Salvador, 23 de agosto de 2017

A Guerra Fria em modo pastelão

Data: 31/12/2016
08:52:31

O governo Obama faz questão de deixar claro que os russos influenciaram o resultado da eleição – só para se ver a que ponto chegou o mundo, em que esses assuntos íntimos desembocam no twitter.

É uma charada nas mãos de Trump, de como ele negociará de fato com os russos dentro de três semanas, quando adentrar a Casa Branca, quem sabe presente em algum dos seus sonhos imobiliários – não de morar, mas de lotear.

“Expulsa diplomata daqui, expulsa diplomata dali” – tinha sido escrito antes de Putin desautorizar seu chanceler, dizendo que não haverá retaliação aos Estados Unidos, pelo menos quanto ao corpo diplomático.

Presume-se, de qualquer forma, que a questão será levada em banho-maria teatral, carregada como um vaso de plástico fingindo cristal, até a loucura plena e inebriante, se assim vier a revelar-se o destino.

O desenrolar da história da humanidade sugere que, em determinado momento, não haverá como escapar do fogo, se não eterno, pelo menos real e desintegrador da matéria que ouse exibir-se.

Pode ser que não cheguemos a tal ponto, pois, afinal, em situações semelhantes no passado, foi possível contornar o impasse. Mas a verdade é que Trump, como se diz, tem todos os apetrechos.



Seguro pela própria natureza

Data: 31/12/2016
08:50:33

O departamento de previsões de Por Escrito adverte: não era preciso a Marinha, por motivo de segurança, afastar uma embarcação com jornalistas do local em que o presidente Temer passa o fim de ano, no Rio. A possibilidade de um atentado contra ele é zero.



Rui tem título raro na política

Data: 31/12/2016
08:49:42

O governador Rui Costa incorpora ao currículo um título que em breve poderá dar grande contribuição a sua campanha à reeleição: o de governador campeão de cumprimento de promessas, entre os eleitos em 2014.

A atestá-lo, o trabalho profissional do portal de notícias G1, da Globo, que fez um ranking com os 27 governadores, analisando promessas feitas em campanha, constantes do programa de governo e registradas no TSE.

Não importa que Rui tenha cumprido integralmente apenas 38 dos 115 compromissos assumidos e deixado de lado os mais difíceis. Vale a posição aferida, que afasta o estigma de todo mau político: a falta de palavra.



Um vice de peso

Data: 31/12/2016
08:48:36

É importante ressaltar que em segundo lugar veio um forte candidato à presidência da República: Geraldo Alckmin, de São Paulo.



Passivo a considerar

Data: 31/12/2016
08:48:01

Nos dois anos que lhe restam de mandato, o governador baiano tem 58 abacaxis a descascar totalmente e outros 19, parcialmente.

Vamos destacar somente três: a duplicação ou conclusão de dez rodovias, a construção do Complexo de Educação Olímpica e a construção do Porto Sul.



Assembleia terá novos deputados

Data: 31/12/2016
08:47:16

Quatro deputados estaduais serão empossados segunda-feira: Bira Corôa (PT), que vem exercendo o mandato na condição de suplente, Samuel Júnior (PSC), Mirela Macedo (PSD) e Ângelo Almeida (PSB).

A solenidade será no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, às 14 horas, com leitura do termo, que inclui declaração de bens, juramento e pronunciamento, se desejado.

Os parlamentares assumem as vagas deixadas pelos prefeitos eleitos Robério Oliveira (PSD), Rogério Andrade (PSD) e Vando (PSC), em Eunápolis, Santo Antônio de Jesus e Monte Santo, enquanto Mirela ocupa a cadeira de Bruno Reis, eleito vice-prefeito de Salvador.



Trump, o arauto da guerra total

Data: 29/12/2016
08:28:41

Quem não espera uma escalada imediata da violência no mundo, com a iminente posse de Donald Trump na Casa Branca, pode esperar, porque não vai dar outra coisa.

A espetacularização que faz do mandato antes mesmo de assumi-lo é uma evidência de que Trump será pior do que George W. Bush, só Deus sabendo aonde poderá levar o mundo.

Manifestar em rede social solidariedade a Israel depois que o Conselho de Segurança da ONU condenou os assentamentos judeus na Cisjordânia ocupada é ato de irresponsabilidade, incondizente com o cargo que ocupará.

Chamar a ONU de “lugar aonde as pessoas vão se divertir”, igualmente, é a pré-ruptura do que resta de harmonia entre as nações, especialmente num momento – que a História já viu outras vezes – de instabilidade na Europa.

Toda a questão do Oriente Médio, que é ampla, complexa e diversa, tem seu embrião naquela pequena faixa de terra entre o Egito, Jordânia e Líbano, em que a paz não pousará enquanto não houver dois Estados – Israel e Palestina – em cooperação e respeito mútuo.

Trump vai na direção oposta à do ex-presidente Clinton, com os Acordos de Oslo, e à do presidente Obama, que em discurso na Universidade do Cairo, em 2009, mesmo defendendo o direito de Israel à existência pacífica, foi ovacionado pela plateia muçulmana.



Um ato nem tanto falho

Data: 29/12/2016
08:26:37

A propaganda do governo do Estado misturou o político com o publicitário ao referir-se, nominalmente, a Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, governados pelo PMDB, como fracassos de gestão financeira.

A Bahia, não. A Bahia petista de Rui Costa é, do ponto de vista fiscal, mais bem governada, tanto que por aqui as coisas rolam mais ou menos, há investimento, há salários em dia – uma peça que pode ter desdobramento judicial.



Estimativas "a migué" estão de volta

Data: 29/12/2016
08:25:43

Os mais antigos se lembraram do tempo em que, segundo os governos estaduais de então, “dois milhões de pessoas” passavam o Carnaval em Salvador.

A festa de Réveillon da Prefeitura sugere uma volta ao passado, com a estimativa da Secult de 400 mil turistas na cidade para o evento, que terá cinco dias.

Se cada um gastasse R$ 1 mil em média – com transporte, hospedagem, consumo, compras –, seriam R$ 400 milhões. E a rede hoteleira só teria vagas para 10% dessa gente toda.



“Tendências” seguem num PT baleado

Data: 28/12/2016
08:54:11

Três deputados federais do PT – Moema Gramacho, Nelson Pelegrino e Afonso Florence – reúnem as três “correntes” que representam numa chapa para disputar o controle do partido na Bahia.

Por muito tempo, essas “tendências”, como também são chamadas, eram vistas como a voz das bases, expressão viva de uma “democracia interna”. Hoje já se pode questioná-las com mais clareza.

A debacle petista demonstrou que não havia debate em causas capitais, como a escolha do candidato à presidência da República ou à definição de métodos de captação de recursos “eleitorais”.

O partido era formado por ilhas, cada uma com seus mandatários, funcionando isoladamente e pensando primordialmente na próxima eleição.

Não levaram a lugar algum esses supostos núcleos ideológicos, sendo impossível estabelecer, entre eles, diferenças nítidas em pensamentos e propostas que conduzam, nem mesmo no plano retórico.



Não dá pra relevar

Data: 28/12/2016
08:51:49

Os grupos que fazem a presente movimentação no PT – antes foram os deputados Jorge Solla e Marcelino Galo – devem ter em mente que uma repactuação com a sociedade inclui necessariamente o afastamento de militantes condenados por corrupção.



Derretimento geral

Data: 28/12/2016
08:51:08

O problema é que os petistas têm dificuldade de foco sobre a vida política nacional como premissa para trabalhar corretamente na recuperação do partido.

Por exemplo, o deputado Afonso Florence disse que “nesses dois anos houve uma mudança da correlação de forças nacional e o derretimento do governo Temer”.

Ora, houve um derretimento do governo Dilma – e da credibilidade do PT e de seu maior líder, Lula, além de um derretimento final do patrimônio público e do segmento político.



O planeta agradece

Data: 28/12/2016
08:49:51

A campanha para economia de água patrocinada pela Embasa na televisão é uma exceção na propaganda oficial, porque atende ao interesse público numa questão que é hoje crucial para a humanidade.

Em coreografia simples num cenário inexistente, o que faz supor baixo custo de produção, dignos artistas divulgam uma mensagem que continua surpreendentemente atual: temos como poupar água – e dinheiro – no dia a dia.



UPB na dela

Data: 28/12/2016
08:48:25

Está coberto de razão o prefeito eleito de Xique Xique, Reinaldo Braga Filho: a UPB não tem, absolutamente, peso para influir na formação de uma chapa majoritária.

A tese reaparece de dois em dois anos, mas até onde a vista alcança nenhum dos últimos presidentes foi além das funções burocráticas da entidade, para atendimento igualitário a municípios e prefeitos.

Em dez anos passaram por lá Orlando Santiago, Roberto Maia, Luiz Caetano e Maria Quitéria, sem maior significado. Vem agora, possivelmente, Eures Ribeiro, e nada vai mudar.



Muito suspeito

Data: 28/12/2016
08:47:15

Esse negócio de dizer que a investigação da corrupção prejudica a recuperação econômica do Brasil é coisa de quem não quer a investigação.



Dentro Temer

Data: 28/12/2016
08:46:43

É o próprio presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, quem adverte: aspectos processuais poderão adiar a decisão da corte sobre a chapa Dilma-Temer até o segundo semestre de 2017.

Trata-se de uma senha óbvia: o TSE empurrará o assunto politicamente com a barriga para não cassar o mandato do presidente Michel Temer, que foi quem sobrou.



Otto Leão e João Alencar

Data: 28/12/2016
08:45:47

Em declaração até certo ponto temerária, pois se sabe da precariedade dos laços em política, o vice-governador João Leão disse que estará onde estiver o senador Otto Alencar e vice-versa.

Por enquanto, seus partidos, respectivamente PP e PSD, estão unidos para enfrentar o deputado Marcelo Nilo (PSL) pela presidência da Assembleia Legislativa, contra o PT.

Curiosamente, são as duas legendas que, estando com o governador Rui Costa na Bahia, fazem em Brasília parte da base do presidente Michel Temer.



Nesta data querida

Data: 28/12/2016
08:44:46

O deputado Antonio Imbassahy (PSDB) completa um mês de virtualidade ministerial.



O maior espetáculo da Terra

Data: 26/12/2016
08:45:25

Algumas dezenas de vezes veio a público o Instituto Lula para declarar, quanto a denúncias que se abatem sobre o ex-presidente, que ele “não obteve vantagens ilícitas nem antes, nem durante, nem depois de ter exercido a presidência da República”. É um mantra.

A propósito, quer-se compreender afinal qual o propósito da existência do Instituto Lula, pois se era presumivelmente uma entidade proba, para legar aos pósteros a era em que o povo esteve no poder, estranha-se o passivo de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal que está deixando.

Na teoria psicodélica da defesa político-jurídica de Lula, armou-se uma conspiração com toda a força institucional brasileira – Poder Judiciário, Ministério Público, Polícia Federal – para cometer uma série de injustiças com o ex-presidente Lula.

Pergunta-se que regime hitleriano seria esse a conseguir, em juízos e cidades diferentes, implicá-lo em tantos crimes que já se tornou réu pela quinta vez, o que, possivelmente, é um recorde entre ex-chefes de Estado e de governo.

Fora da realidade nacional, o órgão representativo de Lula agora se insurge contra relatórios oficiais dos Estados Unidos e Suíça, sugerindo um complô mundial, apesar da multa e indenização bilionárias aceitas pela Odebrecht e sua evidente intromissão, com suborno, nas decisões do Senado Federal sobre medidas provisórias nos governos Lula e Dilma.



Exército é 100% Constituição

Data: 26/12/2016
08:42:53

Gerações mais antigas torcem o nariz a pronunciamentos de chefes militares – ressabiadas que ficavam com as “ordens do dia” emanadas dos quartéis, abordando princípios e objetivos que as Forças Armadas defendiam quando a ditadura vigorava no país.

Não seria o caso com a manifestação de fim de ano do comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, em que reafirma “a trajetória retilínea de serviços à nação brasileira” [pela corporação], na esteira de declaração anterior de “chance zero” de intervenção militar, como querem “malucos” e “tresloucados”.

O general, até pela experiência histórica, sabe que a emasculação da política pela força seria tão inútil e desastrosa quanto o foi nos 15 anos que durou o golpe de 1964 – origem da desgraça moral e social que ainda nos aflige.

O poder militar destina-se à defesa externa, que por tradição secular não está ameaçada no Brasil, e à garantia dos Poderes constitucionais e, quando convocada por um destes, da lei e da ordem.

Os Poderes estão funcionando – governando, legislando e julgando. Os principais problemas do país estão no foco da nação. A sociedade será vitoriosa se a cada dia registrar mais um avanço em direção a um quadro melhor. Com o arrimo militar à segurança institucional.



Na agenda

Data: 26/12/2016
08:40:39

As pesquisas indicam que Lula é forte candidato à presidência da República, o presidente do PT, Rui Falcão, diz que o partido só tem esse “plano A” para 2018 e agora é o próprio Lula quem defende diretas já.

O cenário parece que está montado. Resta ver se o passar do tempo será generoso com todas essas teses. E se o ofídico personagem – autointitulado “jararaca” – terá condições jurídicas e coragem para meter a cara.



Chegando perto

Data: 26/12/2016
08:39:46

O sítio fica em Atibaia, o tríplex, em Guarujá. Já o mais novo imóvel com indícios de que Lula é o proprietário é um apartamento vizinho à sua cobertura em São Bernardo.



TCE é exemplo para o Brasil

Data: 23/12/2016
21:54:30

Caso não tenha havido erro de digitação na cifra, a Bahia deve aplausos de pé ao presidente do Tribunal de Contas do Estado, Inaldo da Paixão, pela devolução ao governo do Estado de R$ 40 milhões do orçamento.

Foi dinheiro que o TCE deixou de gastar no atual exercício em decorrência, segundo o presidente, de medidas de austeridade adotadas.

É um fenômeno inaudito, pelo menos nessas proporções, na administração pública brasileira, em que a norma é o usufruto de vantagens e benesses até o último tostão.

Imaginem-se gestões profissionalmente focadas no combate ao desperdício e na otimização dos recursos atuando em todos os órgãos federais, estaduais e municipais. Passaríamos ao superávit fiscal.



Eleição na Assembleia foge à alçada de Rui

Data: 23/12/2016
21:53:01

Há um mês, o governador Rui Costa declarava-se distante da sucessão da Assembleia Legislativa, e não por temer atritos com sua base, mas alegando a autonomia e a independência da Casa, cujos 63 deputados “saberão decidir o seu destino”.

Por isso, causou surpresa a recente investida verbal de Rui contra o deputado Marcelo Nilo, colocando em xeque sua candidatura ao sexto mandato de presidente. “Está havendo farpas demais para meu gosto”, disse o governador sobre a disputa, embora seu gosto não seja decisivo.

O que há é uma luta política, como houve em praticamente todos os mandatos anteriores de Nilo, quando os pares o elegeram para fazer o equilíbrio dentro da bancada governista ante a sanha petista por cargos e recursos nos dois governos Jaques Wagner.

O quadro de hoje é politicamente inverso, pois é o PT o maior avalista da reeleição de Nilo, com seus 12 parlamentares, por saber do risco para o governo de um presidente menos afinado – inclusive com reflexos eleitorais em 2018.

Há duas grandes massas de votos vagando nesse processo – a da oposição e a da maioria dos supostos apoiadores de Nilo, que poderiam tomar outro caminho no voto secreto, em correspondência com orientação diversa, de âmbito estadual.

Para consolidar mais um mandato, o presidente precisará quando nada de “uma lembrancinha” no bloco da minoria – uns poucos votos entre os 21 – e continuar sendo uma referência para os deputados que o têm tradicionalmente apoiado.



Feliz Ano Novo

Data: 23/12/2016
21:50:53

O deputado Marcelo Nilo é sombrio quanto ao futuro da economia: “Vamos ter saudade de 2016”.



Artífices da falência até hoje ditam as regras

Data: 22/12/2016
10:35:22

Hoje, o Brasil e o mundo sabem – vide termos do acordo com Estados Unidos e Suíça – que a Odebrecht funcionava como um Congresso paralelo no país.

Em apenas duas das várias medidas provisórias que conseguiu aprovar de 2005 a 2015, a empresa teve lucro de R$ 8,4 bilhões, gastando apenas R$ 16,9 milhões em propina.

No centro das operações estava o senador Romero Jucá – e mesmo os pleitos que chegavam ao senador Renan Calheiros a ele eram destinados como uma espécie de coordenador.

As matérias de que tratavam as MPs eram a isenção de PIS/Cofins na compra de nafta para a Braskem, empresa do grupo Odebrecht, e venda de energia elétrica mais barata a grandes indústrias pela Chesf.

São dois exemplos de ações de homens que até agora ocupam dos mais altos postos da República, nos quais não se pode esperar que se conduzam de forma diferente daquela do tempo em que quebravam o país.



Petroquisa se foi para nunca mais voltar

Data: 22/12/2016
10:33:52

Trinta e cinco anos atrás, o Polo Petroquímico já era o principal pilar da economia baiana, com grande contribuição tributária e geração de empregos, e representava o investimento de prosaicos US$ 5 bilhões.

Foi construído, como quase todo o parque petroquímico nacional, em sistema tripartite, pela associação entre o capital privado e o estatal, representado pela Petroquisa, subsidiária da Petrobras, com o investimento estrangeiro, que trazia o suporte tecnológico.

No governo Collor (1990-92), sem que houvesse razão econômica para tanto, a Petroquisa foi alienada em transação duvidosa, em benefício, principalmente, dos parceiros brasileiros da sociedade, entre os quais a Odebrecht.

A Petroquisa tinha participação em cerca de 90 empresas, como as gigantes Copene (atual Braskem), Petroflex e Copesul, além de grupos empresariais de grande porte, como o Ultra e o Unipar.

Toda essa riqueza foi trocada por papéis podres de diversas naturezas, levando o presidente da estatal Joel Rennó, já no governo Itamar (1992-94), a estimar o prejuízo da companhia em US$ 1,2 bilhão.

Uma CPI retroativa, se possível fosse, poderia revelar as entranhas do crime de lesa-pátria então praticado, com os nomes de todos os culpados, que seriam facilmente descobertos pelo consagrado método “siga o dinheiro”.



Política estadual começa a ferver muito cedo

Data: 21/12/2016
11:40:44

No meio político, informa-se que uma pesquisa interna aponta vantagem de 2 a 1 para o prefeito ACM Neto sobre o governador Rui Costa nas eleições de 2018.

Por conta disso, estaria havendo uma movimentação das placas tectônicas da política baiana, o que, como nos terremotos de verdade, em geral causa muitos estragos.

O senador Otto Alencar é um dos vértices da configuração, pois, cumprindo antigas juras de amor eterno, apoiará Jaques Wagner para o Senado, embora não pareça muito próximo do governador e se insinue sua simpatia com o prefeito.

Também, à guisa de tratar-se de questão interna, Otto manifestou-se contra a reeleição do presidente Marcelo Nilo na Assembleia Legislativa, em confronto velado com Rui, que não tem melhor opção, tanto que a bancada do PT, desta vez, é que corre para apoiá-lo.

A recente reação do governador, propondo que Marcelo Nilo “baixe a temperatura” com o senador e com o vice-governador João Leão, é uma satisfação que ele dá aos aliados, preocupado com a unidade da base, mas não melhorará os fatos.

Nilo distancia-se de Otto e de Leão valorizando a imagem de Rui: “Ele era 90% gestor. Hoje já é quase nota 10 em política. Este ano foi o Natal mais concorrido da Governadoria, tinha o dobro de gente de 2015”.

Em toda essa equação, que pode produzir alianças informais nas eleições majoritárias, um dado não se encaixa: seria cenário inimaginável um afastamento entre os velhos companheiros petroquímicos Rui e Wagner.



Targino vê ralo na Embasa

Data: 21/12/2016
11:38:25

O deputado Targino Machado (PPS) ficou indignado com o envio para seu gabinete, pela Embasa, de “uma publicação de alto padrão, com uma agenda de brinde, se autopromovendo, o que vai de encontro ao atual momento econômico brasileiro”.

Citando o “sacrifício” dos usuários do serviço para pagar o consumo mensal, o parlamentar criticou o abastecimento, a qualidade da água e a frequência de fornecimento e disse que a empresa é “perdulária com o dinheiro público”.



Deputados e jornalistas premiados na Assembleia

Data: 20/12/2016
15:18:58

Longa tradição da Assembleia Legislativa, o prêmio “Destaque”, dedicado aos jornalistas e deputados que tiveram atuação expressiva durante o ano legislativo, foi entregue em solenidade no Salão Nestor Duarte.

Os deputados que receberam o troféu “Imprensa” foram Marcelo Nilo (PSL), Alex da Piatã (PSD), Adolfo Viana (PSDB) e Hildécio Meireles (PMDB) – os dois primeiros, governistas, e os demais, da oposição.

 Os jornalistas, escolhidos em votação secreta, foram Levi Vasconcelos, de A Tarde, troféu Quintino de Carvalho (mídia impressa), Tasso Franco, do Bahia Já, troféu Armando Lobracci Neto (mídia digital), e Itamar Ribeiro, da Rádio Sociedade de Feira, troféu Wilson Menezes (rádio e TV).



Nilo pula fora de chapa e sai para federal

Data: 19/12/2016
18:10:28

Novas e pouco claras perspectivas se abrem sobre eleições de 2018 na Bahia com o anúncio formal do deputado Marcelo Nilo, hoje, de que abre mão da vaga de senador na chapa majoritária para ser candidato a deputado federal.

Nilo deu como explicação para a decisão o fato de o senador Otto Alencar (PSD) e o vice-governador João Leão (PP) terem se unido e lançado dois nomes para derrotá-lo na tentativa eleger-se pela sexta vez presidente da Assembleia Legislativa.

“Se Leão e Otto, a quem tanto ajudei na eleição de senador”, disse o deputado, “estão fazendo isso agora, é claro que vão fazer a mesma coisa em 2018, e aí eu prefiro me retirar para não causar problemas ao governador Rui Costa, que sempre me tratou com muita correção”.

Reiterando o motivo de disputar, Nilo afirmou que foi procurado “pela maioria” dos parlamentares pedindo-lhe que se candidatasse. E provocou: “Hoje tenho 30 deputados que me apoiam. Não conheço ninguém fora do PSD que apoie [Angelo] Coronel e não conheço ninguém fora do PP que apoie Luiz Augusto”.



Candidato trata o prefeito com carinho

Data: 19/12/2016
18:08:39

A oposição, com 21 deputados, joga um papel importante nesta eleição, e o presidente assegura que, embora não tenha havido ainda uma posição formal do bloco, tem conversado com muitos deputados dos partidos da minoria. “Acho que a oposição vai fechar conosco”.

Uma suposta interferência do prefeito ACM Neto para desbancá-lo não o preocupa, uma vez que Neto esteve na Assembleia na semana passada e, além de afirmar publicamente que se trata de um assunto dos deputados, teria repetido a mesma tese na reunião fechada que teve com a bancada.

Marcelo Nilo destacou também sua boa relação com o prefeito, a quem faz questão de receber institucionalmente sempre que visita a Casa. “Desta vez, eu tinha um compromisso no interior e não pude estar aqui, mas telefonei ao prefeito para informar”.



Governo pode ter só um voto a mais

Data: 19/12/2016
18:06:29

O presidente, que deu todas essa declarações durante o almoço anual em que recebe a imprensa credenciada, relacionou as legendas da base do governo que o apoiam: PT, PSL, PT, PDT, PSB e PTN.

Nilo confirmou que está fechada sua proposta de chapa, na qual o PT terá a primeira vice-presidência e a oposição, caso aceite participar, ficará com a primeira secretaria.

Os nove cargos da Mesa já estão reservados aos diversos partidos da aliança, sendo seis para o governo e três para a oposição pelos critérios regimentais de proporcionalidade.

“Ouvi falar que a oposição vai querer quatro”, disse Nilo, sorrindo, em aparente recado ao PSD e ao PP, aos quais caberia a responsabilidade se o governo não viesse a ter uma maioria folgada no colegiado.



“Como será o amanhã...”

Data: 19/12/2016
18:04:55

O ambiente político adquire certa turbidez com uma sucessão de “fatos isolados” que só precisam de um pouco de boa vontade para serem relacionados.

Marcelo Nilo jogou lenha na fogueira ao reportar-se a entrevista do senador Otto Alencar a uma emissora de rádio em que ele diz que só definirá seu posicionamento futuro em março de 2018.

Nilo recordou ainda recente passagem em que Otto manifestou seu compromisso exclusivo com Jaques Wagner, caso o ex-governador venha a concorrer a uma das vagas ao Senado.

Justamente hoje, o bem informado colunista Raul Monteiro afirma na Tribuna da Bahia que o filho do senador, Otto Filho, poderá integrar eventual chapa de ACM Neto ao governo do Estado, ressalvando a óbvia necessidade de, antes, o PSD romper com o governador Rui Costa.



E já comparando

Data: 19/12/2016
18:03:34

Para não deixar a peteca cair, outra recente declaração de Otto: “Wagner foi governador, tem a cabeça branca, foi ministro… Tenho a impressão de que ele está imitando o velho [ACM]. Se a oposição criticar, vai criticar o mesmo fato. Sem querer comparar Rui com João Durval, que são estilos completamente diferentes”.



Rubinho Barrichello

Data: 19/12/2016
18:02:28

A propósito, se levar mesmo até o fim sua candidatura a presidente da Assembleia, Coronel corre o risco de chegar com 24 horas de atraso à votação.

É que, em discurso lido na semana passada da tribuna da Casa, referiu-se à “eleição, no dia 2 de fevereiro, da Mesa Diretora...”

O pleito, conforme o Regimento Interno, será no dia 1º.



Herzem investe contra inchaço da máquina

Data: 19/12/2016
11:26:19

O prefeito eleito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão (PMDB), dá um bom sinal para o início de sua gestão com o anúncio de que reduzirá de 18 para 12 o número de secretarias, assim como do corte de cargos comissionados, que pode chegar a 60%.

É histórico no Brasil que as nomeações são um fim em si mesmas, ou seja, os cargos públicos, até no “primeiro escalão”, são preenchidos por critérios políticos, muitas vezes sem guardar relação com a eficiência do serviço.

Em geral, em todo o país, como no presente caso, há um inchaço da máquina que o futuro prefeito não esconde: são nove mil funcionários, para uma folha de pagamento de R$ 24 milhões por mês.

Herzem, por outro lado, sabe que a sua será gestão municipal observada com especial atenção entre as que se iniciarão em 1° de janeiro, por ser Conquista o terceiro município baiano e importante polo econômico regional.



Única certeza é de que oposição será dura

Data: 19/12/2016
11:24:54

Mas um aspecto igualmente importante é que Herzem popularizou-se em Conquista como radialista combativo, tendo por isso obtido boas votações em eleições anteriores para prefeito e deputado, embora derrotado.

Experiência política propriamente dita, só a teve durante pouco mais de um ano, quando, a partir de março de 2015, assumiu, como suplente, uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Está, portanto, na hora de comprovar o discurso, para o que ele tem pelo menos duas credenciais: é cidadão de reconhecida seriedade e conhecedor dos problemas que irá enfrentar.

Oposição dura não lhe faltará, já que ele venceu, em segundo turno, o candidato do PT, deputado Zé Raimundo, tirando do partido um dos grandes espaços que tinha em todo o Brasil nos últimos 20 anos.



Salário alto não é vergonha para políticos

Data: 17/12/2016
08:18:47

Nada além de demagogia é como se poderia definir esse “gesto” de governantes que reduzem ou congelam os próprios salários, fazendo crer, falsamente, que este – o salário dos políticos – é um problema sério para a economia do país.

Representantes do povo – seletíssimos cidadãos pinçados da multidão pelas mais variadas motivações, com o intuito, no Executivo e no Legislativo, de fazer as leis e dizer como será aplicado o dinheiro público – têm de ganhar muito bem, até para terem mais condições de resistir às tentações materiais mundanas.

Tomemos dois exemplos atuais – o prefeito ACM Neto e o governador Geraldo Alckmin. É preciso muito boa vontade para acreditar que aqueles poucos mil reais que desaparecerão dos seus contracheques de fato significarão alguma restrição no dia a dia de ambos ou a salvação fiscal.

E não somente porque já dispõem, enquanto perdurarem os mandatos, dos privilégios de Estado, que os torna um tanto superiores aos comuns dos mortais espalhados ao léu por aí ou mesmo razoavelmente abrigados em suas tendas de classe média.

As “perdas” salariais que esses arautos da moralidade pública – o governador e o prefeito – se impõem não contêm nada do espírito concessivo que lhes pretendem atribuir. Os dois são ricos. Os salários, para eles, valem como moedas perdidas no fundo de alguma gaveta.

Por outro lado, é um tipo de postura – a demonização dos vencimentos dos políticos – que vem em prejuízo da própria representatividade popular, em geral formada por homens e mulheres menos privilegiados na escala social, que precisam do dinheiro.

Portanto, não nos venham, literalmente, com chorumela, que quer dizer ninharia e também lengalenga. Queremos menos corrupção, cortes nos gastos de fausto, menos propaganda, menos milhares de cargos inúteis, que só alimentam as baterias eleitorais e consomem o bolso do contribuinte.



Pesquisa incompleta

Data: 17/12/2016
08:16:34

O índice de desconfiança sobre Temer atinge 72%.

Aguardam-se os números sobre quem tem certeza.




Página Anterior    Próxima Página