Salvador, 23 de agosto de 2017

Neto tem óbvia vantagem sobre Dória

Data: 09/03/2017
09:54:20

Que o eleitorado vai buscar um nome novo nas eleições presidenciais de 2018, não há dúvida, mas será preciso muito mais que um João Dória para convencê-lo.

É apenas o começo da administração da maior cidade da América do Sul, para cujo êxito não bastará o prefeito travestir-se de gari e sair por aí contrapichando muros.

Dória terá de fazer um pacto com os deuses da chuva, que em geral estão no subterrâneo, para evitar as mortes recorrentes e a destruição, isso pra começar.

Nesse aspecto, o prefeito de Salvador, ACM Neto, nome também citado, está na vantagem. É político top de linha, o que já demonstrou no Legislativo e no Executivo, reeleito com 74% dos votos.

Se há o risco de uma derrota ao governo do Estado ser muito prejudicial a sua imagem, uma candidatura presidencial, mesmo mal-sucedida, corresponderá a uma credencial nacional que muitos governadores não têm.



Fora com os velhos vigários

Data: 09/03/2017
09:52:36

Para esclarecimento da nota acima, “novo” será o “novo” aos olhos do eleitor, como, por exemplo, Eduardo Campos teria sido em 2014.

Ninguém vai querer saber de Lulas, Serras, Alckmins, Aécios e outros tantos que se insinuam por aí, dos quais o povo brasileiro está cansado.



Mais dinheiro para a expansão americana

Data: 09/03/2017
09:51:27

Se George W. Bush mostrou-se um presidente imperial, levando os Estados Unidos a guerras injustas que ajudaram a quebrar a economia do país, Donald Trump se comporta de forma exponencialmente mais ameaçadora, com atos e linguagem que sugerem, para o futuro, uma conflagração de alta gravidade.

Os Estados Unidos têm a maior verba militar do planeta, de cerca de US$ 600 bilhões, tão grande que é dez vezes maior que a da segunda colocada, a China, e suficiente até hoje para manter o nível de segurança do país. Com um aumento histórico de 9%, Trump revela a intenção de expandir a ação de seus exércitos.

O presidente está em peregrinação bélica nacional. A governadores afirmou que vai cumprir a “promessa de proteger os americanos”. Numa conferência de políticos e eleitores conservadores, disse que “ninguém vai meter-se com os Estados Unidos, ninguém”.



Coreia do Norte é cinturão para a China

Data: 09/03/2017
09:49:41

A península coreana é o novo foco das atenções mundiais, mas não por causa dos testes balísticos da Coreia do Norte, pois estes são realizados há décadas sem que nenhuma consequência mais significativa tenha advindo.

O problema é que Trump resolveu instalar um escudo antimísseis na Coreia do Sul, provocando reação da China, que não quer a varredura de seu território por radares estrangeiros, e dos próprios coreanos do sul, que temem o risco, para a população civil, de mais um alvo no país.

A Coreia do Norte, no que é mais competente, que é provocação, cumpre seu papel de instrumento da política global e regional da China, que a tem como importante trunfo geopolítico separando-a da Coreia do Sul e dos soldados norte-americanos lá estacionados.



Aliado ideológico e dependente econômico

Data: 09/03/2017
09:48:03

O mundo tem assistido a um verdadeiro jogo de cena sempre que os norte-coreanos praticam uma de suas bravatas. A China participa da “condenação”, impondo sanções sem efeito prático, enquanto mantém com o aliado, cuja guerra de libertação apoiou há quase 70 anos, as melhores relações.

Para quem acha que os chineses abandonarão os velho amigos à própria sorte – e aí está o que pode ser um erro fatal de Trump –, a China é responsável pelo suprimento de 90% de combustível do vizinho e ainda por 60% das importações, fora subsídios diversos, que os especialistas estimam em “bilhões de dólares”.



PMB discrimina mulheres

Data: 09/03/2017
09:46:54

A investigação da Procuradoria Regional Eleitoral contra 25 partidos que não teriam destinado 10% do tempo de propaganda às mulheres vale como um atestado: o feminismo que baixou nos políticos ao instituírem essa lei não passou de demagogia.

A desconfiança da PGE vem, possivelmente, das transgressões em outros Estados, como Minas Gerais, onde o justamente o Partido da Mulher Brasileira (PMB) foi condenado, no mês passado, por não cumprir a cota.



A grana sempre foi nossa

Data: 09/03/2017
09:46:01

A Odebrecht e outras empreiteiras não “corromperam” funcionários nem políticos, porque isso implicaria usar os próprios recursos para comprar quem quer que fosse e ganhar concorrências fraudulentas.

As empresas, mais assemelhadas a organizações criminosas, como são chamadas as quadrilhas modernamente, cobravam por serviços obviamente superfaturados, pagando, portanto, com recursos públicos, as vantagens que tinham encomendado.



Mau negócio

Data: 09/03/2017
09:44:56

Uma das investigações sobre o ex-deputado Eduardo Cunha aponta uma propina de R$ 30 milhões para um conjunto de obras que totalizavam R$ 6 bilhões.

Isso representa 0,5%, uma pechincha, comparada às percentagens do ex-governador Sérgio Cabral, que em certos casos batia nos 5%;



Efeito colateral

Data: 09/03/2017
09:43:55

Depois que o juiz Sérgio Moro disse que, numa democracia, “também o príncipe se submete às leis”, cresceu o ânimo dos que querem a cabeça do vereador Igor Kannario, que, afinal, é o soberano do gueto.



Te cuida, agricultura familiar!

Data: 09/03/2017
09:43:14

Têm um só significado os rumores de que, para saciar a independência dos deputados do PSL, está sendo articulada para eles a Secretaria do Desenvolvimento Rural: querem lenhar Jerônimo Rodrigues de qualquer jeito.



Temer dirige ônibus quase desgovernado

Data: 06/03/2017
14:42:02

As metáforas automobilísticas se consolidam como principal argumento de parte do presidente Michel Temer para desvincular-se de acusações de caixa 2 eleitoral que possam caber à ex-presidente Dilma Rousseff, eleita com ele, na mesma chapa, em 2014.

Inicialmente, foi o próprio Temer quem disse que “responsabilizar o vice responsabilizando o presidente é mais ou menos como o sujeito que atropela alguém, o condutor é condenado, mas como eu estava sentado ao lado eu vou ser condenado também”.

Agora, informa-se que assessores anônimos do presidente, nos bastidores, vêm defendendo a tese de que “uma pessoa que está sentada no banco do passageiro não pode ser multada por infrações cometidas pelo motorista”.

O simplismo da argumentação é um insulto à nação, pois ambos formaram uma unidade jurídica e juntos respondem pelos atos de campanha. Sendo verdadeira a acusação, a presidência de Temer tem vício de origem, que não poderá ser esquecido, a menos que os tribunais que nos restam tomem mais uma decisão política.

Para corresponder à linguagem figurada das hostes planaltinas, é fato que o piloto atual até está conduzindo o veículo um pouco melhor que sua antecessora. A questão é que se trata de um ônibus repleto de corruptos – alguns já jogados pela janela –, que precisa de pouco para ficar desgovernado.



E o pior ainda está por vir

Data: 06/03/2017
14:40:03

Desconfia-se que um país está perdido quando um recém-nascido corre o risco de ser expulso de um hospital, seja lá quem tenha “razão”.

O alívio, neste caso envolvendo Planserv e Hospital Português, é que o juiz plantonista a quem foi levada questão, José Jorge Lopes Barretto da Silva, decidiu:

“Primeiro, tratamos de salvar vida humana, e somente depois a discussão de questões burocráticas”.



Bagunça na folia

Data: 06/03/2017
14:39:02

A briga entre governo do Estado e Prefeitura para mostrar serviço se estende a todos os setores, como no caso da Corregedoria da Secretaria da Saúde estadual, que notificou 225 servidores que não cumpriram a escala de plantão do Carnaval.

Para que a ação seja proveitosa, é preciso que sejam divulgados também os resultados da apuração que supostamente será feita sobre essa turma que recebe dinheiro público indevidamente e ainda deixa a população sem atendimento.



PSL prepara segundo golpe contra Nilo

Data: 04/03/2017
10:35:35

O deputado Marcelo Nilo tinha na “requalificação” do PSL, que de um parlamentar passou a oito na Assembleia Legislativa, um dos pilares de seu projeto para integrar, em 2018, a chapa majoritária a ser encabeçada pelo governador Rui Costa.

Pois em um ano os deputados acabaram dando dois golpes no seu presidente. O primeiro, quando dentro da própria bancada surgiu uma reação para impedir sua reeleição a presidente da Casa. Agora, com o movimento para dividir os cargos que Nilo tem no governo.

Foi com muita desenvoltura que o deputado Alan Castro, como se fosse um porta-voz do grupo, fez à imprensa declarações humilhantes sobre Nilo e pôs em dúvida sua permanência no PSL: “Vamos decidir terça ou quarta-feira o rumo político dele”.

Não se sabe se há interesses maiores por trás da manobra, mas se Nilo ficar sem os cargos que tem na Embasa e na Secretaria de Administração Penitenciária, somada a perda de espaço na Assembleia, sua própria reeleição requererá muito empenho.



Kannario na muda

Data: 04/03/2017
10:33:25

Passados os eflúvios da folia, o vereador Ygor Kannario caiu na real. Pediu desculpa pelo ataque à Câmara, não quer mais ser o portador da rebeldia.

Resta convencer seu colega José Trindade, que levou o caso ao Ministério Público e pensa em fazer a denúncia na Comissão de Ética da Casa.



Apelido é do velho Ypiranguinha

Data: 04/03/2017
10:31:37

Esse, porém, não é o primeiro canário que se transforma. Na década de 60, inconformado com as sucessivas derrotas do seu time, o Ypiranga, que já havia sido o mais poderoso de Salvador, o então presidente, Humberto Rebouças, trocou-lhe o nome e as cores.

Saiu do amarelo e preto, que lhe valia o apelido de “canário”, para o verde, que representava as matas brasileiras, e passou a chamar-se, patrioticamente, 7 de Setembro. Rebouças achava que isso mudaria a sorte do clube.

Foi uma fase que não durou muito, logo voltariam o nome e as cores originais do outrora “Mais Querido”, detentor de dez títulos baianos. Mas fez a delícia dos radialistas daquele tempo, razoavelmente instruídos, que chamavam os jogadores de “canários clorofilados”.



Fazemos qualquer negócio

Data: 04/03/2017
10:29:50

Sabemos que alguma coisa carece de explicação quando é o deputado Félix Mendonça Júnior a defender o PDT, um legado de Brizola e, por extensão, de Jango e de Getúlio, da acusação de ter vendido o apoio à chapa Dilma-Temer.

A explicação é que Félix Jr. jamais foi trabalhista – muito pelo contrário – e o PDT, após a morte do seu criador, há 12 anos, tornou-se mais uma dessas legendas sem consistência da política brasileira.



Da influência chinesa na eleição baiana

Data: 02/03/2017
14:24:41

O governador Rui Costa poderá acrescentar um grande trunfo a seu patrimônio político-eleitoral se conseguir atrair o capital chinês para grandes investimentos na Bahia.

A impressão é positiva, porque, ao contrário das tentativas frustradas dos governos baianos nos últimos anos, desta vez são os estrangeiros que nos visitam, isto é, o interesse é deles.

A comitiva concentrou sua atenção no Porto Sul, Ferrovia Oeste-Leste e Ponte Salvador-Itaparica, projetos capazes de, devidamente executados, gerar desenvolvimento e criar empregos em dimensão que lance o Estado a novo patamar na economia nacional.

Um ano e meio é tempo suficiente para que, caso a iniciativa avance, o dinheiro e a eficiência proverbialmente atribuídos aos chineses produzam um efeito muito positivo na imagem do governo.



Psicologia eleitoral faz parte do jogo

Data: 02/03/2017
14:23:07

Para o confronto que muitos dão como certo em 2018, a desvantagem de Rui Costa é que ele tem a obrigação de disputar.
Não pode, como o prefeito ACM Neto, escolher entre a eleição e o resto do mandato.

Assim, caso resolva enfrentar o governador, a mensagem implícita de Neto é de que avaliou o quadro como favorável a si.

No outro lado, Rui, que já faz um governo com aprovação popular, empenha-se na capital e agora, pesadamente, no interior, pensando talvez em fazer Neto correr do pau.



Ôôôôô... Maôôôôô...

Data: 02/03/2017
14:21:46

Os chineses foram ver o Carnaval e teriam se encantado – e dançado – com a música “Faraó”.

Em décadas atrás, só “quebrariam” se a música fosse em homenagem ao Grande Timoneiro.



Quem pariu Kannario que balance

Data: 01/03/2017
14:38:19

Dotado de qualidades de bom administrador, o prefeito ACM Neto terá de administrar o que por enquanto é apenas um problema: as declarações do cantor-vereador Ygor Kannario, para quem “o crime organizado tá lá dentro” – da Câmara Municipal, esclareça-se.

Sem entrar no mérito da questão, porque todos os brasileiros têm pelo menos uma noção de como são de fato suas respeitáveis instituições, o fato veio a calhar para a oposição, cujo líder, o velho inimigo de Neto José Trindade, é também procurador da Câmara e já adiantou que representará contra Kannario.

Veja-se, em rápida digressão, que Trindade critica a fala de Kannario sob o aspecto ético e dos altos valores “da Casa”, mas no primeiro momento seu impulso foi de confrontar o ataque à Câmara com o suposto cachê de R$ 120 mil despendido pela Prefeitura para o vereador cantar no Carnaval.

A indignação de Trindade, portanto, resumiu-se ao entendimento de que artistas eventualmente contratados para um espetáculo, como no presente caso, têm de abrir mão da sua liberdade de expressão porque estariam sendo pagos também para isso.

Mas, voltando ao veio principal, o vereador Trindade não poderia ter achado melhor motivo, porque é Neto o responsável pela cooptação de Kannario para o “sistema”, o que lhe rendeu, e ao dito Príncipe do Gueto, muitos votos. Uns chamam isso de talento político, outros, de oportunismo.

O ato demagógico na política, porém, tende a claudicar, mais cedo ou mais tarde. Sem ofensa, Kannario era uma personalidade marginal, que foi trazida artificialmente para um palco no qual, possivelmente, jamais tenha sonhado atuar.

Repetiu, ao longo da folia, diatribes raivosas, atacando nominalmente “a burguesia”, discutindo com pessoas no circuito, garantindo que é independente. Isso levou até o vice-prefeito Bruno Reis a liderar uma seleta turma do deixa-disso, de eficácia ainda sem comprovação.

A questão é se o cara que acha que “na favela tem mais homem do que lá” [na Câmara] tiver concluído que sua liberdade é mais valiosa que os ditames externos que lhe querem impor a política e os costumes.



Fraternidade já era

Data: 01/03/2017
14:32:36

Nestes tempos pós-verídicos, a Campanha da Fraternidade ganha nota num cantinho.

Antigamente, era o acontecimento político da quarta-feira de Cinzas.



Não passa nada

Data: 01/03/2017
14:31:59

A única semelhança entre José Dirceu, João Vaccari Neto, Antonio Palocci e o goleiro Bruno, este citado por Rui Falcão como exemplo para pedir a soltura dos companheiros, é que o negócio de todos eles é pegar bola.



Mitos do tempo das conversas a distância

Data: 28/02/2017
08:51:59

A moderna era digital trouxe três grandes enganos – e certamente muitos outros – com os quais a humanidade terá de conviver até o final dos tempos, que parece logo ali.

No início, previa-se a melhora, pela prática, da linguagem escrita, que piorou, porque não evoluiu na sintaxe nem na ortografia e ainda incorporou o vício das abreviaturas e supressões.

O segundo mito seria a elevação do nível de informação, decorrente da liberdade de expressão e do acesso praticamente universal ao espaço cibernético.

De fato, passou a haver maior facilidade de comunicação, pela capilaridade do sistema, mas, simultaneamente, como se constata no cotidiano, a internet é o vasto campo aberto da mentira.

As ações dos governos e das indústrias do setor não têm sido eficazes contra o que eles chamam de “conteúdos falsos”, que se disseminam, criando um clima de insegurança e confusão.

O resultado é a “recuperação” do poder da imprensa “institucional” como portadora da verdade – uma fonte conhecida e "confiável", a ser questionada e mesmo responsabilizada em caso de desinformação.

Finalmente, e talvez seja este o aspecto mais sensível, as redes sociais não atenderam à expectativa de que seriam um fator de aproximação entre as pessoas, embora contribuam como instrumento de mobilização.

Na verdade, houve um distanciamento, alimentado pelo comodismo doméstico de monólogos dentro do pretenso diálogo, da opinião sem necessidade de retorno.

Os conflitos de natureza política, social, religiosa e até esportiva, de guerreiros encastelados, exacerbaram-se ante o estímulo frio das “plataformas” de vídeos e teclados.



Neto “in love” com a democracia

Data: 27/02/2017
09:51:48

O prefeito ACM Neto declarou que não será ele a “censurar” ou “retaliar” ninguém em razão de posicionamentos políticos ou de outra natureza.

É um sinal de grande valor para o futuro, que o “Fora Temer” de Russo Passapusso, da BaianaSystem, lhe deu a chance de manifestar.

Sendo ele o herdeiro genético e nominal do falecido senador Antonio Carlos Magalhães, que o lançou e inspirou na política, a declaração sugere que define, nesse aspecto, rumo oposto ao do avô.



Anticarlistas deram apoio em massa

Data: 27/02/2017
09:49:47

A abordagem é necessária porque, à medida que o tempo passa, percebemos que a política não é feita de velhas rixas que fixam parâmetros inabaláveis.

Já houve o tempo do carlismo e do anticarlismo, que, para muitos, Neto incorporaria pelo fato de ser quem é. E muitos preferiram na sua primeira eleição, no segundo turno, votar “ideologicamente”, independentemente da questão da cidade.

A reeleição, contudo, não deixou dúvida: 74% dos votos, com vitória homogênea em todas as regiões de Salvador, o que significa que o prefeito recebeu massivo apoio de segmentos que jamais votaram em ACM e seus candidatos na capital.



O desafio de respeitar a frágil flor

Data: 27/02/2017
09:48:05

A liderança do prefeito já se distingue no âmbito nacional, fruto inegável de talento político e capacidade administrativa. Numa circunstância histórica em que se busca por “renovação”, poderá ter carreira longa e ascendente.

Exatamente aí reside o desafio para quem se pretenda, por exemplo, um estadista: proteger o frágil vaso onde está plantada a flor da democracia e ver no serviço público a oportunidade de melhorar a vida dos seus concidadãos.



Veja a diferença

Data: 27/02/2017
09:47:05

Sobre o mesmo assunto, o presidente do Conselho do Carnaval, Pedro Costa, deu chilique. Certamente sem conhecer o comentário do prefeito, disse que haverá uma avaliação para ver se a banda participará do Carnaval de 2018.

Afirmando que “não é permitida manifestação política” (?), ameaçou com código de ética e ainda mandou sair na Mudança do Garcia quem quisesse protestar.



Aquietem o facho

Data: 27/02/2017
09:46:16

Com o desmonte do governo Temer, petistas e assemelhados estão pulando de alegria nas redes sociais, mandando links pra todo mundo.

Mas podem se conformar, porque vai ser como nos conflitos egoísticos: “Nem eu nem ele”.



AA: Agressores Anônimos

Data: 27/02/2017
09:45:00

A situação se repete: policiais militares têm seus nomes ocultados em novo caso de agressão em circuito carnavalesco, desta vez contra jornalistas.

Como se trata de profissionais da poderosa Rede Globo, embora em viagem particular a Salvador, tem-se a esperança de que esse privilégio não se mantenha.



Nem tudo é marketing

Data: 27/02/2017
09:44:07

Foi ridícula essa de trazer a Salvador a “carioca sincera” que detonou o Carnaval do Rio na Globonews.

A opinião espontânea da moça seria mais que suficiente para promover o Carnaval baiano, tanto que viralizou na internet.

O uso político e comercial do fato propõe um modelo corruptor da população, tentada a encontrar uma fórmula de “se dar bem”.



Yunes falou a língua deles

Data: 27/02/2017
09:43:15

Algo diferente vem marcando o episódio José Yunes, velho amigo de Michel Temer, apontado em delação premiada como portador de parte dos R$ 10 milhões que o hoje presidente da República teria solicitado à Odebrecht em esquema de caixa 2.

É que, além de negar participação no suposto crime, no qual teria sido envolvido inocentemente, falou à imprensa, acusando o ministro mais importante do amigo Temer, e não se pejou de definir o papel a que foi induzido com uma palavra típica do submundo do tráfico: mula.

Yunes, de 81 anos, foi deputado estadual em São Paulo ainda pelo antigo MDB, em 1978, e, depois, constituinte federal de 1986. Uma acusação que poderia ser feita a ele sem susto é a de que, por muitos anos, esteve muito próximo a pessoas hoje acusadas das mais diversas falcatruas, tipo Jucá, Renan etc.



O termo certo

Data: 27/02/2017
09:41:50

A propósito, o relato é de que o “operador” Lúcio Funaro entregou o pacote de dinheiro no escritório de Yunes, que o repassou a Eliseu Padilha.

Assim, tecnicamente, o ex-deputado não foi uma mula, já que não transitou com o numerário. Apenas seu escritório funcionou como um entreposto.



Temer: um mandato definitivamente em risco

Data: 25/02/2017
08:59:52

Produto de um entendimento em parte tácito, em parte, explícito, que envolveu o setor político, as classes econômicas e mesmo altas instituições nacionais, o governo Michel Temer se esvai na queda sucessiva de ministros citados ou investigados por corrupção.

O que antes poderia ser definido como “caso pontual”, embora alguns já tivessem ocorrido, tornou-se uma onda gigante do surfe radical. São engolidos os ministros mais próximos de corpo e alma do presidente, ele próprio um “citado”, vendo a crise chegar cada vez mais perto.

No texto “Temer, Lula e a ‘salvação nacional’”, de 04/05/16, fizemos referência às “forças congregadas em torno de Temer (...) que contribuirão, necessariamente, como estratégia, para um upgrade do país num momento particularmente incerto e ameaçador”.

Em 31/05/16, na nota “Demissão de ministro ‘faz parte’ do plano”, prevíamos para o presidente “consagração final, caso não sucumba sob acusação pessoal incontestável, como tantas que têm ocorrido no Brasil moderno, e isso venha a determinar uma cassação ‘política’ de sua chapa pelo TSE”.

Se não andou o processo contra a chapa Dilma-Temer, isso não se deve somente à clássica morosidade da Justiça no Brasil, mas a um posicionamento da corte eleitoral, como outros, semelhantes, que têm tomado o STF e seus ministros em prol da “governabilidade” do país.

O quadro adquire nova conotação com o verdadeiro desmonte a que se assiste no governo. A dúvida é se será possível manter um presidente cercado por uma quadrilha em nome dos indicadores da economia ou se o país seguirá sua marcha de livrar-se dos corruptos, ainda que seja o Congresso a eleger o sucessor.



Da volubilidade tucana

Data: 25/02/2017
08:56:17

Vale sempre lembrar que a ação no TSE foi movida pelo PSDB, quando adversário. Aliados pró-impeachment, os tucanos torcem agora para sua tese ser derrotada na Justiça.



Conspiração sepultada

Data: 25/02/2017
08:55:30

O desenrolar da Operação Lava-Jato vai jogando mais terra sobre a tese desesperada do PT, de que havia uma conspiração em marcha para acabar o partido.

O crescente envolvimento de nomes importantes do PMDB, e até do PSDB, levando o supostamente insuspeito José Serra a pular fora, mostra que ainda não há clareza sobre o destino final de tudo isso.



Exclusividade é com a gente mesmo

Data: 25/02/2017
08:54:42

Em Minas Gerais, o Tribunal de Justiça acabou com a exclusividade de uma marca para a venda de cerveja no Carnaval de Belo Horizonte.

A restrição, segundo a sentença, “gera efeitos prejudiciais aos vendedores e à população consumidora, que sofrerão uma limitação no direito à livre concorrência e livre iniciativa, garantias constitucionalmente asseguradas”.

Recomenda-se à empresa “prejudicada” que se mude com armas e bagagens para Salvador. Com dinheiro na frente, aqui pode tudo.



Pela tangente

Data: 25/02/2017
08:53:46

A quem o indaga sobre a sucessão estadual, o vice-governador João Leão diz que “este não é o momento de se pensar nas eleições de 2018”.

Sendo um aliado, e até participante pessoal do governo, deveria afirmar sem rodeios que apoia a reeleição do governador Rui Costa.

Preferiu a declaração evasiva: “Não podemos pensar agora em política. Eu, Rui e Otto pensamos em administrar o Estado”.



Extorsão é cultural na política baiana

Data: 23/02/2017
14:58:11

Foi um episódio inédito na Assembleia Legislativa o duríssimo discurso do deputado Marcell Moraes (PV) contra o radialista Raimundo Varela e sua mulher, Sheila, acusando-os de publicar matérias negativas no site Varela Notícias com o objetivo de praticar extorsão.

Segundo o deputado, são dois anos de ataques que vem sofrendo por não aceitar propostas financeiras. “O negócio dele é dinheiro”, bradou Marcell, acrescentando que denunciará o fato à Polícia Federal e ao Ministério Público.

O deputado revelou ainda que recebeu um convite de Sheila Varela para uma conversa e disse que a receberia, como a qualquer pessoa, em seu gabinete na Assembleia. “Não aceito convite para conversar em restaurante”, avisou.

Sem entrar no mérito da presente questão, pois cabe ao deputado provar a acusação, é da tradição baiana profissionais de TV chegarem ao requinte de produzir, em determinado município, dois programas, um contra e outro a favor do prefeito, que é gentilmente indagado sobre qual gostaria de ver no ar.

O que garante ao pronunciamento de Marcell o aludido ineditismo é o fato de que muitos parlamentares – e prefeitos – conhecem ou foram vítimas de casos semelhantes, mas somente um teve a iniciativa de levá-lo à tribuna da Assembleia.



Nossos ministros da Educação

Data: 23/02/2017
14:55:42

O “haverão mudanças” de Mendonça Filho nada deve ao “adevogados” de Aloizio Mercadante.




Página Anterior   Próxima Página