Salvador, 21 de outubro de 2017

Esperança de Dilma é segundo turno com Marina

Data: 30/08/2014
11:17:03

Desde a primeira eleição presidencial direta após o regime militar, em 1989, o anseio fundamental da população é pela ética na política, que, afinal, é a base para o exercício dessa atividade essencial.

Foi assim, com a promessa de caça aos “marajás” da República, que “o novo” Fernando Collor consolidou a imagem que o faria vencer aquele pleito, sobrepujando nomes sedimentados na vida nacional, como Ulysses Guimarães, Mário Covas, Leonel Brizola e  o próprio Luiz Inácio da Silva, que despontava.

No mais remoto interior, esta foi a declaração de um cidadão desdentado ao ser instado a votar em outro candidato: “Aqui é ‘Cola’, é ele que vai prender os ladrão”, não adiantando argumentos como “a história” que teriam outros concorrentes.

O vice Itamar Franco foi um sucessor acidental de Collor, para completar um mandato atropelado pela corrupção, mas assegurou a eleição do seu ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, com a espetacular vitória sobre a inflação, algo que os brasileiros nem sonhavam que pudesse acontecer.

Oito anos depois, com a reeleição que ele mesmo patrocinou, FHC teve de engolir, enfim, a ascensão de Lula, que cavalgava um tipo superlativo de ética: a de que um governante não pode deixar seu povo morrer à míngua, como supostamente vinha acontecendo.

Chegaria ao poder, no imaginário coletivo, o homem que, à frente de um partido nascido das “bases”, comandaria uma transformação que inverteria a lógica da acumulação de riqueza e propiciaria à maioria da nação, inicialmente, a esperança, que seria seguida pela prosperidade e pela felicidade.

Hoje sabemos como tudo transcorreu, com repetição de vícios e métodos que em nada contribuíram para o povo brasileiro valorizar o instrumento da política. A esperança, entretanto, é um poço sem fundo – por mais que estejamos caindo há sempre a perspectiva de nos agarrarmos a alguma coisa.

O nome desse galho em que almejamos segurar, impedindo ou aliviando a queda infinita, é Marina Silva, e isso pode ser visto no constante crescimento que vem conquistando no universo eleitoral desde a morte de Eduardo Campos, a ponto de, a esta altura, ser encarada mesmo como um fenômeno.

Não adianta imaginar o contrário, porque a precipitação dos fatos apenas dourou de emoção uma candidatura que já possuía um patamar erguido com os rótulos – não necessariamente as virtudes – da coerência, da firmeza, da seriedade, dos princípios, enfim, da velha e desejada ética.

Também não adianta a presidente Dilma falar em “obscurantismo”, “retrocesso”, “incompetência”, porque, nas atuais condições, o confronto com Marina lhe será altamente prejudicial. Melhor seria garantir de forma mais discreta um lugar no segundo turno e lutar para ver se o resultado final não será o que hoje se prenuncia.



Fora de combate

Data: 30/08/2014
11:12:29

Comentário um tanto mórbido ouvido no meio político: “A única chance de Aécio agora é arranjar um avião e botar Marina para cair”.



Jurandy busca nono mandato

Data: 30/08/2014
11:11:51

Embora reconhecendo o “grau de dificuldade crescente nas eleições quando não se detém o poder econômico”, o deputado Jurandy Oliveira (PRP) empenha-se na campanha à reeleição para alcançar o que seria, na Assembleia Legislativa, um recorde: o nono mandato consecutivo.

Jurandy está há 43 anos na vida pública, tendo iniciado a carreira como prefeito de Ipirá em 1971, ainda pelo velho MDB. “Sou grato pelo apoio que até hoje venho recebendo da população e espero retribuir essa confiança com muito trabalho, de forma leal e honesta, para melhorar cada vez mais as condições de vida dos baianos”, disse Jurandy.



Conclusão natural

Data: 30/08/2014
11:10:51

A avó, pouca afeita a detalhes da política, pergunta à neta: “Lula é candidato a quê?”

“A nada, por quê?” E a resposta, coberta de lógica: “Porque toda hora aparece a cara dele aí”.



Relator garante votações da PM e Bombeiros

Data: 30/08/2014
11:09:41

Relator dos projetos que reorganizam as estruturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o deputado Zé Raimundo (PT) informa que, “após as mediações e negociações” em curso, “o processo está se afunilando” para que a votação possa ocorrer na próxima semana.

Como se rechaçasse a possibilidade de os projetos não irem ao plenário antes das eleições, como se comenta nos bastidores, o parlamentar lembrou que esse é “um compromisso do governador Jaques Wagner com as entidades” representativas das corporações, tendo para isso estimulado “uma discussão democrática”.

Zé Raimundo disse que os encaminhamentos envolvem também Casa Civil , Secretaria da Administração, Secretaria da Segurança Pública e comando da Polícia Militar, além do líder do governo, Zé Neto, e da Procuradoria da Assembleia. “Estamos fazendo um esforço conjunto para finalizar o relatório”, concluiu.



Governista nunca viu "tanta dificuldade"

Data: 30/08/2014
11:08:35

Deputado governista sempre sincero em suas análises teme pela sorte do candidato ao governo Rui Costa (PT). “Com 15% nas pesquisas a uma altura destas, só resta a esperança da televisão para mudar as coisas”.

Segundo o parlamentar, não há nada contra a pessoa de Rui, mas “ninguém conhece ele”, o que afeta também a campanha das chapas proporcionais. “Nunca vi tanta dificuldade para deputados do governo, e eu tiro por mim”.

Um dado na última pesquisa chamou a atenção do deputado: a expectativa de vitória de Paulo Souto é de 51 a 10, o que significa que um terço dos eleitores de Rui Costa não acredita que ele seja eleito. “E agora o povo botou na cabeça que Paulo Souto já ganhou”.



Cacá confiante

Data: 30/08/2014
11:07:31

Já o deputado Cacá Leão (PP), que agora tenta a Câmara dos Deputados, diz que a chapa majoritária do governo “arrasta multidões por onde passa”, o que o faz acreditar na vitória “no primeiro turno”.

Em Ibicaraí, segundo ele, foram oito mil pessoas, enquanto em Rui Barbosa e Itaberaba a plateia chegou a 12 mil. “Paulo Souto não mostra essa força, tanto que as fotos da campanha dele nuna focalizam o público, só o palanque”, provocou.



Fome de votos

Data: 30/08/2014
11:06:39

Embora aparentemente não demonstre, Cacá disse que ganhou seis quilos na campanha. "Domingo passado mesmo, almocei três vezes”.



Helicóptero

Data: 30/08/2014
11:05:55

O ex-governador Paulo Souto (DEM) poderia dispensar uma demagogia em sua campanha ao governo do Estado: dizer que vai destinar o helicóptero do governador para uso da Polícia Militar.

A menos que o motivo seja outro, como o medo de voar, por exemplo, Souto deveria, caso eleito, usar a aeronave para melhorar sua circulação pelo Estado, que é extenso, e assim otimizar o desempenho da gestão.



Guerra santa

Data: 30/08/2014
11:05:11

No populoso distrito de Itamira, no município de Aporá, evangélicos da Assembleia de Deus estão revoltados com o deputado Carlos Ubaldino (PSC), pastor ligado à igreja, e pressionam o pastor local, Jeferson Paz, a retirar-lhe o apoio eleitoral.

O pecado de Ubaldino, que tenta o terceiro mandato, foi, segundo os fiéis, ter concelebrado uma missa católica com o padre José Braz, na paróquia da sede, no último dia 15, quando se realizou a tradicional festa de São Roque.



Presidente do TJ visita Dr. Jesus

Data: 28/08/2014
22:29:52

O presidente do Tribunal de Justiça, Eserval Rocha, visitará às 11 horas de amanhã a Fundação Dr. Jesus, hoje considerada uma referência no Estado e no país no tratamento, prevenção e recuperação de dependentes químicos – um serviço completamente gratuito a todos que o procuram.

Atualmente com quase mil internos, a Fundação, na rodovia BR-324, mantém parceria com empresas para capacitação e absorção de profissionais em diversas atividades produtivas, como panificação, corte e costura, solda e mecânica, habilitando para o mercado de trabalho jovens que viviam sem futuro pelas ruas.

O desembargador Eserval participará, na oportunidade, do projeto “A sociedade no combate à prevenção de drogas”, um desdobramento do programa estadual Pacto pela Vida, criado por lei no âmbito do Sistema de Defesa Social, com o objetivo principal de promover a paz social.



Pensamento do dia

Data: 28/08/2014
11:45:57

Na política, é lícito desejar a desgraça alheia.



De tango e messianismo na eleição presidencial

Data: 28/08/2014
11:45:19

O cenário brasileiro exibe tons de argentinização – a vocação à tragédia política dos nossos vizinhos que a crônica esportiva tenta transformar em inimigos.

É verdade que temos nosso próprio histórico no ramo, com o suicídio de Getúlio, a renúncia de Jânio e a morte de Tancredo, mas o quadro atual traz fortes emoções, porque transcorre, por assim dizer, às claras, compartilhado em tempo real por milhões e milhões.

A mudança drástica e brusca no processo sucessório aponta para o desconhecido, porque novas gerações de eleitores vislumbram a possibilidade de ter algo diferente do que sempre viram.

Mas a trajetória de Marina Silva, a despeito da experiência que certamente tem e demonstra com desenvoltura, não aconselha os setores da “velha política” e, por extensão, da “velha economia”, a baixarem a guarda.

A luta vai ser de morte – morte política, bem entendido, como no golpe que representou o fracasso da criação da Rede em 2013. Tudo será feito para barrar à candidata o caminho que a ela se abre.

Nada, porém, frustrará esse espetáculo se o roteiro já tiver sido escrito com jeito de tango na música incidental. Estaríamos diante da inevitabilidade de Marina, messiânica, comandar um novo pacto para a nação.



Desafetados

Data: 28/08/2014
11:43:16

Enquanto o PT fechou questão sobre a venda de terrenos do município, vereadores preferiram deixá-la entreaberta.



Abaixo da tabela

Data: 28/08/2014
11:42:31

Dois cidadãos trocavam ideias no estacionamento da Assembleia Legislativa sem notar que o diálogo era captado nas proximidades.

“Os dois mil votos que tenho só dou por 100 mil”, disse o primeiro, prontamente contestado pelo interlocutor: “Como você vai vender por 100 mil se nós tamos conseguindo de 150 a 200 mil?”

A explicação: “Mas meu município é diferente do seu” – não se sabendo se essa diferença era no tamanho ou na necessidade do eleitorado.



Levanta-te

Data: 28/08/2014
11:40:19

De um governista: “A saúde está tão bem na Bahia que os hospitais ressuscitam mortos".



Escolas de tempo integral

Data: 28/08/2014
11:39:44

O secretário geral do PSB baiano e candidato à Assembleia Legislativa, Rodrigo Hita, não admite dúvida sobre o compromisso da candidata ao governo Lídice da Mata de fazer na Bahia a escola de tempo integral.

“Em Pernambuco”, afirmou, “o governador Eduardo Campos mostrou que isso não é impossível. Ele encontrou sete escolas e ao terminar o governo deixou 383”.



Titulares e reservas jogam para o Senado

Data: 28/08/2014
11:38:48

A disputa entre os dois principais candidatos ao Senado continua exigindo dos cabos eleitorais. Geddel Vieira Lima se conforma com uma solução local, o prefeito ACM Neto. Otto Alencar achou melhor buscar o ex-presidente Lula.

Claro que os coadjuvantes também entraram em cena. Joaci Góes, que é vice na chapa de Paulo Souto, ao apoiar Geddel com toda ênfase, deu-lhe, por insuspeito, um atestado de isenção quanto à fama de que seria “um novo ACM”, como já se disse maldosamente no passado.

O governador Jaques Wagner elogiou o desempenho de Otto como secretário da Infraestrutura e em outro vídeo parabenizou o companheiro, definido como “grande baiano e brasileiro que muito tem contribuído para melhorar a vida de todos nós aqui na Bahia”.



Estrada boa leva ao coração

Data: 28/08/2014
11:37:37

Excelente o refrão do jingle de Otto: “Agora tem asfalto, eu vou e volto/eu voto Otto/eu voto Otto”.

A musiquinha coroou uma bela peça publicitária, mostrando estradas novas ou recuperadas e os nomes de vários municípios em placas de sinalização.

Para quem sofre – ou sofreu – o dia a dia de rodovias esburacadas e quase intransitáveis, delas precisando para ganhar a vida, é um apelo muito forte.



Como no xampu

Data: 28/08/2014
11:36:34

A voz rouca de Lula ainda é a mesma, mas a credibilidade...



Uma força para Eliana

Data: 28/08/2014
11:36:01

Foi expressivo o depoimento de Marina Silva em favor da candidata do PSB ao Senado, Eliana Calmon.

Se for consistente e contagiante o efeito Marina na pregação de “uma nova política” para o Brasil, Eliana deverá apresentar um crescimento nas próximas pesquisas.



Unissex

Data: 28/08/2014
11:35:17

Hamilton de Assis (PSOL) entrou de sola nos adversários Geddel Vieira Lima (PMDB) e Otto Alencar (PSD): “Ambos participaram de governos petistas e de governos carlistas e ambos fracassaram com ACM e com o PT”. E de quebra: “As mesmas empresas ganharam com eles”.



Olhando ninguém diz

Data: 28/08/2014
11:34:34

O horário eleitoral de São Paulo nos deu a ventura de ver Paulo Maluf fazer sua propaganda. “Bandido bom é bandido preso”, bradou.

E depois: “O cidadão hoje sai e não sabe se volta”. Tal qual ele, se viajar ao exterior.



Entrevista ao JN pode consolidar "onda Marina"

Data: 27/08/2014
20:50:19

Naturalmente que a recém-encerrada entrevista de Marina Silva ao Jornal Nacional exigirá uma avaliação mais criteriosa, com base na análise de cada palavra dita pelos três participantes da cena, talvez mais, se William Bonner e Patrícia Poeta estivessem sendo alimentados pelo “ponto”.

Mas a primeira impressão que dá é a de que, como num misterioso concerto do acaso, foi o melhor desempenho entre todos os candidatos presidenciais que desfilaram na preciosa bancada da Rede Globo, não sendo de duvidar que seu nome experimente, pelo menos nesses próximos dias, números ameaçadores até de liquidação antecipada do pleito.

Pelo que vimos, será preciso um empenho muito grande de quantas forças nisso estejam interessadas para conter a “onda” Marina, que em poucos minutos, mesmo deselegantemente restringida pela extensa repetição de uma pergunta enorme de Bonner, interrompendo-a quando justamente a respondia, detonou toda a arrogância que vem sendo demonstrada nesta série de programas, especialmente, pelo entrevistador.

Marina se mostrou altiva, serena, concentrada e, sobretudo, transmitiu segurança própria de quem tem convicções arraigadas e sabe de cor e salteado o que pretende. Não foi autoritária nem intransigente, conseguindo passar ao telespectador, na sutil utilização do clima de comoção que a cerca, uma mensagem de esperança capaz de incendiar o coração de muita gente.

Não houve como envolvê-la em supostamente contraditórias alianças espúrias nem ódio esotérico-ideológico aos vegetais transgênicos. E Bonner ainda teve de ouvi-la dizer, na maior simplicidade, que, no Acre, ela enfrentou graves problemas por confrontar sua origem efetivamente popular com a força e o dinheiro dos donos de jornais e televisões.



Jornalistas debatedores

Data: 27/08/2014
20:46:36

Uma exigência se impõe nesse tipo de entrevista: o tempo usado pelos entrevistadores não pode ser debitado do tempo do entrevistado.

Considerado o “padrão Globo”, agora aplicado também à isenção e à democracia, isso salta ridiculamente aos olhos.



Projetos ficam para a próxima semana

Data: 26/08/2014
13:06:54

Apesar de 33 deputados terem registrado presença no painel eletrônico até as 13 horas, é pouco provável que haja uma sessão prolongada na Assembleia Legislativa nesta terça-feira, descartando-se, portanto, a votação que o governo prepara para os projetos de organização da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, hoje instituições administrativamente separadas.

A movimentação de parlamentares na Casa foi fraca durante a manhã, tudo indicando que muitos compareceram para dar presença e voltar para a campanha. Nos bastidores, apurou-se que o líder do governo, Zé Neto, pretende marcar a votação para o dia 3 de setembro, quarta-feira da próxima semana.

Antes disso, ele vai conversar com a bancada da maioria, provavelmente depois de amanhã, para lançar a convocação geral. A demora não decorre somente do período eleitoral, mas estaria vinculada a uma dificuldade não esclarecida no projeto dos bombeiros. “O da PM já está fechado”, disse uma fonte deste blog.



Disputa pelo Senado traz mais emoção

Data: 26/08/2014
09:45:31

A disputa para o Senado na Bahia está muito mais emocionante que a de governador, não somente pela menor distância em intenção de votos que as pesquisas apontam entre os principais candidatos, como por ser um confronto politicamente mais rico.

Otto Alencar chegou à disputa depois de passar quatro anos incensado pela perspectiva de ser o candidato ao governo, tanto mais por ter ocupado o importante cargo de secretário da Infraestrutura.

Por outro lado, vinha de um passado de grandes desempenhos eleitorais e chegou a exercer, ainda que na condição de “tampão”, o mandato de governador. Pelo livre trânsito nas maiores correntes, era mesmo tido como um candidato imbatível.

Já tratamos aqui da entrada algo repentina de Geddel Veira Lima na competição. Foi um “tope” que Otto não vislumbrava. Cinco mandatos de deputado federal, líder por sete anos de seu partido na Câmara, ministro de Estado e uma recente campanha para governador.

Impulsionado também pela vantagem de Paulo Souto, seu colega de chapa, sobre Lídice da Mata e Rui Costa, Geddel pulou na frente e botou em xeque a decantada força do adversário. A briga é fascinante, embora não envolva a posse do poder real, a famosa “caneta”.



Tropa de choque

Data: 26/08/2014
09:43:28

A propósito, o governador Jaques Wagner deu as caras no horário político para reforçar a candidatura de Otto.

Ao lado da presidente Dilma, do ex-presidente Lula, do senador Walter Pinheiro e do candidato Rui Costa.



Era pra ser uma trinca

Data: 26/08/2014
09:42:48

Interessante a participação de Pinheiro na campanha de Otto, pedindo o apoio do eleitor para que ambos possam “fazer essa dupla no Senado”.

Quatro anos atrás, a parceria era com Lídice.



Escola de tempo integral é "prioridade" difícil

Data: 26/08/2014
09:41:22

Entre tantas promessas diárias dos candidatos ao governo do Estado, não há dúvida de que a mais importante é da senadora Lídice da Mata, e dela se espera que não seja, como a maioria que ouvimos neste período, apenas um ato de demagogia: a implantação da escola em tempo integral será sua “prioridade” caso vença a eleição.

Na escola de tempo integral, os estudantes não recebem apenas o ensino regular de quatro horas, mas lá passam os dois turnos do dia, com alimentação, higiene, prática de esportes e desenvolvimento de potenciais e talentos que possam ser um diferencial em suas vidas.

A senadora constata que, de 1.400 escolas da rede estadual, apenas em 59 há o ensino integral, o que demonstra a dimensão do seu compromisso. Segundo números da própria Secretaria da Educação, são, no corrente ano, 935 mil alunos matriculados em todo o Estado.

É uma empreitada que exigirá, portanto, um grande investimento, não somente para construir e adaptar unidades para as demandas que virão, como também preparar e contratar professores e outros técnicos para atender às inevitáveis necessidades pedagógicas e operacionais.

Ou seja, a candidata Lídice, ao assumir um objetivo dessa monta, tem obrigação de esclarecer como agirá para concretizá-lo, principalmente no aspecto orçamentário, para convencer o eleitorado de que dispensará, de fato, tratamento prioritário à questão.

De nossa parte, torcemos para que seja sincera a intenção e que, com obstinação, ela a ponha em prática se eleita, pois certamente uma geração bem preparada no campo da educação será o maior legado que um governante poderá deixar para a Bahia do futuro.



Tsunami

Data: 26/08/2014
09:38:59

Aécio acha que bom desempenho de Marina é uma “onda”.

Se for daquelas que a filha de Gabeira pega, saia de baixo.



Tricolor enrustida

Data: 26/08/2014
09:38:20

Eliana Calmon esclareceu ao eleitor: “Só seu voto pode acabar a corrupção”. E lembrou que o dinheiro público desviado é o mesmo que “faz falta no SUS, na merenda escolar e no transporte público”.

Prometeu que, se for eleita senadora, vai brigar contra a corrupção “lá na toca dos leões”. Torcedores do Vitória não gostaram muito da comparação.



Um avião para derrubar Marina

Data: 25/08/2014
11:08:50

Ao tempo que se expande a tentativa de “desconstrução” de Marina Silva, agora com definições que vão de “parasitoidismo” a “autoridade teológica cercada de fanáticos religiosos”, outra frente inusitada se abre: o avião de campanha de Eduardo Campos teria sido comprado por caixa 2.

Tivesse permanecido voando por aí, não estaria sendo investigada sua documentação, a menos que o candidato demonstrasse com mais evidência a real possibilidade de chegar ao poder. A questão é que, saindo involuntariamente da disputa, fez uma “sucessora” que exige "providência" imediata.

O morto, como sabemos, é inimputável, mas no presente caso se trata de uma chapa eleitoral e, portanto, um integrante responde solidariamente por eventuais transgressões da legislação que tenham sido cometidas em nome da coligação. Ou seja, tem gente querendo cassar a candidatura de Marina.

Como aconteceu em diversas situações similares, a Polícia Federal transforma uma suspeita num fato político, que em minutos percorre todo o país, causando danos irreversíveis, sem que ao menos se conheça uma peça do inquérito, uma mínima manifestação judicial ou mesmo a fonte da informação.



BLAGUE NO BLOG - De olho no rebanho

Data: 25/08/2014
11:06:27

Líder político dos mais antigos no Litoral Norte, Manoelito Argôlo promovia exposições de gado que ficaram famosas na Bahia.

A uma delas convidou Antonio Carlos Magalhães, que logo antecipou: se o então governador Roberto Santos, seu inimigo, fosse comparecer, não contasse com ele.

Manoelito argumentou: “Mas eu já convidei, não posso mais desfazer”. ACM deu a solução: “Então bote ele na abertura e eu vou no encerramento, que tem mais gente”.



Joseildo vê sub-representação no Legislativo

Data: 25/08/2014
11:05:13

Possivelmente o mais frequente debatedor da reforma política na Assembleia Legislativa, o deputado Joseildo Ramos (PT) disse que a eleição atual, “a mais cara de que se tem notícia, está consolidando o processo de mercantilização da política no Brasil”.

O financiamento público das campanhas é, para ele, essencial para evitar a influência do poder econômico, porque “quem tem dinheiro gasta sem limite”, distorcendo a verdade eleitoral.

“Com isso, poderemos perder deputados que têm capacidade de contribuir para o Estado, mas que não aguentam mais ou não se dispõem a fazer esse jogo”, afirmou Joseildo, ressaltando que os gastos hoje estão “na casa dos milhões”.

O resultado, como lamenta o deputado, é “uma patente sub-representação no Poder Legislativo, com as vertentes sociais anuladas, dando lugar às bancadas dos religiosos, dos financistas, dos classistas, e até a dos supermercadistas vamos ter este ano”.



"Quem tem um partido não precisa trabalhar"

Data: 25/08/2014
11:03:32

Joseildo teme que, se retardada a implantação de uma ampla reforma, o eleitorado não mais consiga “divisar um corte ideológico na política, pois alhos e bugalhos estarão misturados".

Sua pretensão não é “ideologizar” a atividade, mas a criação de “condições objetivas no arcabouço para fortalecer a política”, o que incluiria a realização de todas as eleições no mesmo ano, ainda que em dias diferentes, para reduzir a pressão dos gastos.

Outro passo importante “contra anomalias” seria a fixação de “regras mais rígidas para a formação de partidos”, por julgar excessivo o número atual, de 32 legendas, havendo ainda outras 21 em fase de formação.

“Se o cidadão tiver um partido, não precisa mais trabalhar, basta negociar de dois em dois anos para viver tranquilo”, disse o parlamentar, defendendo expressamente o retorno da cláusula de barreira, que “todo país desenvolvido tem”.



Preto no branco

Data: 25/08/2014
11:01:52

Corroborando a tese de Joseildo, afirma um parlamentar que pede reserva do nome: “Eleição sempre teve dinheiro no meio, mas uma obra pública, que valia muita coisa, hoje não vale nada. O que vale é grana mesmo”.



Desejamos sucesso

Data: 25/08/2014
11:00:56

Candidato a deputado federal pelo PMN, Saldanha apresentou na televisão sua plataforma: “Lutarei pela ponte do Pontal, pela Ferrovia Oeste-Leste, pela duplicação da Ilhéus-Itabuna e pela ponte Salvador-Itaparica”.



Pensamento do dia

Data: 24/08/2014
13:49:33

O que nos resta, senão o futuro?



Propondo quatro anos, Marina avança

Data: 24/08/2014
12:13:47

Quando muitos tentam queimá-la como radical, incompetente e com prazo de validade tão durável quanto a comoção em que se forjou sua candidatura, eis que Marina Silva dá a partida na campanha com um compromisso que inevitavelmente a fortalece: a disposição de só governar por quatro anos.

Com essa posição, realça o fato de que a personalização do poder é um elemento destrutivo da democracia, com tendência a gerar ditadores ou, quando nada, tiranetes como os que costumamos ter em nossas províncias estaduais, municipais e, quiçá, neste grande feudo federal de 8,5 milhões de km².

Dessa tentação não escapou o erudito acadêmico Fernando Henrique Cardoso, que, a despeito de ter dado inestimável contribuição ao país com a estabilização da moeda, por outro lado causou-lhe um grande mal institucional ao criar a reeleição.

Desde 1998, a atividade política mudou seu perfil no Brasil como resultado dessa excrescência. Prefeitos, governadores e – por que não? – presidentes passaram a nortear seus mandatos na perspectiva de renová-los, a qualquer custo, ao fim dos primeiros quatro anos.

Marina quis, no passado, alcançar a presidência da República com uma proposta de qualificação da política pela prática de novos métodos. Não conseguiu, embora houvesse obtido consagradora votação.

Voltou a buscar esse objetivo, mas um nebuloso processo de certificação impediu que ela fundasse o partido pelo qual concorreria. Ao aderir ao projeto de Eduardo Campos, deu clara demonstração de desapego pessoal, dispôs-se a ser uma escada para que outro galgasse o poder.

A fatalidade colocou Marina, inesperadamente, diante do caminho que traçara para sua vida pública. Ela entrou na disputa em condições exponencialmente melhores que as de antes e faz agora um movimento duplamente sábio, pois a renúncia a quatro anos de poder fascina tanto eleitores como os que querem a presidência em 2018.




Página Anterior    Próxima Página