração, que terão de ser de intenso trabalho, com resultados que mobilizem e estimulem a participação da sociedade. Seria de alto grau de civilidade a cooperação efetiva do governo do Estado, mas a realidade dura da política não deixa antever essa alternativa.



...e a propaganda não pode ser esquecida

Data: 31/10/2012
10:51:47

Consideramos tão importante uma medida dessa natureza na gestão da Prefeitura que publicamos, no dia 8 de agosto, após a promessa do candidato, a nota “Publicidade e cargos, dois cortes sob medida”, não sem certa incredulidade, porque poderia haver obstáculos na área política e na familiar.

No primeiro caso, Neto reafirmou que não está comprometido com partidos, e assim não terá de manter cargos para serem preenchidos com apoiadores de campanha que, em geral, nenhuma contribuição darão ao município e à população. Quanto à propaganda, o novo prefeito, que é sócio da maior emissora de TV do Estado, não se pronunciou.

Não se trata de satanizar os gastos com publicidade, mas eles certamente têm de ter uma medida. É criminoso derramar o dinheiro do contribuinte com uma presença diária do governo em toda a mídia, muitas vezes de forma enganosa e – sejamos claros – com o fim único de endeusar o governante, embora a cínica legislação proíba a veiculação de seu nome.



Guanambi despoliciada

Data: 31/10/2012
10:50:19

O prefeito reeleito de Guanambi, Charles Fernandes (PP), pediu ao secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e ao comandante da Polícia Militar, Alfredo Castro, a revisão de critérios de transferência da PM, que reduziu este ano de 72 para 35 o efetivo do município.

Com 89 mil habitantes, Guanambi é sede do 17º Batalhão da PM, que dá segurança a uma região com 18 municípios. Com o deslocamento de soldados, diminuiu o policiamento nos distritos, gerando pânico na população. Somente em outubro, houve 27 transferências.

No ofício que enviou às duas autoridades, o prefeito observa que tudo isso vem acontecendo “apesar dos concursos realizados” pela Polícia Militar, em que os aprovados “não têm sido lotados para atender a nossa demanda”.



Curso mostra riscos do benzeno

Data: 31/10/2012
10:48:04

O Sindipetro-Bahia, com apoio da Fundacentro, FUP e CUT-Bahia, realizará de 5 a 7 do novembro, no Hotel Villa Mar-Amaralina, um curso de 20 horas sobre a prevenção dos riscos do benzeno, voltado para cipistas, estudantes, trabalhadores e dirigentes sindicais.

A indústria do petróleo e outras 12 fábricas instaladas na Bahia usam no processo essa substância, reconhecida como cancerígena e altamente letal por organismos internacionais das áreas da saúde e do trabalho.

As inscrições pode ser feitas, até amanhã, pelo e-mail secretaria@sindipetroba.or.br. Serão palestrantes as pesquisadoras da Fundacentro-SP. Luiza Maria e Arline Arcuri, com a participação de Danilo Costa, médico do trabalho e auditor fiscal do Trabalho do MTE.



Hipotermia podológica

Data: 31/10/2012
10:45:06

As superstições têm pouquíssimo espaço no meio político, mas tem chamado a atenção a sucessão de fatos negativos em torno do presidente regional do PR, César Borges, que, direta ou indiretamente, perdeu as cinco últimas eleições de que participou.

A sina de Borges começou em 2004, quando perdeu para prefeito de Salvador, confirmou-se em 2006, com a derrota de Paulo Souto para o governo, e continuou em 2008, ao apoiar ACM Neto para a Prefeitura.

Em 2010, o pior dos golpes: no exercício do mandato de senador e tido como dono antecipado de uma das vagas em disputa, não conseguir a reeleição. O apoio a Nelson Pelegrino agora em 2012, foi, digamos assim, a cereja do bolo envenenado.



Desinflando

Data: 31/10/2012
10:42:42

A gestão de Borges no PR também não foi benfazeja. Já têm passagens marcadas para outros partidos os deputados Sandro Régis, Elmar Nascimento e Maurício Trindade, e há quem diga que o deputado João Bacelar está pertinho do guichê.



Oposição quer transparência em convênio

Data: 31/10/2012
10:42:01

Mesmo sendo a Cerb a empresa estadual competente para perfurar poços artesianos e prestar serviços de extensão de rede de água na Bahia, o governo do Estado vai gastar R$ 25 milhões contratando ONGs para realizar esse trabalho no interior.

A denúncia foi feita pelo deputado Luciano Simões (PMDB), em discurso na Assembleia Legislativa. Citando o convênio publicado no Diário Oficial, ele disse que “esses milhões são o mensalinho após as eleições”, duvidando da capacidade técnica das entidades beneficiadas.

O deputado aponta ainda a falta de informações sobre o destino dos recursos. “Como a publicidade é uma exigência legal, a oposição vai cobrar ao Ministério Público que exija da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza a publicação da sede das ONGs e as localidades a serem atendidas”.



Uma opinião a ser lembrada no futuro

Data: 30/10/2012
14:16:23

O governo perdeu a eleição em Salvador, em grande parte, por causa da tese do “alinhamento”. Agora é um de seus mais expressivos representantes e possível candidato em 2014, José Sérgio Gabrielli, que vem, por meio de um texto postado em rede social, dizer que é isso mesmo, antevendo problemas para o futuro prefeito, ACM Neto.

Diz ele: “A questão não é de perseguição ou comportamento não republicano de retaliação ao opositor que ganhou as eleições em um determinado município. A questão é a realidade difícil de diálogo entre um conjunto de partidos que deliberadamente são de oposição ao governo do Estado, e buscam se legitimar no combate a esse governo".

E mais adiante: “Nesse movimento de conflito e tensão, o governo estadual é o único que tem as condições de implementar vários dos programas previstos. O novo prefeito precisa levar em conta essa realidade de que o Estado é o principal condutor de muitas da soluções dos problemas para o povo da cidade. Não é do feitio da coligação vencedora com tradição oligárquica e autoritária”.

Depois de citar a falta de capacidade de investimento da Prefeitura e o orçamento de R$ 4 bilhões, insuficiente para “obras estruturantes”, o ilustre planejador-mor da Bahia duvida que “ferozes opositores” possam promover uma “ação harmônica” com os governos federal e estadual, enquanto, aos “partidos que apoiaram Pelegrino (…) só resta a oposição ao novo governo” municipal.



Erros múltiplos

Data: 30/10/2012
14:13:52

Foi o secretário Rui Costa quem “vendeu” ao governador Jaques Wagner a ideia do endurecimento com a greve dos professores, que durou quatro meses, constituindo-se, talvez, no maior fator de desgaste do governo, com forte reflexo na derrota de Nelson Pelegrino em Salvador.

Por sua vez, o PCdoB não julgava que o movimento fosse enfrentar tamanha resistência, entendendo que prevaleceria a linha da negociação, mas as contradições se acirraram, o partido ficou dividido e viu outras legendas da esquerda assumirem o controle que imaginava exclusivamente seu.



Azi substituirá Neto na Câmara

Data: 30/10/2012
14:11:52

O prefeito eleito de Salvador, ACM Neto, revelou-se especialmente muito grato a dois deputados federais que “mais trabalharam na campanha”, Jutahy Júnior (PSDB) e Maurício Trindade (PR). Mas seu candidato principal à Câmara dos Deputados em 2014 é Paulo Azi (DEM), líder da oposição na Assembleia Legislativa.



As transferências que não vieram

Data: 30/10/2012
14:10:56

O resultado da eleição em Salvador deixou claro que não existiu um relação direta entre entre os votos dos candidatos derrotados no primeiro turno e a destinação que tiveram no segundo.

Em números redondos, para melhor compreensão, Neto e Pelegrino tiveram 40% cada um, seguindo-se Mário Kertész (9,5%), Márcio Marinho (6,5%), Hamilton de Assis (2,5%) e Da Luz (1,5%), totalizando os 20 pontos percentuais restantes de votos válidos.

Vale ressaltar que a abstenção subiu em 1,5 ponto entre os dois turnos, enquanto os votos em branco e nulos, somados, caíram de 14% para 9%, o que dá um balanço final, nessas categorias, de 3,5 pontos a mais de votos válidos.

Como Neto venceu a eleição com 53,5%, ele acrescentou 13,5 pontos a sua votação, entre os 23,5% disponíveis, enquanto Pelegrino, que chegou com 46,5%, somou apenas 6,5 pontos.



Relatório

Data: 30/10/2012
14:09:32

A deputada Maria del Carmen (PT) entregou hoje o relatório semestral de atividades da Subcomissão de Desenvolvimento Urbano, da qual é coordenadora, ao presidente da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Tom Araújo (DEM).

No documento, de 134 páginas, a parlamentar relata atividades desenvolvidas no primeiro semestre de 2012, incluindo seminários, audiências públicas e sessões especiais, além de encaminhamentos dos diferentes temas abordados, no âmbito das políticas de desenvolvimento urbano.



Falha criticada

Data: 30/10/2012
14:08:27

O erro do instituto Babesp, que previu a vitória de Nelson Pelegrino no segundo turno com 1,4 ponto de vantagem – a margem de erro era 3,1 – foi muito criticado por deputados da oposição.

Um deles, que pediu sigilo de seu nome, disse que foi “um serviço que Marcelo Nilo prestou ao governador Jaques Wagner”, visando reforçar sua postulação ao quarto mandato de presidente.



Aposta redentora

Data: 30/10/2012
14:07:29

A propósito, a divulgação dos números do chamado DataNilo suscitou uma dúvida: o deputado colocaria em xeque a credibilidade do seu instituto, apontando índices tão diferentes dos que viriam a ser revelados pelas urnas?

O deputado Elmar Nascimento acha que sim, e, nesse contexto, a aposta de R$ 50 mil que Nilo fez com Paulo Azi teria tido o objetivo apenas de fazer crer que previsão do Babesp foi um erro puramente técnico, pois ele não arriscaria tanto dinheiro se não tivesse convicção.



Nem Lula apanhou tanto

Data: 30/10/2012
14:06:23

A deputada Luiza Maia (PT) fez um pronunciamento consolando o candidato derrotado à Prefeitura de Salvador. “Pelegrino perdeu apenas uma batalha”, disse ela, sem levar em conta que é a quarta batalha perdida pelo correligionário.



Petistas ouriçados

Data: 30/10/2012
14:05:25

Não é só o PSD que se reúne na próxima semana para discutir a eleição de presidente da Assembleia. O PT, também.



Nova chance para Gaban

Data: 30/10/2012
14:04:09

A questão sucessória na Assembleia Legislativa tem mais dois aspectos que não foram referidos nos comentários de ontem: exercendo o quarto mandato presidencial, o deputado Marcelo Nilo teria grande cacife para assumir o governo interinamente em abril de  de 2014 e eleger-se indiretamente para o mandato-tampão de oito meses.

Por outro lado, a oposição tem grande interesse na indicação do deputado Gildásio Penedo para o Tribunal de Contas do Estado, o que permitiria o retorno à Assembleia do ex-deputado Carlos Gaban, já frustrado uma vez, quando o deputado Rogério Andrade, hoje no PSD mas eleito pelo DEM, desistiu de concorrer à Prefeitura de Santo Antônio de Jesus.



Sucessão na Assembleia sob nova influência

Data: 29/10/2012
23:19:49

A sucessão na Assembleia Legislativa torna-se, naturalmente, o foco principal da política baiana, e se já se aproximava com relativa quentura, é agora levada a graus mais elevados com a eleição de ACM Neto para prefeito de Salvador.

O processo está na “fase inicial” – uma maneira de dizer, considerando que aguardava a passagem do pleito para reacender-se. Mas faz parte de uma rede intrincada, que envolve, de imediato, a nomeação de conselheiro para o Tribunal de Contas do Estado, e mais adiante bate na disputa de 2014.

O presidente Marcelo Nilo, como se sabe, está no terceiro mandato e quer viabilizar o quarto, que lhe daria, além do novo exercício, papel preponderante nas negociações. Por enquanto, em tese, estão asseguradas para PT, PSD e PP as três vagas existentes, de governador, vice e senador.

Nilo coloca abertamente seu nome para o governo do Estado, com a premissa que tenha o apoio do governador Jaques Wagner. O que parecia, aos observadores, uma tática para fixar-se no cenário, é mesmo um projeto, segundo um amigo reconhecido do deputado, que, no entanto, lhe disse não acreditar que o PT o aceite.



Deputado petista faz acenos à oposição

Data: 29/10/2012
23:18:01

Nas eleições anteriores, o presidente viveu situações diversas. Inicialmente foi sagrado pelo apoio decisivo do recém-empossado governador Jaques Wagner. Dois anos depois, conjurou o perigo do PT, que chegou a reunir a bancada para lutar pelo cargo, e derrotou uma chapa da oposição, para finalmente, em 2011, alcançar o consenso e ser, como frisou na época, “o presidente mais votado da história da Assembleia”.

Desta vez, ele enfrenta vertentes variadas e poderosas, a exemplo do reincidente PT, tendo à frente o pré-candidato Rosemberg Pinto, que já teria o apoio da bancada e na sessão de hoje da Assembleia mostrou flexibilidade na análise do resultado eleitoral.

Depois de parabenizar ACM Neto e referir-se ao “espaço democrático” de Salvador, Rosemberg disse que “a população optou entre dois projetos” e que “a Prefeitura e o governo não serão adversários”.



PSD discute o tema na próxima semana

Data: 29/10/2012
23:16:37

Outro obstáculo está no PSD, que se reunirá terça-feira da próxima semana para discutir a sucessão na Assembleia. O deputado Alan Sanches defende francamente a apresentação de um nome, colocando o seu próprio à disposição dos correligionários, e, embora ressalve que não veta ninguém, acha que não pode haver um “ungido”.

“Temos bons quadros, que inclusive podem introduzir melhorias na Casa e em benefício dos funcionários, sem agressividade, dentro da democracia. Não é possível que, entre 63 deputados, não haja outro que possa dirigir bem a Casa política e administrativamente”, argumentou.

O PSD tem a segunda bancada, com 12 deputados, que no dia da eleição serão dez, já que em 1º de janeiro sairão Cláudia Oliveira e Adolfo Menezes, eleitos prefeitos em Porto Seguro e Campo Formoso, com possibilidade de serem reduzidos a nove se Gildásio Penedo for indicado para o TCE.



Cargo de conselheiro pode entrar na conta

Data: 29/10/2012
23:14:13

Aliás, esse é um dos aspectos que envolvem o processo. Há na Assembleia o sentimento de que a vaga para o Tribunal de Contas deve ser destinada a um deputado, já que a última nomeação, nas palavras de um parlamentar, foi a de um “quadro técnico externo”, o conselheiro Inaldo da Paixão.

Desta vez, não haverá o rito que dava à Mesa Diretora a prerrogativa de indicar um único nome a ser submetido ao plenário, impedindo a competição. Os candidatos serão submetidos a votação, desde que apresentados por no mínimo 20% da Casa, o que corresponde a 13 deputados.

Além de Gildásio, foram relacionados como possíveis postulantes do cargo de conselheiro os deputados João Bonfim (PDT) e Nelson Leal (PSL), mas o nome forte é mesmo o do representante do PSD, que além de amplo trânsito entre os colegas tem maior respaldo partidário.

A questão é que, perfeitamente dentro de suas prerrogativas regimentais, o presidente da Assembleia poderá querer condicionar a tramitação do nome de Gildásio a um entendimento em torno da futura eleição, pensando nos votos do PSD. Uma manobra própria da política, que, nos bastidores, se garante que já está acontecendo.



Oposição está muito ciosa de seu peso

Data: 29/10/2012
23:12:45

Nesse ponto, entra a oposição na história. Com pelo menos 16 representantes, se não forem contabilizados dois da bancada do PR, a minoria tem exatamente metade dos votos necessários à eleição do presidente, peso respeitável ante a possível divisão do plenário. Por isso, um deputado disse a Por Escrito que “a eleição de Marcelo está na mão da oposição”.

“Então os senhores prefeririam um petista a Marcelo Nilo?” – perguntou-se. Suplicando sigilo, o parlamentar disse que, com a eleição de Neto, “a coisa mudou na Bahia, a oposição agora tem um líder e seguirá a orientação dele”, admitindo a possibilidade de “um gesto de boa vontade” de Neto em relação a Wagner para o DEM ter a presidência da Câmara e o PT ficar com a da Assembleia.

Por outro lado, o próprio prefeito eleito, ao receber hoje a imprensa, adiantou que “muita gente vai se assustar” com o diálogo que ele pretende manter com a oposição municipal, usando a experiência do parlamento federal. “E vou respeitar a autonomia da Câmara. Não vou interferir nos assuntos da Câmara, a exemplo da escolha do seu presidente”, completou.



Otto poderá ser melhor opção de Wagner

Data: 29/10/2012
23:10:55

A eleição de ACM Neto em Salvador tira do governador Jaques Wagner uma das principais seguranças que ele tinha para deixar o cargo em abril de 2014 e candidatar-se a deputado federal, pois lhe reduz as chances de fazer o sucessor, pressionando-o a comandar o processo sentado na poderosa cadeira.

Essa situação já faz surgir nos meios políticos as primeiras avaliações, sendo a mais importante a de que, “se tiver juízo”, Wagner vai lançar tão cedo quanto possível a candidatura do vice-governador Otto Alencar.

A derrota de um candidato com raízes populares, como o deputado Nelson Pelegrino, demonstra que o governador não poderá escolher um nome do “bolso do colete”, condição em que se enquadrariam o secretário Rui Costa e – “pior ainda” – o secretário José Sérgio Gabrielli.



Vice tem boa estrutura e bases aflitas

Data: 29/10/2012
23:09:24

O deputado Marcelo Nilo foi citado como um político com capacidade de aglutinação e forte representação nos municípios, além de ser uma figura de expressão no Estado como presidente da Assembleia. Entretanto, Otto tem trânsito mais amplo “nos dois lados” da política baiana e “conhece muito bem o mapa político” estadual.

A candidatura de Otto, segundo comentários presentes em variados segmentos políticos, é uma realidade que se impõe à revelia do vice, que, sem autorizar articulações, apenas trabalha para reforçar sua estrutura, como na eleição de 71 prefeitos pelo PSD e mais 43 em outros partidos.

A mobilização nas bases está tão intensa que há um grupo de prefeitos do PSD atuando com um deputado para discutir os caminhos a serem trilhados até 2014, incluindo uma agência de publicidade e pesquisa para o apoio técnico necessário.



Oposição só tem nome impossível de Neto

Data: 29/10/2012
23:08:11

Até agora não se falou seriamente numa candidatura da oposição. Apesar de referências até obrigatórias nesta fase a ACM Neto, não se poderia esperar, mesmo que ele não o tivesse declarado, que o prefeito eleito cumprisse 15 meses de mandato e deixasse a Prefeitura atraído por algum canto de sereia.

Há quem defenda apaixonadamente a ideia, na certeza de que Neto fará um início de governo esfuziante e saltará aos olhos da opinião pública como a solução para a Bahia. Isso é impossível com o passivo de problemas de Salvador, sendo mais provável que a missão seja delegada a terceiros.

No DEM, um nome seria o do prefeito de Feira, José Ronaldo, que já exerceu o cargo por oito anos e deixou um legado que a população acaba de reconhecer nas urnas. Além disso, tem no ex-deputado Luciano Ribeiro (PMDB) um vice-prefeito escolhido por ele, supostamente confiável em caso de sucessão.

O partido tem ainda o ex-governador Paulo Souto, que estaria mais inclinado a disputar uma cadeira de deputado federal, e o ex-deputado José Carlos Aleluia, para um projeto em que, a princípio, a vitória não estivesse no horizonte.

Nos demais aliados, sobressai o ex-deputado Geddel Vieira Lima (PMDB), que nas prospecções iniciais em todo o Estado só está abaixo de ACM Neto, enquanto no PSDB desponta o deputado Antonio Imbassahy, com menos possibilidade de representar a unidade oposicionista.



Luiz de Deus assume mandato

Data: 29/10/2012
23:06:09

Na Assembleia Legislativa, festejou-se hoje a chegada do ex-deputado estadual Luiz de Deus (DEM) à Câmara dos Deputados, na condição de primeiro suplente, com 53 mil votos, da coligação que elegeu, em 2010, o agora prefeito eleito de Salvador, ACM Neto. Além de ex-prefeito de Paulo Afonso, Luiz de Deus exerceu quatro mandatos na Casa.



Deixe o coração mandar

Data: 29/10/2012
23:05:08

Para o deputado Elmar Nascimento, o melhor dessa campanha eleitoral foi ver Geddel Vieira Lima e Leur Lomanto Junior cantando “ô, ô, ô, ACM voltou” na festa da vitória de Neto.



Transpondo limites

Data: 29/10/2012
23:04:26

Respeitado deputado de origem carlista, hoje transitando muito bem no governo, comentou no cafezinho da Assembleia que a torcida por ACM Neto era muito maior no interior que na própria capital.



Oposição governa em duas cidades ¼ da população

Data: 28/10/2012
20:21:17

A vitória de ACM Neto (DEM) sobre Nelson Pelegrino (PT) para prefeito de Salvador aponta para uma forte mudança na política baiana, tão significativa quanto foi a chegada ao poder, em 2006, do governador Jaques Wagner, interrompendo longa permanência do carlismo no poder.

Para constatá-lo, basta considerar as eleições majoritárias estaduais e federais dos últimos dez anos, em que a cidade, praticamente em peso, deu ao PT a maioria de votos em todos os turnos disputados, sendo quatro vezes com Lula, duas com Wagner e outras duas com Dilma.

Neste ano de 2012, o mesmo eleitorado oito vezes fiel resolveu inverter as coisas, preferindo um candidato que se punha exatamente do lado oposto, com votação crescente entre um turno e outro – com o agravante de que quase todos os derrotados, à exceção de um, que ficou neutro, uniram-se contra o vencedor.

Somados ao resultado de Feira de Santana, onde José Ronaldo (DEM) levou no primeiro turno, os números da capital mostram que a oposição governará, nos dois maiores municípios do Estado, 24,3% do eleitorado e 23,5% da população.



São Paulo afasta hipótese do mensalão

Data: 28/10/2012
20:19:36

De forma simplista, poder-se-ia dizer que a causa do desastre soteropolitano foram o desgaste do PT com o mensalão e a queda de popularidade de Lula, por levar a extremos sua decantada capacidade de fazer e dizer o que quiser sem que nada o afete, como, por exemplo, a aliança com Paulo Maluf.

Mas essa tese desaba completamente diante da eleição de São Paulo, que é, a um só tempo, berço dos mensaleiros mais proeminentes, como Dirceu e Genoino, e reduto do PSDB, maior partido de oposição. E lá, por cima de tudo, o PT e Lula elegeram um “poste” de nome Fernando Haddad.

O que fica claro é que Nelson Pelegrino perdeu principalmente devido a erros e condutas de natureza estadual e municipal, típicos dos grupos tragados pela visão ilusória do poder quanto a sua aparência de infinitude.



Capital reagiu a longo abandono

Data: 28/10/2012
20:17:59

Seguindo um roteiro iniciado por Lula em 2007, Wagner assumiu o governo da Bahia com o compromisso de “evitar pirotecnias” e apagar da memória estadual o uso inopinado da força legal – o mandonismo – que caracterizava o longo período carlista.

Inaugurou práticas de convivência desconhecidas por gerações, conquistando no atacado amplos segmentos da população e, no varejo, expressivos apoios da classe política, num pacto suficiente para renovar-lhe o mandato no pleito de 2010.

Nessa nova etapa, porém, o governo não procurou os avanços que o credenciariam além do impacto inicial, privilegiando o interesse de seus partidários no retalhamento da administração e reiterando o projeto de risco que estabelecera para a conquista de Salvador desde o quatriênio anterior, ou seja, o isolamento do prefeito João Henrique.

A máquina municipal foi usada pelos petistas em interesse de seus ocupantes, não da cidade, numa relação dúbia que, com maior ou menor intensidade, permeou os oito anos do governo de João, até a recente “honra” que Pelegrino sentiria se o prefeito o apoiasse nesta eleição.




Página Anterior    Próxima Página