Salvador, 19 de outubro de 2017

Em busca da qualificação

Data: 28/02/2014
09:44:23

Fotos ao lado de Jutahy Júnior e de Geddel Vieira Lima, no Bahia Notícias, mostram um Paulo Souto acabrunhado, contrastando com o carnavalesco sorriso dos outros. Pode haver erro, mas os sinais são cada vez mais evidentes.

Para completar, diz o prefeito ACM Neto ao mesmo site: “A gente deve definir a chapa duas semanas depois do Carnaval, para que dê tempo de fortalecer a união entre Democratas e PMDB e de fazer uma candidatura competitiva”.

Uma especulação razoável para essa “união” pode ser a candidatura de Souto ao Senado. Numa chapa dessas, até Antonio Imbassahy (PSDB) meteria a cara como vice.



Maria Luiza e João podem ungir herdeiro

Data: 28/02/2014
09:25:53

Em mudança de rumo capaz de carimbar uma cadeira na Assembleia Legislativa, o jovem advogado Paulo Henrique Carneiro (PSL) poderá ser o nome que unirá politicamente seus pais, a deputada Maria Luiza Orge (PMDB) e o ex-prefeito João Henrique (PSL).

A deputada, cumprindo o segundo mandato, teria dificuldade de reeleição, e a transferência da responsabilidade para o filho asseguraria o apoio do ex-marido, que ela própria teve, enquanto casada, nos dois pleitos anteriores, quando João Henrique era o prefeito de Salvador.

O fato de a atual mulher do ex-prefeito, Tatiana Paraíso, poder candidatar-se a deputada não alteraria nada, segundo fonte próxima, porque “tem voto para os dois”. A campanha de Paulo Henrique teria o apoio do vereador Alberto Braga (PSC), que sempre foi ligado à família Carneiro.



Fundamentalismo caboclo

Data: 28/02/2014
09:24:46

O deputado Sargento Isidório desafia a Secretaria da Cultura a usar a imagem de Maomé num outdoor patrocinado pelo órgão, de um beijo homossexual em que um dos personagens é visto como sendo Jesus.

Isidório não disse, mas certamente imaginou que o secretário Albino Rubim teria decretada contra si uma fatwa (pronuncia-se fatúa), sentença islâmica que pode ser de qualquer natureza, inclusive de morte.



Da natureza da poesia

Data: 28/02/2014
09:23:09

Um cidadão refletia sobre o conceito de poesia que não havia assimilado em anos de estudo específico, mas que captou num instante, em entrevista de Ariano Suassuna, quando solicitado a opinar sobre um poema com o verso “o sol entrou pela janela e iluminou meu quarto”.

Com seu sotaque pernambucano meio metálico, Ariano bradou: “Meu filho, isso não é uma poesia, isso é uma notícia!”

Acrescentemos o filósofo anônimo que disse: “Muitos pensam que a poesia é um carro-esporte, quando ela é uma ambulância”.



Presidente Neto, do PMDB

Data: 28/02/2014
09:21:12

Somente os que se enquadram nos velhos paradigmas é que se chocam com as perspectivas que as coisas novas propiciam, e, na política, desgraçadamente, a coisa nova é o desmoronamento das muralhas ideológicas que marcaram a vida política nacional no século XX.

É por isso que surpreende esse enunciado de um interlocutor, carregado de cientificismo, para explicar o que seria uma providência cartorial simples, de cunho local – a entrada do deputado Bruno Reis, “irmão gêmeo” do prefeito ACM Neto, no PMDB. “Na verdade, é uma equação de terceiro grau que está muito acima”, proferiu.

A grande origem da questão estaria no fato de que Neto não tem partido para consumar uma “predestinação familiar que falhou com o tio”, o falecido deputado Luís Eduardo, “um projeto incompleto” que lhe caberia realizar, enquanto assiste à tentativa de outros netos o anteciparem na chegada à presidência da República.

“Com o DEM descendo a ladeira, pois só pegou esse ar por aqui, a ida de Bruno para o PMDB abre caminho para Neto e representa sua presença na base de Dilma”, arrisca a fonte, sem deixar de lembrar o suposto acordo envolvendo a presidente, o governador Wagner e o prefeito, “que tentam, mas não abalam”.



Sem atrito

Data: 28/02/2014
09:18:22

Se metade disso for verdade, não há chance de Neto procurar problema com o PMDB, isto é, Geddel Vieira Lima.



Clareando

Data: 28/02/2014
09:17:28

Pelo lado do governo, a coisa parece definida. Mário Negromonte (PP) fala até grosso, já que não trabalha “com a hipótese de não ser o vice”, e seu adversário Marcelo Nilo (PDT) tira discretamente o time de campo.

O processo terminou invertido. No começo, era Nilo quem não admitia não estar na chapa majoritária, enquanto Negromonte se escondia e deixava a decisão “com o governador”.



Saudade de Zaidan

Data: 28/02/2014
09:16:15

Leitor atuante deste blog, Fernando Zaidan Filho foi sepultado ontem, no Jardim da Saudade, sob a tristeza da família e de numerosos colegas da Assembleia Legislativa. Fará falta na mesa de almoço em torno da qual congregava tantos amigos, diariamente, no restaurante da Casa.



Antibaixaria municipal

Data: 28/02/2014
09:08:54

A deputada Luiza Maia (PT) está disposta a fazer da aplicação da Lei Antibaixaria um luta constante. Pelo terceiro ano seguido sairá um bloco na segunda de Carnaval, com a Mudança do Garcia, tratando do assunto.

O tema deste ano é a extensão da lei aos municípios – 19 já aprovaram e 30 têm projetos em tramitação. A legislação restringe o uso de dinheiro público na contratação de artistas cuja obra seja considerada atentatória à dignidade feminina.



Preparem a mesa

Data: 28/02/2014
09:07:41

Pequenos partidos vão negociar muito antes de emprestar seu apoio às grandes coligações majoritárias e proporcionais nas eleições deste ano. Quem garante é Uezer Marquez, presidente do PEN, que anuncia a união de nove legendas em torno de objetivos comuns.

Seriam as cinco da Frente Jorge Aleluia – PSDC, PRP, PTdoB, PPL e PPS – mais PTC, PMN, PRTB e o próprio PEN. “O PRTB ainda é dúvida, porque Da Luz quer ser candidato a governador, mas o PEN tem Luiz Bassuma”, disse o dirigente.

Na segunda-feira após o Carnaval, o bloco se encontrará em almoço na Assembleia Legislativa, preparando o evento oficial da aliança, dia 29 de março, no Centro de Convenções. Segundo Uezer,  um “chapão” para deputado federal é certo, enquanto para estadual “pode haver duas ou três chapas”.



BLAGUE NO BLOG - Chave de cadeia

Data: 28/02/2014
09:05:20

Na campanha eleitoral de 1990, dormia no sofá da sala quando acordei com a frase na TV: “Vou votar em ACM porque ele rouba mas faz”. Inicialmente pensei tratar-se de um sonho, mas fui despertando e continuei a ouvir coisas semelhantes, de eleitores diversos. Pensei: "Os marqueteiros enlouqueceram”.

Não os marqueteiros, mas certamente o candidato Luiz Pedro Irujo, que decidiu basear nesse “conceito” sua mensagem para atacar o adversário. Terminou perdendo a eleição e ganhando o título de único político baiano condenado por calúnia. (LAG)



Imagem é matéria-prima de bom candidato

Data: 26/02/2014
10:09:34

Se vier mesmo a ser o nome da oposição na disputa pelo governo do Estado, única condição em que teria alguma chance de vencer, o ex-ministro Geddel Vieira Lima terá de concentrar-se num projeto de aprimoramento da imagem, que, como se sabe, modernamente chega a ser fundamental num processo eleitoral.

Geddel tem marcas que, como outros políticos, procurou corrigir: a corpulência, contra a qual não parece ter tido grande êxito até agora, e uma calvície precoce, esta, sim, cirurgicamente combatida, deixando-o na condição até, se bobear, de transformar-se num beatle.

Adversário tenazmente perseguido, em seus mandatos de deputado federal, pelo falecido senador ACM, até no episódio dos grampos, Geddel precisou de disposição para o enfrentamento, e não poucas vezes a veemência do conflito levou à interpretação de que ambos tinham estilos semelhantes.

Foi uma marca que, não se pode negar, acompanhou Geddel no meio político, e que a necessidade o obrigou a acentuar ao ter nas mãos, entre outras, a obra de transposição do São Francisco, exigindo o toque de um administrador incisivo, que muitas vezes pode ser confundido, por exemplo, com arrogante ou autoritário.



Alívio de Geddel é "simpatia" de Rui e Lídice

Data: 26/02/2014
10:04:43

A Bahia tem a particularidade de ter estendido por mais 20 anos os rigores da ditadura, e mesmo tendo sido Paulo Souto o último governante do ciclo anterior, um homem de fino trato, é indiscutível que a ascensão de Jaques Wagner significou uma inversão profunda na linguagem interna do poder e em direção ao povo.

Certo ou errado, cumprindo ou não o prometido, o fato é que Wagner chocou a sociedade e o mundo político com fascínio labial, mesmo que descrevesse a mais inacreditável visão. Ousar-se-ia dizer que esse foi o principal combustível de sua reeleição – e não se duvida de que, à eventual falta de outros predicados, ainda funcione.

Está clara a impossibilidade de, por reflexão pessoal ou aconselhamento de marketing, Geddel chegar ao grau de melifluidade do nosso governador, que realmente é hors-concours. Tem condições, porém, de trabalhar para reduzir o prejuízo, com a vantagem de que seus principais adversários, a senadora Lídice da Mata e o secretário Rui Costa, não são lá essas coisas em matéria de simpatia.



Encontro marcado

Data: 26/02/2014
10:02:42

Ainda sobre a senadora Lídice, tecnicamente não pode ser considerada uma candidatura oposicionista, o que não é nenhum demérito nem a condena inapelavelmente à derrota, pois na política brasileira tudo é possível – e a Bahia é o Brasil levado às últimas consequências, como dizia Otávio Mangabeira.

O homem, no caso, a mulher, é a sua história, sabe Lídice. Ainda que no momento eleitoral ela divirja, critique e mesmo desqualifique o adversário com que palmilhou tantos caminhos em mais de 30 anos, se vencer a eleição será com ele mesmo que tratará de composições futuras e distribuição de cargos. E o oposto também é verdade.



Buzinaço e fila dupla

Data: 26/02/2014
10:00:52

Na porta de quase todas as escolas, cairia bem uma faixa: “Senhores pais, demonstrem a educação que querem para seus filhos”.



Assembleia à vista

Data: 26/02/2014
09:59:53

Mais uma dinastia tenta expandir-se na política interiorana. O ex-prefeito de Sobradinho Luiz Berti, que já tem o filho Luiz Vicente (PDT) como prefeito, poderá ver o primogênito Victor na Assembleia Legislativa, pelo SDD, com a pretensão de ser representante do Além São Francisco.

A decisão da candidatura foi “oficializada” ontem à noite, em jantar num restaurante de Salvador, reunindo políticos e lideranças. Destaca-se a presença do diretor executivo da CAR, Vivaldo Mendonça, que desistiu de tentar um mandato de deputado e hoje se dedica à articulação da candidatura de Rui Costa (PT) ao governo em várias regiões.



Movimento regional

Data: 26/02/2014
00:33:12

A participação de partidos políticos no fomento à violência nas manifestações de rua não chegou a ser comprovada, mas uma questão simples foi levantada em roda de conversa: por que os black blocs ou coisa que o valha só atacam no Rio e em São Paulo?



Tem mais mulher na área

Data: 26/02/2014
00:32:04

Circula nos bastidores que, se tiver de ser preenchida pelo sexo feminino a vaga de vice na chapa do petista Rui Costa, a agraciada será a ex-primeira-dama Tércia Borges, mulher do ministro César Borges.

Os requisitos apontados são o trabalho social realizado no período em que o marido governou a Bahia, o fato de ser “nova” na política e uma imagem que se supõe positiva em campanhas eleitorais, tanto que há quem faça até cirurgia para melhorar o aspecto.



Errata

Data: 26/02/2014
00:30:39

No cafezinho da Assembleia, o deputado Marcelo Nilo respondia a um interlocutor sobre a escolha do vice de Rui Costa: “Eu estou tranquilo, qualquer decisão, eu topo”.

A distância, sentado num sofá, o repórter questionou: “Presidente, isso é papo de excluído...” – mas Nilo entrou rapidamente no plenário.

Defendeu-o o deputado Álvaro Gomes, que corrigiu o vocábulo: “Excluído, não. Escolhido”.



Regra três

Data: 26/02/2014
00:29:38

Observando que os diálogos eram anotados, Álvaro ressalvou: “Estamos defendendo o nome da deputada Alice Portugal. O PCdoB luta por Alice, mas, entre Marcelo Nilo e Mário Negromonte, prefere Marcelo”.



Eu tenho a força

Data: 26/02/2014
00:28:54

A verdade é que Marcelo Nilo quer agora é ser reeleito para a Assembleia com mais de 200 mil votos. Sua estrutura já está realinhada para esse objetivo.



Brasileirinhas são um detalhe na farsa das camisetas

Data: 25/02/2014
23:40:43

Diante de problemas reais, graves e persistentes, somente o papo furado “institucional”. O governo brasileiro protesta e a Adidas, patrocinadora oficial da Copa do Mundo, retira de sua programação as camisetas alusivas a turismo sexual no país. Está salva a honra pátria, mais uma vez nos impomos no concerto internacional.

O quadro lembra as multas eleitorais de R$ 5 mil, em que autoridades patrocinadoras de candidatos e candidatas descaradamente fazem “propaganda antecipada” do preferido ou preferida, sofrem a multa, mas o assunto repercute dias em toda a mídia, de norte a sul, e o cidadão sai ganhando em suas pretensões, sob os olhos de todos, sem que nada lhe aconteça.

Não conhecemos dados sobre o tema, o que não impede o questionamento: quais são os números do turismo sexual nos Estados Unidos, na Alemanha, no Japão? E, nos casos constatados, que percentual está relacionado à pedofilia e à corrupção de menores, associadas a outros crimes necessários ou concorrentes para a consumação do objetivo?

Fechar os olhos é bobagem. Todo ano vemos, generosamente, artistas e outros brasileiros famosos emprestando seu prestígio a campanhas contra o turismo sexual, emoldurando a elementar atuação do Estado com sua pouca força repressiva. É uma questão apenas “institucional”, com a participação tanto sincera quanto política dos “movimentos sociais”.

A realidade é a que se vê nas ruas, nos circuitos noturnos e diurnos das grandes e médias cidades, sem desprezar o potencial das pequenas, onde as carências verdadeiras e supostas são maiores. É o “mercado de trabalho” das estradas, conhecido há décadas, em que crianças e adolescentes funcionalmente abandonadas são comprimidas à prostituição para ter o que comer.

No caso presente, da fábrica de tênis aliada da Fifa, é uma festa. A empresa tem sua marca envolvida numa polêmica mundial “negativa”, e já esperava por isso. Atenta aos seus deveres de responsabilidade social, recua, suspende a produção das camisetas. Simultaneamente, pela televisão, jornais e internet, o planeta se recorda de que o Brasil é o paraíso do sexo total.



Geddelistas transmitem sensação de vitória

Data: 24/02/2014
23:41:15

Um clima de discreta felicidade insinua-se entre adeptos do ex-ministro Geddel Vieira Lima, sugerindo que sua indicação para candidato da oposição ao governo do Estado está decidida.

O prazo para o anúncio – dizemos nós –, “depois do Carnaval”, é da tradição baiana, pois não é de bom tom estragar a festa de ninguém, e, no presente caso, permite ajustes finais e outras definições importantes na chapa.

A preocupação do prefeito ACM Neto está reduzida agora a acalmar o ex-governador Paulo Souto, de cuja reação, ao apresentar-se candidato depois de ter desistido e não aceitar o Senado, não gostou.

Souto seria um candidato de estatura a senador, embora tivesse de enfrentar um adversário tido no meio político como forte, o vice-governador Otto Alencar. Entretanto, já prestará um grande serviço ao prefeito e ao partido se quiser ser deputado federal.



Empenho de Neto será de não deixar dúvida

Data: 24/02/2014
23:39:33

Os geddelistas têm plena confiança na participação efetiva de Neto na campanha, e era para terem mesmo, porque não faria sentido o prefeito resistir em seu próprio partido, em nome de uma aliança que lhe é mais interessante, para depois fazer corpo mole.

Ainda que, hipoteticamente, como se cogita no meio político, o prefeito possa desejar, no íntimo, uma derrota de Geddel, seguramente mergulhará no apoio ao candidato, o que poderá ser a senha para a formação de uma força com capacidade hegemônica na Bahia.

O que se depreende de seus passos autônomos na política, desde a morte do senador ACM, é que Neto vê muito adiante, e sua candidatura, na verdade, é a líder carismático em futuro que ainda não se pode precisar.

Nesse ponto, volta a conversa com admiradores do ex-ministro: as opções são várias, a começar, em caso de vitória, pela questão da reeleição, passível de acordo, na consideração de que outros postos importantes estarão em jogo no período.



Prefeito administra conflito de prioridades

Data: 24/02/2014
23:37:31

A tentativa de última hora de resistência dos soutistas decorreu, aparentemente, de uma interpretação emergente: a expressiva avaliação positiva do prefeito na primeira pesquisa nacional dos novos governantes empossados em 2013.

Como primeiro colocado entre os gestores das principais capitais, com 15 pontos de frente para o segundo, teve a posição valorizada pelas condições em que se encontrava Salvador, tornando-se, portanto, uma “grande eleitor”, e isso aguçou o apetite da turma do DEM.

A questão é que o prefeito também tem seus pontos de vista sobre a relação custo-benefício. Sabe que enfrentará, como vem ocorrendo, turbulências constantes nestes meses até a eleição, não sendo segura a vitória, como alguns creem. E, fora o aspecto do projeto de futuro referido acima, perder com Souto seria infinitamente pior que perder com Geddel.



Paixão por urna

Data: 24/02/2014
23:15:04

O deputado Álvaro Gomes cercava o deputado Ronaldo Carletto pedindo-lhe para “ceder” votos em suas bases, já que, desta vez, Carletto será candidato a deputado federal.

Ao lado, o deputado Nelson Leal sentenciava: “Há três coisas que não se pode emprestar: mulher, dinheiro e voto”.

Em seguida, refletiu um pouco e hierarquizou: “Se tiver de emprestar, primeiro é o dinheiro, depois a mulher. Voto, só em último caso”.



Procura-se

Data: 24/02/2014
23:11:05

Dilma não tem o que reclamar das manifestações populares. Pior é na Ucrânia.



É a vida

Data: 24/02/2014
23:09:28

Já não se respeitam mais os generais como na ditadura. Imaginem que a cerimônia de concessão de título de cidadão baiano ao comandante da 6ª Região Militar, general Racine Lima, não pôde ser feita no plenário da Assembleia Legislativa, onde meros deputados discutiam democraticamente um projeto do interesse de um governador civil.



Pensamento do dia

Data: 24/02/2014
23:07:51

Há vaquinhas que podem dar bode.



Frequência zero

Data: 24/02/2014
23:05:50

Começou o recesso branco na Assembleia Legislativa. Num fato inédito, a sessão de hoje nem teve termo de abertura, porque era necessária a presença de pelo menos um deputado para lavrá-lo. Poderá ser assim até depois do Carnaval, para quando está marcado o segundo round da PEC dos royalties.



Assembleia abre edital de concurso

Data: 24/02/2014
23:00:21

A Assembleia Legislativa lançará o edital de abertura do concurso público para preencher 97 vagas de nível superior, médio técnico e médio. A Fundação Getúlio Vargas foi contratada para organizar e aplicar a seleção.

A partir de amanhã, terça-feira, os interessados poderão obter informações através do link www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/alba. Esclarecimentos adicionais serão fornecidos pelo telefone 0800-2834-4628 ou pelo e-mail concursoalba@fgv.br.



Trabalho jogado fora

Data: 23/02/2014
15:15:09

Quando o povo já estava reconhecendo a cara de Rui Costa, ele tira os óculos. Agora, vai ter de recomeçar tudo.



Estava com saudade

Data: 23/02/2014
11:49:41

Após breve recesso de dois dias determinado pela PVC, retornamos às postagens regulares.



Só um santo aguentaria tanto

Data: 23/02/2014
11:45:28

É tão antiga a imagem de galhofa do Brasil que, ainda na extinta TV Tupi, na década de 60, o genial Chico Anísio discorria sobre uma hipotética visita ao Brasil daquela autoridade religiosa a que a imprensa, com jeito de contrição, se referia como Sua Santidade. E adiantava que, na programação que teria de cumprir, estava o pontapé inicial de um Fla-Flu no Maracanã.

Cinquenta anos depois, ainda não chegamos a tanto, mas a irreverência à figura papal avançou a passos largos, como vimos no verso “o papa levou tiro à queima-roupa” e na ousadia do jornalista descredenciado da Santa Sé porque, ironizando as viagens de João Paulo II, definiu a diferença entre ele e Deus: um está em todos os lugares e o outro já esteve.

É isso mesmo, é a evolução dos costumes. Houve um tempo em que papa não saía de Roma, hoje dá a volta ao mundo por qualquer dá-cá-aquela-palha. Também, por séculos, todos os papas foram italianos, até que veio um polonês, depois um alemão e, por Deus, um argentino.

Papa não dava entrevista, só falava por bulas e bênçãos. Não conversava com o comum dos mortais, salvo em esporádicas manifestações de humildade, sempre, porém, dentro de atos litúrgicos programados. Papa, sobretudo, não queria saber de futebol.

Talvez incentivada pela inédita descontração de Francisco, pela sua pregação eminentemente social, desprezando a ostentação da riqueza, o que é a cara do PT, e tendo em vista sua condição de torcedor declarado do San Lorenzo de Almagro – aí já no âmbito metafórico lulal –, Dilma viu um caminho de absorver algo do sumo pontífice.

E de tal sorte que precisamos saber com urgência quem botou na cabeça da presidenta o convite ao papa para a Copa do Mundo, de improvável aceitação, por isso mesmo com um propósito reincidente que não engana ninguém: o de fazer demagogia barata diante de uma autoridade que, afinal de contas, é a maior do mundo em sua especialidade.

Bastou a Francisco ouvir em julho, com o Brasil ainda sob o efeito das grandes movimentações de massa do mês anterior, o inacreditável e vergonhoso discurso em que Dilma propôs que o Vaticano liderasse um programa mundial nos moldes do nosso Fome Zero. Tentar colocá-lo agora entre a Copa e os manifestantes é a quintessência do ridículo.



Pré-lançado

Data: 23/02/2014
11:41:49

Radialista de grande popularidade em Juazeiro, Waltermário Pimentel deverá disputar um mandato de deputado estadual pelo PTC. A expectativa é tanta que o presidente regional do partido, Rivailton Pinto, acompanhado do vice, Ricardo Grey, foi ao município para lançar a “pré-candidatura”.



Vendo coisas

Data: 23/02/2014
11:40:39

Deputado do PP acha que o deputado Marcelo Nilo “está botando coisa na cabeça” deste editor, o que revelaria texto em que é focalizada a ausência dos cinco parlamentares do partido no café da manhã com Jaques Wagner, postado segunda-feira, dia 17.

Em nome da isenção deste blog e, por tabela, livrando o deputado Nilo dessa incômoda suspeita, declaramos que é totalmente infundada a suposição, à qual somos obrigados a nos referir por ter sido feita na presença de outras pessoas.



Deixa-disso

Data: 23/02/2014
11:38:40

Entende o experiente jornalista Tasso Franco, editor do Bahia Já, que “estará enganado quem estiver apostando num racha das oposições”, pois, em evento, na Barra, Paulo Souto e Geddel Vieira Lima “deram sinais que estão apaziguados”.

É possível, mas pela cara de Souto em foto distribuída pela assessoria da Prefeitura, a impressão é de que o pau poderia quebrar a qualquer momento se entre eles não estivesse o prefeito ACM Neto.



Terceira via de Campos acabará sendo a segunda

Data: 23/02/2014
11:37:25

No meio político, estranha-se a frequência com que se encontram o governador Eduardo Campos (PSB) e o senador Aécio Neves (PSDB), sinalizando para possível apoio na eventualidade de um segundo turno nas eleições presidenciais a que um deles estiver presente.

Sabe-se que são amigos muito próximos desde os tempos de Câmara dos Deputados e que, por isso, ainda que se enfrentassem numa eleição, não seriam adversários duros, daqueles cujos ataques beiram as acusações. Entretanto, a trajetória de ambos sugeriria outra estratégia.

É que Campos desenvolveu toda a carreira na “esquerda”, como aliado do PT, e até chegou a ministro de Lula, enquanto Aécio pendeu para o “centro”, que no Brasil é a “direita” – uma herança mais política do que genética de seus avôs, respectivamente Miguel Arraes e Tancredo Neves.

Desde a volta das diretas, em 1989, o eleitorado experimentou – fora o arrivismo de Collor – as duas grandes facções da política brasileira. Campos se dispôs a romper essa dicotomia, propondo-se como terceira via, mas, do jeito que vai, permite a suposição de que apenas trocará de lado.

O governador de Pernambuco vê no governo que apoiou durante tanto tempo defeitos que exigem uma mudança para a qual ele não enxerga sentimento dentro do próprio núcleo. Precisará agora revelar o que há de bom a ser preservado ou estimulado na patota do senador Aécio.

Diferente imagem projetaria se tivesse clareza e independência nas suas propostas, sem passar a impressão esquisita de que uma coligação PSB-PSDB poderia sair até para o primeiro turno, quando seria mais que natural se isso ocorresse no segundo.



Diagnóstico

Data: 23/02/2014
11:27:14

“Mais cedo ou mais tarde, todo político acaba correspondendo aos que não confiam nele”. (Millôr Fernandes)



Do primeiro ao quinto

Data: 23/02/2014
11:26:22

Ao especular sobre coligações para este ano, o deputado João Leão apelou para o jogo do bicho, substituindo os números dos partidos pelos animais que representam na tradicional contravenção penal criada no Brasil pelo Barão de Drummond.

“Na bolsa de apostas, o cavalo (11) está mais para se agrupar com galo (13) do que com jacaré (15), que, na banca oposta, estaria menos cotado ainda do que vaca (25)” – disse o parlamentar, referindo-se, respectivamente, ao PP, PT, PMDB e DEM.

Desconhecíamos, apesar do próprio nome, a intimidade do deputado com assuntos ludo-zoológicos, e assim estranhamos que ele não seja filiado ao Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, o PSTU, que tem o número 16 – o grupo do leão.




Página Anterior    Próxima Página