Salvador, 19 de outubro de 2017

Radialistas disputam o governo da Bahia

Data: 31/12/2009
10:11:59

"Eis que senão quando", três radialistas concorrem ao governo do Estado. Geddel e Souto bazofiando metrópole afora, o primeiro com o discurso emotivo de candidato, o segundo, pretenso analista frio da realidade.


E não se lhes pode negar razão, pois desta terra sendo sabem que o falecido "colega" Fernando José, eleito prefeito em 1988, e Raimundo Varela, com uma candidatura a cada pleito, são exemplos consistentes da profissão politizada.


Imbassahy andou fazendo curso, não se sabe se teve conseqüência prática, mas conhece também os poderes das ondas médias e curtas e freqüência modulada na cabeça dos amigos ouvintes.


Político precisa chegar às massas, porque é da espremida mental que delas fazem que irão tirar seus votos. Souto, que já foi radialista, voltou ao mister. Wagner montou numa máquina que em linhas gerais já existia.


Um pouco atrasado, Geddel chegou ao hit parade, mas com sua oralidade tem chance de tirar o atraso. Enfim, com um microfone na mão e uma vontade na cabeça, todos batalharão para ver quem chega a outubro com mais ibope.



Desistência

Data: 31/12/2009
10:10:46

Fonte quente da política baiana assevera: o secretário do Meio Ambiente do Estado, Juliano Matos (PV), não é mais candidato a deputado federal.


A disputar uma primeira eleição difícil em confronto com o próprio partido, preferiu ficar com o governador Wagner e colaborar para a reeleição.



Pranto inútil

Data: 31/12/2009
10:08:14

Sobre os pequenos, como os autistas sem lei e os concursados sem emprego: deixem os fraquinhos chiarem. Eles não estariam reclamando há tanto tempo se estivessem satisfeitos, felizes, quando nada atendidos assim, assim.


Se teriam direito ou se seria injusta a reivindicação, isso não invalidaria seu direito de gritar. A liberdade de expressão estará garantida quando aqueles que aparentemente são chatos e não têm razão puderem continuar incomodando com seu choro os poderosos - minimamente, diga-se, porque não adianta nada e la nave va.



Ingá e ASA parceiros pelo semiárido

Data: 31/12/2009
10:06:57

A partir de janeiro, diversos municípios da região semiárida da Bahia serão atendidos com iniciativas voltadas para a melhoria da oferta de água, nascidas da parceria entre o Instituto de Gestão de Águas e Clima (Ingá) e nove entidades vinculadas à Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA).


O trabalho consistirá de limpeza de aguadas, construção de cisternas e barreiros-trincheira, equipamento de armazenamento de água para produção de alimentos e criação de animais. O investimento é de R$ 9 milhões, do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza, destinando-se a 1.400 famílias.



Deputados surpreendem e votam 18 projetos

Data: 30/12/2009
15:56:28

Foi uma surpresa a última sessão do ano na Assembleia Legislativa, pois a possibilidade de obstrução anunciada pela oposição terminou dando lugar a um acordo que resultou na aprovação de 18 projetos de lei e de resolução.


O mais importante é o do orçamento do Estado para 2010, no valor de R$ 23,6 bilhões, após cuja votação foi iniciado o recesso parlamentar. O plenário da Casa só voltará a funcionar em 18 de fevereiro porque o dia regimental, 15, cairá na segunda-feira de Carnaval.



Oposição não teve força para enfrentamento

Data: 30/12/2009
15:54:51

O governo tinha segurança da força de sua bancada, enquanto a oposição mostrava pouca condição de enfrentar o rolo compressor. Faltaram quatro da bancada do PMDB e também destacados parlamentares do DEM, como Carlos Gaban e Gildásio Penedo, além de João Carlos Bacelar, do PTN.

 
O caminho para o acordo foi a aceitação pelo governo do remanejamento de recursos para as áreas de segurança pública, saúde e educação. Na verdade, foi uma concessão simples, de baixo valor, que deu à oposição uma saída honrosa para sua resistência.


Da pretensão inicial de remanejar R$ 15 milhões da rubrica de propaganda, a oposição teve de conformar-se com a transferência de R$ 5,7 milhões antes destinados à Secretaria do Planejamento. Tirar verbas da propaganda caracterizaria uma derrota política para o governo.



Títulos de cidadão geram divergência

Data: 30/12/2009
15:52:34

Um dos itens secundários do acordo na sessão de ontem foi a concessão de títulos de cidadão baiano. Foram definidos quatro títulos, mas na hora na votação apareceram mais três, da deputada Fátima Nunes, para a secretária de Promoção da Igualdade de Salvador, Luiza Bairros; da deputada Ângela Sousa, para o pastor Josué Brandão; e do deputado Carlos Ubaldino, para o bispo Manoel Ferreira.


Imediatamente houve protestos. Primeiro, do deputado Heraldo Rocha, acusando o rompimento do acordo e excluindo-se de futuros entendimentos. Depois, do deputado Euclides Fernandes, para quem a outorga da honraria está sendo feita com excessiva liberalidade, o que prejudicaria seu próprio valor.


O jeito foi cancelar a aprovação dos três títulos, mas somente a deputada Ângela assimilou com estoicismo o resultado, mostrando-se serena. A deputada Fátima irritou-se com Euclides, fez-lhe um sinal com a mão e disse: "Me aguarde". Já o deputado Ubaldino ameaçou divulgar na sua igreja, a Assembleia de Deus, a atitude de Heraldo, que impediu a apreciação do título do bispo Manoel Ferreira.



Os novos cidadãos baianos

Data: 30/12/2009
15:50:51

Foram aprovados quatro projetos de resolução outorgando títulos de cidadão baiano, sendo três de autoria de deputados e um da Mesa Diretora, este último homenageando o empresário do setor imobiliário Antônio Andrade Júnior. A sugestão foi do deputado Marcelo Nilo, que não pôde apresentá-lo diretamente porque, como presidente, está regimentalmente impedido de fazê-lo.


Os demais cidadãos são: o missionário Daniel de Oliveira, superintendente da igreja Casa da Bênção, por proposta do deputado Roberto Carlos; o empresário Jack Corrêa, presidente da Coca-Cola, por indicação do deputado Elmar Nascimento; e a chefe da Casa Civil do governo estadual, Eva Dal Chiavon, por indicação da deputada Maria Luiza Laudano.



Criados 34 cargos de promotor

Data: 30/12/2009
15:49:27

Encaminhado pelo Ministério Público, foi aprovado o projeto de lei 18.422/2009, que cria 34 cargos de promotor público para atuação em distintos segmentos e regiões do Estado. Dois deles são específicos - para assuntos de meio ambiente e para casos de sonegação fiscal.


Os demais são promotores públicos, nas cidades e quantidades que se seguem: Salvador (5), Camaçari (3), Feira de Santana (3), Juazeiro (3), Ipiaú (2), Jequié (2), Lauro de Freitas (2), Simões Filho (2) e Vitória da Conquista (2), além de Alagoinhas, Barreiras, Brumado, Cícero Dantas, Eunápolis, Irecê, Porto Seguro e Teixeira de Freitas, cada uma com um cargo.



Não serei breve

Data: 30/12/2009
15:47:28

Como a maioria dos projetos foi aprovada por acordo, os relatores abreviaram a leitura dos seus pareceres, permitindo ao presidente Marcelo Nilo submetê-los ao voto de maneira sucinta. Mal o relatório era lido, Nilo dizia: "Em votação, os senhores deputados que o aprovam permaneçam como se encontram. Aprovado".


A coisa foi bem até a hora de o deputado Álvaro Gomes ler seu relatório sobre alterações na Lei de Organização do Judiciário. Para começar, Álvaro subiu à tribuna com uma pilha da papel, assustando os circunstantes, embora tenha ressalvado: "Calma, não é isso tudo, não". E passou à leitura, que durou inacreditáveis 26 minutos.


O mais agoniado com a cena era Marcelo Nilo, diante dos projetos que faltavam para o encerramento dos trabalhos. "Para concluir, deputado", repetia o presidente, mas Álvaro prosseguia. Lá pelas tantas, antes que o relator encerrasse a leitura, Nilo não resistiu: "Eeeeeeemmmmm votação!", liquidando a fatura.



Reajuste da PM ficou para 2010

Data: 30/12/2009
15:45:55

Tendo chegado de surpresa à Assembleia, o projeto de reajuste da Polícia Militar despertou a ira da oposição, que não concordou com sua tramitação. A matéria foi retirada da pauta e só poderá ser votada no próximo ano.


A alegação do governo de que os policiais teriam reajuste de 13% foi contestada pelas entidades representativas de praças e de oficiais. O presidente da Associação de Praças da PM, cabo Pinto, disse que o aumento, na prática, equivale a R$ 40, o que é "uma esmola".


Segundo o militar, o projeto não foi negociado com o segmento, que se sentia "mais uma vez traído" pelo governador. "Ele está subestimando o nosso poder", ameaçou, acrescentando que o governo só cumpriu um ponto do acordo: o que garante na reserva o mesmo salário pago na ativa.



Oficiais traçam estratégia dia 7

Data: 30/12/2009
15:44:22

O major Sílvio Correia, presidente da Associação dos Oficiais da PM, conhecida como "Força Invicta", foi na mesma linha. O aumento seria de R$ 70, "para parte dos policiais e somente a partir de setembro".


Segundo ele, seis mil ficariam de fora e não teriam nada além dos 4% concedidos a todo o funcionalismo. A "Força Invicta" fará uma reunião no dia 7 de janeiro, no auditório da Avenida Tancredo Neves, "para definir uma estratégia" diante da situação.



Governo aproveitou a onda e limpou a pauta

Data: 30/12/2009
15:38:46

São os seguintes os outros projetos de lei aprovados na sessão de ontem, a maioria de autoria do Poder Executivo:


PL 18.423/09 - Cede imóveis nos municípios de Bom Jesus da Serra e Caetanos para formação do patrimônio da Fundação Bahiafarma.
PL 18.432/09 - Altera a estrutura organizacional da Secretaria da Educação.
PL 18.495/09 - Prevê concessão de gratificação por serviços extraordinários a agentes penitenciários, com impacto financeiro de R$ 609 mil em 2009 e R$ 1,044 milhão em 2010 e 2011.
PL 18.288/09 - Fixa em R$ 23,6 bilhões o orçamento estadual para 2010.
PL 18.512/09 - De autoria da Mesa Diretora, reajusta em 4%, para R$ 12.481,98, os subsídios do governador e secretários de Estado e para R$ 10.778 o subsídio do vice-governador.
PL 18.508/09 - Também de procedência da Mesa, reajusta em 4% os salários dos servidores da Assembleia Legislativa.
PL 18.467/09 - Cria na Casa Militar do Governo do Estado as funções de comandante de aeronave, coordenador, segurança de voo e mecânico.
PL 18.468/09 - Indeniza em R$ 100 mil, por força de acordo com a Organização dos Estados Americanos, a família do jornalista Manoel Leal, assassinado na Bahia na década de 90.
PL 18.470/09 - Amplia o quadro docentes das universidades estaduais, com impacto financeiro de R$ 16,8 milhões em 2010 e R$ 40 milhões em 2011.
PL 18.226/09 - De autoria do deputado Luiz Argôlo, com emendas de Euclides Fernandes, cria lei autorizativa para que 57 entidades sem fins lucrativos, em 41 municípios, possam receber subvenção estadual.
PL 18.630/09 - De procedência do TJ, eleva, por emendas dos deputados Álvaro Gomes e Júnior Magalhães, a entrâncias intermediárias, respectivamente, as comarcas de Entre Rios e Luís Eduardo Magalhães.
PL 18.417/09 - Trata da elevação das custas forenses.
PL 18.416/09 - Trata de criação e reajuste de taxas do Poder Executivo estadual.


Detalhes dos projetos podem ser encontrados na página da Assembleia Legislativa na internet: www.al.ba.gov.br.



Wagner pediu e conseguiu ''chave de ouro''

Data: 30/12/2009
10:31:41

Na manhã de ontem, ao deixar o Hotel Pestana, onde fez a abertura de um curso de preparação para soldados da PM, o governador Jaques Wagner chamou a um canto o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, para uma conversa que foi captada por fonte de Por Escrito.


Wagner pediu a Nilo sua colaboração para para que os projetos da pauta da Casa, incluído o orçamento, fossem votados ontem mesmo: "Vamos fechar este ano com chave de ouro", sugeriu o governador.


Nilo concordou, tanto que foi em seu gabinete que se reuniram os líderes governistas e da oposição para fechar o acordo que resultou na votação. Mas a verdade é que a bancada do governo demonstrou grande coesão, talvez estimulada pelo clima otimista no governo depois da última pesquisa Datafolha.



Água para Heraldo

Data: 29/12/2009
17:51:26

As tensões de uma disputa acirrada entre governo e oposição têm suas compensações nos momentos de bom humor. Foi o que aconteceu mais cedo na Assembleia Legislativa, quando o deputado Heraldo Rocha (DEM), líder da oposição, atacava o governo Jaques Wagner.


Numa de suas críticas, disse que faltou água em sua casa, hoje, no Caminho das Árvores, e que pouco tempo depois recebeu um telefonema de sua mãe, que mora em Guarajuba, queixando-se do mesmo problema. "Onde está o Água para Todos?", perguntou o líder, referindo-se ao programa de abastecimento do governo do Estado.


Pouco tempo depois, por coincidência, apareceu na Casa o presidente da Companhia de Engenharia Rural da Bahia (Cerb), Cícero Monteiro, também coordenador do comitê estadual do programa Água para Todos. "Ele veio resolver o problema de Heraldo", disse um governista. O líder assimilou a brincadeira e deu um abraço em Cícero.



Líderes se reúnem em busca de acordo

Data: 29/12/2009
17:50:11

O líder e o vice-líder da oposição, deputados Heraldo Rocha e Paulo Azi, estão reunidos neste momento com o líder do governo, Waldenor Pereira, na tentativa de um acordo para votação de projetos da pauta de hoje da Assembleia Legislativa.


A reunião foi precedida de uma conversa entre Azi e Waldenor, que deixaram o plenário e foram para o gabinete da liderança da maioria, no segundo andar. Pouco tempo depois, Azi desceu ao plenário e chamou discretamente Heraldo, que o acompanhou.


Por Escrito conversou com os dois parlamentares na porta do elevador. Ambos mantiveram a posição: somente o acatamento às emendas propostas pela oposição, descritas em matéria postada mais abaixo, poderá evitar a obstrução.



Reajustes do MP e TJ causam divergência

Data: 29/12/2009
16:58:31

Da mesma forma, a votação das demais matérias de interesse do governo dependerá da concordância do líder Waldenor para aprovação do reajuste de subsídios do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, cujos projetos se encontram na Casa desde setembro.


Os dois oposicionistas não entendem a alegação do líder do governo, de que o reajuste faria com que o TJ e o MP extrapolassem nos gastos com pessoal o limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, alegando que essa questão não diz respeito ao Executivo.


Até o momento, os jornalistas presentes à Assembleia não conseguiram falar com o deputado Waldenor para saber como o governo avalia as pretensões da oposição.



Oposição obstrui votações na Assembleia Legislativa

Data: 29/12/2009
16:56:50

Pelas primeiras manifestações da oposição, a Assembleia Legislativa terá hoje mais uma longa sessão. O projeto mais importante da pauta - o segundo turno do orçamento para 2010 - sofrerá obstrução, a menos que o governo concorde com emendas apresentadas pela bancada da minoria.


"Se o parecer vier sem nossas emendas, não haverá acordo", antecipou o vice-líder Paulo Azi (DEM), referindo-se a propostas já apresentadas e rejeitadas no primeiro turno: remanejamento de recursos da propaganda para as áreas de segurança pública, saúde, educação e infraestrutura, no caso a recuperação de estradas.


Para acatar outros projetos que o governo quer aprovar hoje, a oposição propõe a inclusão na pauta do projeto de lei que eleva a comarca de Entre Rios a entrância intermediária e a aprovação do reajuste dos subsídios do Ministério Público e do Tribunal de Justiça, ao qual o governo vem resistindo.



Acordo facilitaria aprovação de projetos do governo

Data: 29/12/2009
13:29:00

A oposição já decidiu que votará contra o aumento das custas forenses e das taxas do Executivo, podendo ser favorável, a depender do acordo, aos projetos de reestruturação da Secretaria da Educação, criação de cargos nas universidades estaduais, doação de terreno à Bahiafarma e regulamentação da profissão de piloto de aeronave.


O deputado Azi descartou totalmente a possibilidade de entendimento a partir de concessão de emendas ao orçamento pelas quais a oposição levasse certas obras e serviços para suas bases. "Esse tipo de acordo não foi cumprido nos últimos três anos, portanto não podemos acreditar que venham a sê-lo agora".


O líder da bancada, Heraldo Rocha (DEM) criticou duramente o governo por estar, "ainda hoje, encaminhando projetos à Casa, até de utilidade pública", enquanto rechaça matérias de maior significado. "Se o governo quiser votar o aumento do MP e do TJ, nós assinarermos a dispensa de formalidade e os incluiremos na pauta", desafiou.



Souto vê ''manipulação'' e ''factóides'' no governo

Data: 29/12/2009
13:27:12

Ao comentar hoje os números apresentados pela Secretaria do Planejamento a respeito de repasses do orçamento de 2009 em comparação com 2006, o ex-governador Paulo Souto acusou o governo de, "mais uma vez, manipular dados para criticar o passado e encobrir as próprias ineficiências".

 

Para Souto, usar números de transferências constitucionais federais como prova de eficiência de uma gestão é um disparate. "Se o governo quer falar em eficiência, vamos para a aplicação de recursos. Até novembro de 2009, o governo investiu apenas 50% dos recursos disponibilizados pela União. Cadê a gestão?"


O ex-governador considera "inacreditável que após três anos o governo atual continue com esses factóides, ao invés de se preocupar em trabalhar para resolver os graves problemas que afetam a população, sobretudo nos setores de educação, de saúde e da verdadeira tragédia diária que vivemos na segurança pública".



Ares marinhos

Data: 28/12/2009
21:41:27

Pode ser apenas mera especulação ou sonho de uma noite de verão, mas uma chapa Serra-Marina teria, pelo menos, um nome fortemente ecológico. 



Wagner destaca inclusão social pelo emprego

Data: 28/12/2009
19:19:30

Em seu programa semanal de rádio, o governador Jaques Wagner disse que em seus três anos de governo foram gerados mais empregos que em todo o período anterior, de Paulo Souto, virtual adversário nas urnas de 2010.


Anunciou também que a Bahia produziu um de três empregos criados no Nordeste, sintoma para ele muito mais adequado à marca de "inclusão social" que pretende dar ao governo.


O mês de novembro, informou, fechou com 75.424 novos empregos no Estado, metade criada fora da Região Metropolitana de Salvador. A "interiorização do desenvolvimento", segundo Wagner, dá às "classes D e E" condições de comprar "mais geladeira, mais fogão".



Leitor diz que médica pediu demissão

Data: 28/12/2009
19:12:13

O leitor Paulo Roberto Passos contesta a notícia, postada mais abaixo, sobre a demissão da médica Tânia Caetano, que trabalhava para a Prefeitura de Casa Nova, no posto de saúde do distrito de Santana do Sobrado.

 

Diz que a informação "está um tanto quanto distorcida pela assessoria de imprensa do deputado Roberto Carlos" (na verdade foi o próprio parlamentar quem fez a afirmação) e que a médica pediu demissão através de carta encaminhada ao secretário da Saúde e ao prefeito Orlando Xavier.

 

"Na mesma Santana do Sobrado", rebate o leitor, "o deputado prometeu renunciar ao mandato caso o prefeito Orlando ganhasse a eleição, como fez em Bonfim, Jaguarari etc. Será que veremos isso? O prefeito de Bonfim cobrou na TV São Francisco, e infelizmente não teve resposta".



Geddel vê contraste entre Lula e Wagner

Data: 28/12/2009
18:17:37

Em balanço de 2009 feito em seu programa semanal na "Rádio Metrópole", o ministro Geddel Vieira Lima destacou "o contraste entre a atuação positiva do governo Lula e o desempenho negativo do governo Jaques Wagner", citando dados para comprovar "o avanço social e econômico do país e a regressão da Bahia em relação aos demais Estados".


"Nosso Estado andou para trás ao longo do ano, vendo crescer a violência de forma inaceitável, perdendo investimentos importantes para Estados como Pernambuco e Ceará, alcançando o triste título de campeão nacional da dengue e da meningite", disse Geddel no comentário, que também é veiculado por diversas emissoras do interior.


O ministro referiu-se à redução da pobreza no país, "diminuindo a distância entre ricos e pobres", mas, na sua avaliação, "apesar dos programas federais de distribuição de renda, como o bolsa família, o governo do Estado não acompanhou o ritmo do governo federal, e com isso os baianos perderam".



Pesquisas incomparáveis

Data: 28/12/2009
18:09:51

A respeito de nota postada abaixo, sob o título "Procura-se um discurso", o leitor Isaac Jorge enviou o seguinte e-mail a Por Escrito: "Caro editor, a 'Folha' teve o cuidado de deixar claro que as duas pesquisas feitas pelo Datafolha não podem ser comparadas. Está no texto deles. De resto, é a fábrica de factóides do DEM em busca de espaço na mídia".



Deputado fala em Assembleia sem sessão

Data: 28/12/2009
18:08:14

Como somente 17 deputados marcaram presença no painel eletrônico, não houve número suficiente para a sessão de hoje da Assembleia Legislativa. O que não impediu o deputado Álvaro Gomes (PCdoB) de fazer uma das coisas de que mais gosta: discursar.


Sentado à presidência da mesa para lavrar o termo de abertura, Álvaro aproveitou para deixar nos anais da Casa  uma convocação para a votação, amanhã, de um projeto do Poder Judiciário do qual é relator, elevando a comarca de Entre Rios a entrância intermediária.


O parlamentar fez ainda emenda elevando de 15 para 20 o número de juízes em Juazeiro e acatou sugestões de colegas para promover, também, a comarca de Luís Eduardo a entrância intermediária e transferir de Pindaí para Guanambi os assuntos judiciários do município de Candiba.



Líder espera votar orçamento amanhã

Data: 28/12/2009
18:05:43

A sessão de amanhã, aliás, promete ser das mais longas, não tanto pela força da oposição, que nos últimos dias arrefeceu um pouco o ânimo, mas pela quantidade de projetos que o líder do governo, Waldenor Pereira (PT), pretende colocar em votação.


Seriam pelo menos seis matérias, incluindo o segundo turno do orçamento estadual para 2010. Há ainda os projetos de criação de cargos para ampliação das universidades estaduais, majoração de custas forenses e de taxas estaduais e reestruturação da Secretaria da Educação.


Se tudo correr bem, o recesso parlamentar terá início amanhã mesmo, ou na madrugada de quarta-feira, quando se encerrar a sessão. Mas se a oposição pedir vista do projeto orçamentário, a votação em segundo turno só ocorrerá no dia 5 de janeiro.



Ciro trabalharia pela vice

Data: 28/12/2009
18:04:19

Observadores do quadro político nacional têm convicção de que o deputado Ciro Gomes (PSB) não quer ser candidato a presidente da República nem a governador de São Paulo, apesar de ter transferido seu domicílio eleitoral do Ceará.


Seu verdadeiro objetivo seria a vice-presidência na chapa da ministra Dilma Rousseff. Não foi por outro motivo que Ciro, além de bater duro no PMDB, um "ajuntamento fisiológico", partiu para a desqualificação pessoal e política do deputado Michel Temer, virtual vice do partido numa eventual aliança com o PT.



Deputado defende chapa Serra-Marina

Data: 28/12/2009
18:01:50

O deputado João Carlos Bacelar (PTN) reclama a primazia da ideia, já que na semana passada sugeriu em seu twitter que a senadora Marina Silva (PV-AC) fosse candidata a vice-presidente da República na chapa do governador de São Paulo, José Serra (PSDB).


A hipótese passou a ser ventilada e o deputado acha que "faz sentido", porque é "a única oportunidade que ela tem para colocar em prática seu pensamento sobre a questão ambiental no Brasil".


"Ligada ao PT, como ministra do Meio Ambiente e senadora da República, ela não conseguiu nada", argumentou Bacelar, lembrando que o PV tem grande afinidade com Serra, pois "faz parte da base do seu governo em São Paulo".



Tudo pelo projeto

Data: 28/12/2009
17:58:36

Preparando-se, hoje, para dar entrevista por telefone à "Rádio Subaé", de Feira de Santana, sobre uma questão ligada à saúde no município, o deputado Zé Neto (PT) soube pelo radialista que teria pouco tempo porque estava na fila, também, o presidente do PMDB, Lúcio Vieira Lima.


Expert em provocação, Zé Neto aproveittou o curso da entrevista para informar que naquele momento estava na porta da Governadoria, aonde levava, para declarar apoio ao governador Jaques Wagner, o prefeito de São Gonçalo dos Campos, Antônio Bessa, o "Furão", justamente do PMDB.


"Furão" votará em Wagner, mas, curiosamente, seu candidato a estadual é o ex-deputado Targino Machado, hoje no PSC. "Não tenho interesse pessoal nessa aliança, o importante é que ele vai apoiar nosso projeto", disse o modesto e desinteressado Zé Neto. Não se sabe se Lúcio comentou o assunto.



Wagner sem os pequenos

Data: 28/12/2009
17:56:05

Coordenador da campanha de reeleição do governador, o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, advertiu Jaques Wagner de que o pleito não será vencido com facilidade e destacou o fato de que  nenhuma das pequenas legendas está disposta a coligar-se ao PT.


De modesta estrutura e capacidade eleitoral limitada, esses partidos, no entanto, reunidos dão a impressão de grande força, o que tem impacto psicológico sobre o eleitorado. O próprio governador vangloriava-se muito das alianças que amealhou em 2006.


Caetano quis telefonar aos presidentes de alguns desses partidos para comprovar, mas Wagner preferiu que não o fizesse. Estão na lista PRP, PT do B, PMN, PHS, PSL, PRTB e PSDC, entre outros. Definitivamente afastados do PT estão o PV, o PTC e o PPS, sem falar nos ideológicos PSOL e PSTU.


Quanto ao PSB, é definido como "uma incógnita", pois vai depender da possível candidatura presidencial de Ciro Gomes e, principalmente, do tratamento que tiver a candidatura ao Senado da deputada Lídice da Mata.



Coligação difícil

Data: 28/12/2009
17:54:22

Carece completamente de fundamento a notícia de que o deputado federal Edson Duarte (PV) concorreria ao Senado na chapa do ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), candidato ao governo que teria na vice o ex-deputado Eliel Santana (PSC).


A tendência é o nome de Edson ser apresentado em chapa própria, na tentativa de buscar votos nas correntes políticas que se opõem à reeleição de Wagner, o que seria bastante plausível em razão de haver duas cadeiras de senador em disputa.


O desmentido e a estratégia são da lavra do presidente do verdes baianos, Ivanilson Gomes, ele próprio candidato a deputado estadual.



Unidade móvel garante médica em Casa Nova

Data: 28/12/2009
17:52:49

Demitida pelo prefeito Orlando Xavier (PR) da unidade em que trabalhava em Santana do Sobrado, distrito de Casa Nova, a médica Tânia Caetano não ficou muito tempo sem clinicar: ontem ela voltou ao distrito, numa unidade móvel de saúde viabilizada pelo deputado Roberto Carlos (PDT).


A médica foi demitida porque reivindicava melhorias para o posto médico, e era tão conceituada entre os pacientes que foi organizado um abaixo-assinado com mais de duas mil pessoas pedindo seu retorno. Agora, a unidade irá uma vez por semana a Santana do Sobrado.


"A população recebeu a doutora chorando de emoção", disse Roberto Carlos, destacando que uma consulta com ela é sempre minuciosa. No reencontro, das 10 horas às 20h30 de ontem, a médica atendeu a 47 pessoas.



Procura-se um discurso

Data: 28/12/2009
17:51:13

Avaliando a recente pesquisa Datafolha, a cúpula do DEM chegou a uma conclusão: se, em comparação com os números do mesmo instituto aferidos em março, o governador Jaques Wagner subiu apenas um ponto percentual, de 38% para 39%, é porque a maioria do povo baiano não quer sua reeleição.


O diagnóstico é de que um discurso bem encaixado poderá atrair o eleitorado para a candidatura de Paulo Souto ou mesmo para a de Geddel Vieira Lima (PMDB), pois ambos os postulantes tiveram razoável crescimento em relação à sondagem anterior. "E nesses meses todos o governo está gastando forte em propaganda", disse um oposicionista que participou da reunião do DEM.



Candidatura desafiada

Data: 27/12/2009
09:25:03

Fonte da política conquistense informa: o prefeito Guilherme Menezes, liderança de corrente petista diferente da do deputado estadual Waldenor Pereira, coloca quatro aliados nos calcanhares do líder do governo em sua caminhada à Câmara dos Deputados.


Coisa meticulosa, com quatro candidatos atuando em segmentos díspares: na saúde, o diretor-geral da Secretaria da Saúde municipal, Amauri Teixeira, nos movimentos sociais, o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Afonso Florence, e na zona rural, o secretário de Combate às Desigualdades Sociais, Valmir Assunção.


O quarto nome é o do deputado federal Zezéu Ribeiro, apontado pela fonte como "flutuante", isto é, permeia todo o eleitorado supostamente orientado por Menezes. Vencer esses obstáculos com o cacife que lhe confere o longo exercício da liderança do governo Wagner na Assembleia é um desafio para Waldenor.



Lula, Wagner e as bases

Data: 27/12/2009
09:23:01

O deputado Nelson Leal (PSL) é um dos maiores entusiastas da candidatura do governador Jaques Wagner à reeleição. "No interior, é nítido o descolamento de Wagner do ex-governador Paulo Souto", afirmou.


Um sintoma seria o "assédio de lideranças oposicionistas por um diálogo com o governo", para ele decorrente da constatação de que a população está vivendo melhor graças às políticas federal e estadual.


A causa seria a diretriz do governo Lula, assumida por Wagner, "de contrariar a lógica dos governos anteriores, que faziam crescer as empresas", enquanto o atual voltou seu foco para "o crescimento da base, das classes C e D", disse Leal.



Deputado quer rodízio de carros por placa

Data: 27/12/2009
08:54:07

O deputado Adolfo Menezes (PRP) pergunta "quando o prefeito de Salvador vai ter coragem" de determinar o rodízio dos veículos de Salvador, que circulariam em dias alternados, de acordo com o final par ou ímpar da placa.


"Ninguém transita mais nesta cidade. Então, já que não há obras para melhorar o tráfego, que pelo menos se adote o rodízio?, insistiu Menezes, registrando que "Feira está construindo mais viadutos do que Salvador".


Sobrou crítica também para o metrô, "que era para ir da Lapa a Pirajá e agora, quando for inaugurado, só vai da Lapa até o fim do Bonocô. Não vai servir nem a 50 mil pessoas", estimou. 



Ex-prefeito tentará Assembleia em 2010

Data: 27/12/2009
08:52:16

O Vale do Jiquiriçá tem sacramentada uma candidatura a deputado estadual em 2010: a de Astor Moura Araújo, do PMDB, três vezes prefeito de Itaquara, que se considera credenciado pelas gestões que fez. "A região carece de uma representação mais forte", disse Moura.


Em seus mandatos, principalmente no período de 1997 a 2004, Moura privilegiou o saneamento básico, reduzindo a 9% o índice de esquistossomose no município, que havia chegado a 94%.


Itaquara, que se caracteriza por uma economia diversificada, envolvendo pecuária e culturas de cacau, café e frutas, tem oito mil habitante e 5.600 eleitores. O ex-prefeito vai buscar reforço em outros municípios do vale, que tem um eleitorado de 300 mil pessoas.



BLAGUE NO BLOG - Sem juros nem correção

Data: 27/12/2009
08:48:07

O jornalista Jorge Calmon, morto em 2006, aos 91 anos, era mesmo refinado na arte de responder e fazer reparo.


Visitava a Bahia, em 1978, o general João Baptista Figueiredo, indicado pelo presidente Ernesto Geisel (1975-1979) para seu sucessor.


Reunido com personalidades estaduais, Figueiredo o confundiu na saudação com o então senador capixaba João Calmon, presidente dos "Diários Associados", um império em falência e desagregação.


Cioso de sua linhagem, Jorge Calmon observou, em tom discreto, mas alto o suficiente para ser ouvido pelos circunstantes: "General, abata minhas dívidas".



Produtor teve mais espaço em Copenhague, diz secretário

Data: 26/12/2009
12:15:35

Para o secretário da Ciência e Tecnologia, Eduardo Ramos, "os bilhões que sofrem dos azares do aquecimento global" tiveram pouco espaço nos debates de Copenhague, em relação às grandes empresas e entidades corporativas, a exemplo da União Nacional da Indústria de Cana e Açúcar.


Trata-se da "maior organização dos setores de açúcar e etanol, que fala e age no Brasil e ao redor do mundo em nome dos produtores líderes de açúcar, etanol e bioeletricidade, com 110 associadas que representam 60% do etanol e do açúcar no Brasil".


O secretário cita também a livre participação da senadora Kátia Abreu (DEM-GO), presidente da Confederação Brasileira de Agricultura, para quem "os produtores brasileiros produzem com uma mão e preservam com a outra", conforme afirmou em dois momentos da conferência.


"Naquele momento", disse Eduardo Ramos, "tive que intervir, dizendo que milhares de animais, plantas e o solo estão sendo torrados continuadamente e as árvores serradas pelos produtores de gado".




Página Anterior    Próxima Página