Salvador, 21 de outubro de 2017

PRP culpa Justiça por infidelidade partidária

Data: 31/10/2010
11:04:28

A crítica do deputado Elmar Nascimento (PR) aos pequenos partidos gerou resposta do presidente do PRP, Jorge Aleluia, que além de rebater diretamente o parlamentar estendeu suas críticas à Justiça Eleitoral, "culpada", segundo ele, da impunidade em relação aos casos de infidelidade partidária.


Na matéria "Oposicionista prevê ampla maioria do governo", postada no último dia 18, o deputado disse que era conhecida a postura de legendas menores, cuja "maioria vai logo para o governo". Aleluia perguntou: "Quantos vezes Elmar, quando era governista, tentou cooptar deputados para a base?"


Para caracterizar a ineficácia judicial, o presidente cita o caso da deputada Antônia Pedrosa, que trocou o PRP pelo PMDB. "Com base na Resolução 22.610, do TSE, o suplente Eudorico Alves requereu o mandato dela. Houve o processo, mas passado pouco mais de um ano está engavetado, sem nenhum efeito prático".



Vereador sob processo tem acordo rejeitado

Data: 31/10/2010
11:02:21

A luta de Aleluia contra a infidelidade tem outro capítulo peculiar. O vereador Alan Sanches elegeu-se pelo PRP em 2004 e passou para o PMDB antes da posse. Como tinha assinado um documento acatando o estatuto do partido, que prevê indenização de 12 a 48 vezes o próprio salário para caso de desfiliação voluntária, foi acionado na Justiça comum.


"Em 2009, entrei com um processo, pedindo o valor mínimo, na 18ª Vara. Foi considerado procedente e ele teve um apartamento penhorado para garantir a dívida", explicou Aleluia, acrescentando que Sanches entrou em 2009 com um agravo que até hoje não foi julgado.


O valor total da causa é estimado por Aleluia em R$ 140 mil. O vereador, agora eleito deputado estadual, o procurou, oferecendo R$ 20 mil para um acordo. "Não topei", disse Aleluia. Para ele, "é preciso acabar essa história do cidadão dizer que é deputado e que não vai dar em nada".



Partido decidirá posição na Assembleia

Data: 31/10/2010
11:01:00

A propósito, o presidente informou que a Executiva do PRP vai se reunir após as eleições para definir que posição terá em relação ao segundo governo Wagner. A deliberação caberá aos 13 membros do colegiado, mas se for preciso será convocada até uma convenção regional.


"Vamos tomar nossa decisão e registrar a resolução no Tribunal Regional Eleitoral, deixando claro que quem descumprir as orientações do partido sofrerá imediato processo de expulsão", explicou Aleluia.


O PRP terá dois representantes na próxima legislatura: o reeleito Adolfo Menezes, que apoiou os primeiros quatro anos de Wagner, e Bruno Reis, ligado ao deputado federal ACM Neto (DEM). Os suplentes da legenda, que assumiriam em caso de perda do mandato por infidelidade, são, pela ordem, Jurandy Oliveira e Fábio Santana.



Esquentando

Data: 31/10/2010
10:59:30

O deputado J. Carlos (PT) disse que a questão da presidência da Assembleia Legislativa será discutida após o segundo turno eleitoral, mas adianta, quanto a seu partido, que "se tiver candidato, tem, se não, poderá ser Marcelo Nilo mesmo, que é um parceiro muito bom do governo".


Outro deputado petista, que preferiu falar sob reserva, disse que "Wagner está fechado com Marcelo" e que ambos voaram juntos de São Paulo para Salvador na semana passada, após o programa Roda Viva, quando Nilo teria dito ao governador que a situação no plenário "é tranquila".



Gesto nobre

Data: 31/10/2010
10:58:46

A situação chegou a tal ponto que o deputado eleito Antonio Imbassahy precisou sair a campo para defender o papa.



Cacau baiano vence em Paris

Data: 31/10/2010
10:57:15

O cacau produzido na Fazenda São Pedro, em Ilhéus, é o melhor do mundo na categoria "Cacau Chocolate", vencedor do Concurso Internacional de Amêndoas de Cacau de Paris, realizado sexta-feira, no Salon du Chocolat. As amêndoas, do produtor João Tavares, superaram as 150 amostras de 20 países.


"Isso é fruto do trabalho que estamos realizando há três anos. Plantamos aqui uma semente e abrimos as portas do mundo para o nosso cacau", disse Tavares. Para o secretário da Agricultura, Eduardo Salles, a vitória é o reconhecimento de que "a Bahia produz cacau de qualidade e que está entre os melhores do mundo". 



Assembleia debaterá conselho de comunicação

Data: 31/10/2010
10:55:30

Está marcada para 25 de novembro, na Assembleia Legislativa, a sessão especial proposta pelo deputado Carlos Gaban (DEM) para a discussão do conselho de comunicação social em gestação na Casa Civil do governo do Estado.


Imaginado como similar ao projeto do governo federal inserido na política de direitos humanos, despertou reações que terminaram forçando o secretário de Comunicação do Estado, Robinson Almeida, a vir a público dar explicações.


O conselho nada teria a ver com o que está sendo "pautado nacionalmente" pela imprensa, restringindo-se ao papel de um órgão de consulta, "sem ensejar qualquer controle sobre os conteúdos produzidos pela mídia".


O anteprojeto, segundo Robinson, está em análise na Procuradoria Geral do Estado. Seria proveitoso que fosse divulgado para que possam conhecê-lo melhor a sociedade e as entidades dispostas a debatê-lo. Por enquanto, se conversa sobre o nada.



JW-JH: amor com prazo de validade

Data: 30/10/2010
12:39:24

Realmente um casal afinado na política o prefeito João Henrique (PMDB) e a deputada Maria Luiza (PSC). Os destrambelhos de um combinam perfeitamente com as peripécias de outra. Mas nos bastidores políticos há quem veja ambos chegando a uma situação-limite.


Nesse aspecto, pouco resultado dará a manobra de aproximação entre o prefeito e o governador Jaques Wagner, por ele visitado, propiciando fotografias que na mídia logo se tornaram "mais um sinal" dos caminhos da política baiana.


A questão é que, com o senso de oportunidade que o domina, João Henrique sabe que Wagner vai ter de trabalhar em consonância com ele por causa da Copa do Mundo de 2014 e, secundariamente, as Olimpíadas de 2016, para as quais terão de apresentar um produto comum.


O governador, por sua vez, sabe que futricas políticas somente prejudicarão e até colocarão em risco o projeto. Vai alisar o prefeito despreocupado das relações dele com o carlismo. No momento certo, reduzi-lo-á à dimensão política que indicam os 35 mil votos que a esposa teve em Salvador.



O futuro de Geddel num governo do PT

Data: 30/10/2010
12:37:26

O candidato a vice-presidente Michel Temer explicitou a posição do PMDB: não poderá haver, na Bahia, veto à participação do deputado Geddel Vieira Lima num eventual governo Dilma Rousseff, mas nos meios políticos transpira que o governador Jaques Wagner vai jogar tudo que pode para evitar que ele seja ministro.


A possibilidade não seria mesmo muito grande. Independentemente dos fatos do primeiro turno da eleição baiana, quando Dilma veio a Salvador puxar a escada de Geddel, há entre ambos divergências conceituais e políticas em relação a administração que os fizeram ter sério atrito no governo, incontável nos termos originais.


Além disso, no Nordeste, a escolha do PMDB para o ministério tende mais para o deputado Henrique Eduardo Alves (RN). Nesse contexto, a anunciada disposição de Alves disputar a presidência da Câmara contra Cândido Vacarezza (PT-SP) seria a moeda de troca para o futuro acerto ministerial.


Entretanto, Geddel é reconhecido como membro poderoso da alta cúpula do partido, ligado profundamente a Michel Temer e Eliseu Padilha, e deverá, mesmo em oposição ao governo baiano, ser contemplado com "pelo menos a direção de uma estatal", para o que muito contribuiria sua eficácia administrativa.



Curtição governamental

Data: 30/10/2010
12:35:34

Para quem acha que, com aquele jeito elegante, Wagner não sabe - com o sincero perdão da palavra - sacanear um adversário, conta-se episódio ocorrido no encontro que petistas e aliados tiveram num hotel de Salvador depois do primeiro turno.


Ao encontrar o deputado Capitão Tadeu (PSB), o governador, como se não soubesse que o independente parlamentar de sua base ficara na primeira suplência, indagou: "Oi, Tadeu, como foi você?"



O PSB e o ministério

Data: 30/10/2010
12:33:46

Fala-se muito na perspectiva de a senadora eleita Lídice da Mata (PSB) ocupar o Ministério do Turismo num eventual governo Dilma Rousseff, caso em que o ex-deputado Nestor Duarte (PDT) chegaria ao Senado.


A dificuldade é que se o PSB vier a ter somente uma vaga no ministério - o que parece mais provável -, a indicação caberá ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que até já tem um nome para a pasta: Fernando Albuquerque.



Canal do Imbuí ainda come dinheiro do contribuinte

Data: 30/10/2010
12:31:08

Inagurada apressadamente por mero interesse eleitoral, a obra do canal do Imbuí é o que se poderia chamar de uma vergonha para qualquer administração. Além dos erros viários que apresenta, revela-se interminável, em razão das diversas intervenções que já se realizaram após a entrega festiva ao público.


O espantoso no momento é que, numa extensão superior a 200 metros na Avenida Jorge Amado, em frente ao Imbuí Plaza, está ocorrendo uma grande escavação. Arrebentaram o piso de blocos de cimento e estão implantando, ao que parece, uma rede de saneamento que teria sido esquecida. Esburacamentos semelhantes já foram feitos em toda a obra, que se estende por um perímetro de dois quilômetros.


A pista de cooper, hoje em parte tomada pelo entulho, não é totalmente protegida por defensas de metal. Nestes três meses, já ocorreram dois acidentes de veículos, mas nenhum pedestre se feriu porque as defensas resistiram ao impacto. O problema será quando houver um acidente num trecho sem defensas.


No segundo anel, após a Igreja de Nossa Senhora Aparecida em direção à orla, a ciclovia foi pintada com uma tinta de tão má qualidade que começou a soltar-se logo que a pista foi utilizada. Equipamentos das quadras de esporte estão se destruindo pela própria fragilidade, como as cestas de basquete, traves de futsal e mesmo as cercas protetoras.



Obra foi madrasta para projetos eleitorais

Data: 30/10/2010
12:29:24

Mas é no sistema viário que está caracterizado o amadorismo da obra. Tanto no acesso pela Avenida Paralela como no retorno da pista interna, em frente ao Colégio Rômulo Almeida, a calçada, depois de pronta, teve de ser quebrada para ajuste às necessidades do tráfego.


Com o fechamento do retorno original na Rua das Araras, milhares de moradores do Jardim Bolandeira, assim os veículos procedentes da Boca do Rio, são obrigados a fazer o retorno no meio da Jorge Amado, percorrendo dois quilômetros até a Paralela e ainda cruzando perigosamente a pista interna do canal, num trecho onde há um inexplicável afunilamento das vias.


Foi uma obra eleitoral, manipulada eleitoralmente, e que chegou a ter três datas de inauguração. Na verdadeira, houve a presença de renomados candidatos a cargos majoritários, ligados ao prefeito João Henrique, que não por acaso foram exemplarmente rejeitados nas urnas.



Nilistas não temem Reinaldo...

Data: 30/10/2010
12:27:55

Aliados de Marcelo Nilo desdenham do poder de fogo de Reinaldo Braga para influenciar, como candidato ou articulador, a eleição de presidente da Assembleia Legislativa. "O que ele está querendo é carinho", afirmou uma fonte, dizendo em jargão do metiê que em troca de "um bom acordo" Reinaldo não se meterá nisso.


Para demonstrar que a situação de Nilo "é tranqüila", informou ainda que "ele tem três votos no DEM e pelo menos dois no PMDB". De fato, dizemos nós, no DEM ele pode contar com Tom Araújo e Gildásio Penedo, mas os demais nomes são mistério puro.



...que ouviu elogios em silêncio

Data: 30/10/2010
12:25:40

Numa mesa próxima - pois tudo isso ocorria no restaurante da Assembleia Legislativa -, a conversa era outra. Na presença do próprio, e sob provocação, o deputado João Carlos Bacelar (PTN) elogiava Reinaldo.


"É um nome sempre ventilado por ter sido um excelente administrador da Casa e ser um excelente companheiro". Antes que Reinaldo ficasse vermelho, Aderbal Caldas (PP) completou: "É um regimentalista, um moralista, um grande pensador. Nunca vi um problema insolúvel para ele". O elogiado não abriu a boca.


Por fim, Bacelar, que acompanhado da nova bancada do PTN teve um almoço com Nilo para tratar da sucessão, desvinculou a eleição da questão governo-oposição: "Escolher Marcelo, Reinaldo ou Paulo Rangel nada tem a ver com política partidária. É assunto interno".



BLAGUE NO BLOGUE - Enterra, mas não mata

Data: 30/10/2010
12:24:24

Participando de cobertura em Ibotirama, o fotógrafo Paulo Mocofaya estava em pleno exercício profissional quando, pela lente, viu aproximar-se um bêbado que lhe aplicou um catiripapo e ordenou: "Tire uma foto minha. E fique sabendo que eu já enterrei mais de duzentos!"


Afastado do intruso, o popular Mocofa recebeu a explicação: "Ele é o coveiro da cidade".



O último debate

Data: 30/10/2010
09:23:49

Se os números da eleição forem muito diferentes das previsões dos institutos de pesquisa, comentaristas de plantão poderão dizer que é resultado do debate da Globo. José Serra esteve mais seguro e objetivo do que Dilma Rousseff, que não tinha uma linha de raciocínio para as respostas e vez por outra enrolava.


Dilma baseou seu desempenho nas políticas sociais, enquanto Serra aferrou-se mais à questão institucional e ética, temas que marcaram suas campanhas. Um observador comum diria que Serra venceu, mas a verdade é que isso nem sempre se traduz em votos.


Um fato é incontestável: tanto pela liderança de audiência da emissora como pela proximidade entre o evento e a votação, o debate da Globo é o que tem maior possibilidade de influenciar a decisão do eleitor.



Câmera relatará orçamento

Data: 28/10/2010
11:24:30

O deputado Paulo Câmera (PDT) será o relator do orçamento do Estado para 2011. Não poderão dar em outra coisa as "costuras" que estão sendo feitas entre o líder do governo, Waldenor Pereira (PT), e o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo.



Zé Neto, nome único no PT

Data: 28/10/2010
11:22:49

Fonte do PT entende que se o partido peitar o governador Jaques Wagner e apresentar um nome à sucessão de Marcelo Nilo na presidência da Assembleia Legislativa, será o do deputado Zé Neto, o que reuniria mais vantagens: combatividade ao longo dos seus dois mandatos, petista mais votado, conhecedor da pauta do governo e integrante de um grupo político forte, tanto partidária quanto institucionalmente.


Outro que estaria no páreo pela indicação da bancada é Yulo Oiticica, que parte agora para o quarto mandato, mas tem poucas chances porque perderia na correlação de forças dentro do PT. De qualquer forma, diz a fonte, "quem se apresentar antes da hora se queima, porque Wagner costuma ser extremamente rigoroso com quem publiciza o debate".


Processo semelhante ao atual ocorreu há três anos, quando o governador quis preencher com então aliado Leur Lomanto (PMDB), ex-deputado federal, uma vaga no Tribunal de Contas do Estado. A bancada reagiu com o nome de Zilton Rocha e Wagner acatou. Há quem creia que possa se repetir com a Assembleia, levando o governador à "neutralidade" entre um petista e Nilo.



Reinaldo dentro das articulações

Data: 28/10/2010
11:21:22

Na sucessão da Assembleia, um nome presente é o do deputado Reinaldo Braga (PR), que vai para o oitavo mandato, sendo o recordista na Casa. Reconhecido pelo trabalho silencioso e trânsito fácil com os colegas, mesmo na circunstância atual de oposicionista seu nome é sempre citado pelo menos como participante de articulações.


Reinaldo tem uma carreira peculiar. Eleito vereador e depois prefeito de Xique-Xique pela Arena, chegou à Assembleia em 1983 pelo sucessor PDS. Acompanhou o grupo do falecido senador Luiz Viana no apoio a Waldir Pires em 1986, elegendo-se deputado constituinte pelo PMDB e ocupando posteriormente a Secretaria da Agricultura.


Após a debacle do governo Waldir, conseguiu a proeza de ser novamente acolhido no carlismo, já via PFL, com tanto prestígio que não somente chegou à presidência da Assembleia Legislativa como viu ser aprovada uma emenda à Constituição baiana que lhe permitiu ser reeleito num momento emergencial.



Relações com Nilo no centro do foco

Data: 28/10/2010
11:18:40

Com a eleição de Wagner, o deputado foi dos primeiros a deixar o PFL, filiando-se ao PSL, da base governista. Agora, no processo eleitoral de 2010, fixou-se enfim no PR, aliado do governo Lula e com perspectiva de juntar-se ao petismo também na Bahia, o que terminou não acontecendo, já que o presidente do PR, César Borges, optou por coligar-se ao PMDB de Geddel Vieira Lima.


O que era uma solução virou problema. O PR exigiu fidelidade de seus deputados e Reinaldo, mesmo contra a vontade, viu-se de repente na oposição mais radical. A mudança gerou conseqüências no Executivo e no Legislativo, com a demissão de todos os servidores indicados pelo deputado.


Por isso é que se diz que um dado importante para as inferências sobre essa disputa é o estado atual de suas relações com o presidente Marcelo Nilo. Discretíssimo como sempre, Reinaldo diz que não há problema, que está tudo bem entre ele e o presidente.



''Roberto Carlos em ritmo de aventura''

Data: 28/10/2010
11:16:27

Nos bastidores, informa-se que o deputado Roberto Carlos (PDT) está com o nome posto para uma eventual disputa pela presidência da Assembleia. Teria o apoio do senador João Durval dentro do partido, que é o mesmo de Marcelo Nilo, e ainda o do prefeito João Henrique. Estaria sendo articulada a participação do PSC, que tem cinco votos no plenário.


Roberto, eleito para o terceiro mandato de deputado com 75 mil votos, já foi terceito vice-presidente da Casa e na atual gestão ocupa o cargo de primeiro secretário da Mesa.



Sincero e leal

Data: 28/10/2010
11:15:35

Ante a perspectiva de nomeação de deputados petistas para o secretariado de Wagner, mesmo o segundo suplente do PT, Professor Valdeci, sonha com o retorno à Assembleia. No governo, isso é visto com simpatia, porque Valdeci, apesar de ter exercido com autenticidade o mandato, com críticas na área da educação, sempre demonstrou lealdade nas horas decisivas.



Homem de coragem

Data: 28/10/2010
11:13:58

Na convenção regional do PDS que indicou Clériston Andrade candidato ao governo do Estado em 1982, um único voto, entre 446, foi em branco. "ACM ficou uma arara porque não conseguiu descobrir de quem foi", diz, hoje, uma fonte bem próxima ao caso.


Clériston, convém recordar, seria o "poste" que o então todo-poderoso Antonio Carlos Magalhães ia colocar no Palácio de Ondina. Morto em acidente aéreo na campanha, foi substituído na chapa pelo deputado João Durval Carneiro, que na época também era um "poste".


Para quem não entendeu a designação, é que ACM vangloriava-se da capacidade de eleger "até um poste". Ficou conhecida sua afirmação ao jornalista Ricardo Noblat, então no Jornal do Brasil: "Se eu quiser faço você governador da Bahia".



Mantenha distância

Data: 28/10/2010
09:15:31

Com relação ao cadastro de cabos eleitorais picaretas que se pretende criar na Bahia, antigo observador da política garante que essas "lideranças" que a cada eleição prometem votos inexistentes têm uma característica comum.


Quando o candidato manifesta a menor intenção de visitar "a base", conversar com os futuros eleitores, o "aliado" parte logo para dissuadi-lo: "Nããããããão. Não precisa ir lá. Deixe tudo comigo. Lá está tranquilo. Vá para um lugar onde você tá fraco".



Wagner lavaria as mãos entre Nilo e o PT

Data: 27/10/2010
13:43:16

O único obstáculo entre o deputado Marcelo Nilo (PDT) e o terceiro mandato de presidente da Assembleia Legislativa seria a unidade do PT em torno de um nome de sua bancada, situação de conflito da qual o governador Jaques Wagner, se não conseguisse mediar a contento, lavaria as mãos.


Wagner tem reconhecida preferência por Nilo, mas não poderia ser contrário a uma eventual decisão da bancada de seu partido, antes de mais nada, legítima. Ocorreria no Legislativo baiano uma interessante situação em que o governador se absteria de influir no processo e aguardaria a decisão do plenário pelo voto secreto.


A impossibilidade desse quadro, no entanto, se revela, de saída, pela crença nos meios políticos de que os petistas não chegarão a um consenso. Formada por tendências internas aparentemente indissolúveis (veja texto mais abaixo), a bancada estaria mais propensa a repetir o impasse de quatro anos atrás, quando se dividiu ao meio.



Presidente vetou volta de Josias a cargo na AL

Data: 27/10/2010
13:41:44

Por outro lado, Wagner não quer mexer na fórmula que foi amplamente eficiente para seu governo na Assembleia. Trabalha para demover os correligionários, e o primeiro efeito já foi visto três semanas atrás, quando não deu em nada a iniciativa do deputado Paulo Rangel, líder da bancada, de fazer um petista candidato a presidente.


O governador tem um motivo adicional para interferir no processo: o deputado Marcelo Nilo abriu mão de um lugar na chapa majoritária para permanecer presidente da Assembleia e não estaria disposto a topar outro cargo em negociação nenhuma. Em outras palavras, seu nome estará nas cédulas no dia 1º de fevereiro.


Nos bastidores da Assembleia, a informação é de que Nilo tem o apoio de oito dos 14 deputados do PT, e que faz tudo em perfeita sintonia com Wagner, inclusive a exoneração do petista Rafael Costa da Superintendência de Assuntos Parlamentares, após recusar-se a renomear o antigo ocupante do cargo, Josias Gomes, deputado federal eleito pelo PT. Josias estaria trabalhando contra sua terceira presidência.



Federais petistas têm ''bancadinhas'' estaduais

Data: 27/10/2010
13:37:41

Deputados federais eleitos pelo PT se dão ao luxo de ter suas "bancadinhas" na Assembleia Legislativa, envolvendo até gente de outros partidos. A maior é de Afonso Florence, que reúne Neusa Cadore, Zé Neto, Bira Corôa e Yulo Oiticica.


A bancada de Rui Costa tem os correligionários Joseildo Ramos e Carlos Brasileiro, além de Deraldo Damasceno (PSL). Já Valmir Assunção é representado por Luiza Maia, Marcelino Galo e Sargento Isidório, este do PSB.



Correntes são coisa muito séria no PT

Data: 27/10/2010
10:15:30

Com 14 deputados, a bancada do PT na Assembleia Legislativa distribui-se em variadas correntes, além daqueles ditos "independentes", aliás, a mesma posição do governador Jaques Wagner, que não seria filiado a tendência nenhuma.


A mais destacada é a CNB - Construindo um Novo Brasil -, antigamente chamada de Campo Majoritário e que tem entre suas maiores expressões nacionais o próprio presidente Lula e o ex-ministro José Dirceu. Dela fazem parte Paulo Rangel, J. Carlos e Fátima Nunes.


A Democracia Socialista (DS) tem Zé Neto, nome cotado para a liderança do governo, e Neusa Cadore. O deputado Bira Corôa, que era da corrente, está de mudança para a Articulação de Esquerda (AE), que tem Marcelino Galo. O nome mais expressivo da DS é o senador eleito Walter Pinheiro.


A corrente Reencantar, dos deputados federais eleitos Waldenor Pereria e Rui Costa, é representada na Assembleia pelos deputados Zé Raimundo, Carlos Brasileiro e Joseildo Ramos. A Esquerda Democrática Popular (EDP) tem Maria Del Carmen. O deputado eleito Rosemberg Pinto é independente, transitando entre Reencantar e CNB.



Wagner tem opinião diferente da de Lula

Data: 26/10/2010
10:29:05

Pelo sim, pelo não, já que 2014 vem aí, o governador Jaques Wagner trata de desvencilhar-se da imagem um tanto truculenta do presidente Lula. Outra razão não teria o governador para qualificar de "abominável" a reação de Lula ao episódio da suposta agressão a José Serra, definida como "uma farsa" pelo presidente".


"Devemos investir na palavra para ganhar no argumento. Detesto ofensa pessoal. Qualquer agressão verbal ou material é extremamente mal-vinda para a democracia", disse o governador, e não foi em qualquer lugar: foi no programa de TV Roda Viva, transmitido para todo o Brasil.


Para quem não acredita em coincidência, vale recordar que há poucos dias Wagner igualmente posicionou-se contra Lula quando o presidente fez acusações generalizadas - umas falsas, outras verdadeiras - à nossa "gloriosa" imprensa.



''Erro'' de Dirceu não é para pena de morte

Data: 26/10/2010
10:26:26

Na entrevista, o governador defendeu o financiamento público de campanhas eleitorais, para ele "um passo substantivo no combate à corrupção", garantindo que sairia "muito mais barato para o povo brasileiro". Wagner sugeriu também que, caso seja eleita, Dilma Rousseff dê início a uma reforma política profunda no país, inclusive extinguindo a reeleição.


Antecipando-se a decisão do Supremo Tribunal Federal, o governador deu sua opinião sobre o ex-ministro José Dirceu: "Eu acho que as pessoas erram e não devem ser assassinadas porque erraram", declarou. Dirceu, principal articulador do PT, foi acusado de comandar o mensalão - compra de votos na Câmara dos Deputados.


O governador considera "um luxo" o Brasil ter três candidatos do porte de Dilma, José Serra  e Marina Silva, uma vez que "não tem nenhum aventureiro ou ladrão", mas lamentou o nível a que a campanha chegou neste segundo turno, não sabendo responder "quem atirou a primeira pedra". 



Negada tentativa de controle da imprensa

Data: 26/10/2010
10:20:00

Ao comentar a criação, na Bahia, de um conselho de comunicação social, visto como um meio de interferir no conteúdo da mídia, o governador negou com veemência tal pretensão: "Longe de mim fazer a bobagem de pretender controlar o incontrolável".


É de se acreditar na sinceridade do governador, porque na prática ele sustentou uma postura de convivência saudável com a imprensa e os adversários, descontados alguns excessos verbais plenamente desculpáveis.


O governador é um democrata, pelo menos em comparação com os modelos mais recentes que tivemos na Bahia. Seu governo não foi dos melhores em áreas sensíveis - como a educação e a segurança -, mas o exercício ponderado e moderado do poder certamente lhe valeu muitos pontos junto ao eleitorado baiano.



Como governador eleito, uma demonstração do estilo

Data: 26/10/2010
10:16:15

A propósito, toda a Bahia política e jornalística sabe que antes das eleições de 2006 a Tribuna da Bahia tinha uma posição francamente favorável a Paulo Souto, então governador e candidato à reeleição. Até os números das pesquisas que davam vantagem a Souto apareciam na primeira página do jornal em tipos maiores que os dedicados aos poucos pontos de Wagner.


Na reta final do pleito, tendo sido flagrado em irregularidade um servidor do Ministério do Trabalho, o jornal aproveitou a circunstância de Wagner ter sido ministro da pasta e publicou na primeira página uma manchete negativa, algo como "assessor de Wagner acusado de corrupção". O título foi imediatamente usado pela campanha de Souto, o que causou um profundo desagrado ao candidato petista.


Vencida a eleição - uma surpresa -, o governador eleito comemorava com a família e amigos num bar no Rio Vermelho quando chegou uma equipe da Tribuna. Foi demais para a então futura primeira-dama, Fátima Mendonça, que convidou os repórteres a se retirarem. Mas Wagner, num gesto que caracteriza sua autêntica tolerância, reprovou a atitude e os jornalistas puderam fazer seu trabalho.


Ontem, no Roda Vida, quando disse que detesta imprensa chapa branca e que jamais constrangeu nenhum órgão de imprensa, Wagner estava falando absolutamente a verdade.



Interpretações

Data: 26/10/2010
10:15:18

"É bom governar com partidos como o PMDB, mas não é impossível governar sem eles".


As palavras são de Wagner. Os pessimistas dizem que ele descartou o partido de Geddel. Os otimistas acham que ele deixou "uma porta aberta". Os realistas preferem esperar.



Nossas invasões vêm de muito longe

Data: 26/10/2010
10:13:41

Em 1976, quando famílias miseráveis, que não tinham onde cair mortas, invadiram a área nos fundos da então recém-inagurada Rodoviária de Salvador, deram ao novo "bairro" o nome de Saramandaia, que era a novela de grande sucesso da Globo.


As invasões urbanas sempre tiveram esta característica: eram batizadas de acordo com fatos ou referências fortes do momento. Foi assim, por exemplo, com a invasão das Malvinas, em 1982, por ocasião da guerra entre Argentina e Inglaterra.


O falecido senador Antonio Carlos Magalhães, em consonância com o interesse todo especial que o poder imobiliário tinha relação à Avenida Paralela e suas áreas de influência, chegou a jurar que derrubaria as Malvinas, assim como criticara a construção do Conjunto Marback pelo governo Roberto Santos (1975-1979).


Tudo terminou sem conflitos. O Marback tornou-se o ponto de partida para a formação e ocupação do Imbuí e, lá no final da Paralela, o "governo democrático" de Waldir Pires (1987-1989) garantiu os barracos das Malvinas, que ganhou nova denominação: Bairro da Paz.



Desemprego e pobreza na base da violência

Data: 26/10/2010
10:12:20

Essa não é a única ironia demagógica da história (já que o bairro é um dos mais violentos da cidade). Em 1986, surgiu a invasão da Constituinte, que, como se sabe, é a designação dada a uma assembleia que se reúne para escrever uma constituição. O Brasil saía do regime militar e constituinte era a palavra da moda.


A Assembleia Nacional Constituinte era de fato uma esperança para toda uma geração que viveu, social e politicamente, sem lei. Mas ganhou dimensão de remédio para todos os males que não tinha condição de ser. Se atendeu a necessidades ideológicas da elite pensante, não concretizou direitos sociais nela escritos, frustrando a maioria.


Nestes mais de 20 anos, muitas outras invasões surgiram - até a do Iraque, no bairro de Pituaçu - e nas outras se multiplicaram os moradores e os problemas. Mazelas particulares, como o desemprego, e de ordem geral, como a falta de saneamento básico, a desenhar continuamente comunidades propícias à formação da violência.



Constituinte como fornecedora de assassinos

Data: 26/10/2010
10:11:12

Dizem que o Brasil está muito bem, e dentro dele, a Bahia. Mas basta um passeio em Salvador para que se vejam a carência e a ignorância espalhadas e em expansão, agindo como motores permanentes do crime e da insegurança.


Não reconhece esse risco quem não o sente na pele, quem não precisa andar de ônibus ou circular a pé em qualquer horário ou lugar desta inóspita capital. O passivo é grande, e ninguém de bom senso acredita que o quadro será superado com uma sucessão de governos que apenas tangenciam os problemas.


Os sintomas da doença nacional vêm aos borbotões de qualquer lugar. Grávida é assassinada com tiro na cabeça. Paciente é fuzilado na UTI de um hospital. Diretor sindical é executado em São Paulo. Aqui no nosso subúrbio, duas irmãs são mortas a tiros por bandidos que saíram sabem de onde? Da invasão da Constituinte.



Saúde é de Solla

Data: 25/10/2010
23:10:34

Fonte do PT informa que a única possibilidade de Jorge Solla deixar a Secretaria da Saúde é ser convocado para o ministério, caso Dilma Rousseff seja eleita domingo presidente da República.


Teria, de fato, havido um acordo entre o governador Jaques Wagner e o hoje vice-governador eleito, Otto Alencar, mas em torno da Superintendência de Atenção à Saúde, a SAS, "uma estrutura enorme, que vale 50% da secretaria".


Além do mais, segundo a fonte, caso Solla deixe de ser secretário, a prioridade seria para Amaury Teixeira, deputado federal eleito pelo PT, que foi seu chefe-de-gabinete.



Secretaria disputada

Data: 25/10/2010
23:08:52

Dentro da premissa de que Joacy Dourado (PT), primeiro suplente de deputado estadual, assumirá o mandato de qualquer maneira, diz-se que à deputada eleita petista Luiza Maia caberá a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza. O cargo estaria também na mira do deputado eleito Marcelino Galo (PT).



Robinson muda de área

Data: 25/10/2010
23:08:00

Robinson Almeida continuará secretário de Wagner, mas não na Comunicação Social. Seu destino é a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, a mesma que catapultou Afonso Florence à Câmara dos Deputados. Mas por enquanto está descartada uma eventual candidatura de Robinson no futuro.




Página Anterior    Próxima Página