Salvador, 18 de novembro de 2017

Anonimato para o policial agressor

Data: 23/02/2017
14:55:07

A agressão a um cidadão por um policial que usou um cone de trânsito gerou declarações do comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão, que anunciou a instauração de processo administrativo para tratar do caso.

Não chegou ao conhecimento público, porém, o nome do agressor, que nesses momentos sempre é preservado, como se fosse membro de alguma casta neste país supostamente republicano e democrático.

Exatamente o oposto do que ocorre diariamente nas delegacias de polícia, sob a conivência do Estado, com repórteres de programas policialescos expondo indiscriminadamente suspeitos e acusados de crimes que ficam à mercê de seu sadismo.



Surubense militante

Data: 23/02/2017
14:53:42

Romero Jucá é pernambucano de Recife. A gente achava que era de Surubim.



Buraco negro

Data: 23/02/2017
14:53:08

As investigações, que avançam, acusam: “Ladrões, ladrões, ladrões!”

Somos os brasileiros ladrões por atavismo generalizado, sem exceção.

Num bem ao Universo, pulemos no precipício cósmico e matemo-nos todos.



Hordas semeadas a mancheias

Data: 23/02/2017
14:52:18

A medida exata da situação de uma sociedade é dada quando um governador – no caso o da Bahia – revela seu temor de que a leniência da Justiça com presos perigosos, devido à crise penitenciária, possa refletir em violência no Carnaval.

Está aí o retrato perfeito do quadro: estamos todos desgraçados, os bandidos não cabem nas cadeias, o perigo está todas as horas nas ruas e a seu encontro vamos nós, movidos a álcool e liberdade.



Isto é o que somos

Data: 23/02/2017
14:49:44

A Secretaria de Cultura, por definição, cuida dos negócios da cultura – negócios no bom sentido. E cultura é algo quer se cultiva. Poderiam ser hortaliças. No presente caso, é arte.

Artistas emanados das camadas mais oprimidas e viscerais do imenso grupo social que formamos deram na telha e resolveram compor músicas e coreografias que incentivariam “a violência física, moral e psicológica ou a desvalorização das mulheres, LGBT e negros”.

A política cultural estatal ou individual – da Secult ou de Jorge Portugal – não bate com a própria essência da cultura, que necessariamente expressa a sociedade em que ocorre e se forma.

É de duvidar que alguma autoridade na área, dentro ou fora dos poderes governamentais, venha a ter o dom de identificar o que é ou não digno de fazer parte de um acervo cultural.



Já dá para ver Bruno na Prefeitura

Data: 21/02/2017
11:17:18

Por alguns, a expressão “ato falho” é usada para designar um erro qualquer de uma pessoa, tendo o vulgo se encarregado da difusão da novidade semântica.

Mas a repórter Tatiana Mendonça, da revista Muito, aplicou-a corretamente em recente matéria com o vice-prefeito Bruno Reis.

Foi quando, sobre a formação da chapa em que se elegeu, assim classificou uma resposta de Bruno, que “nunca escondeu de ninguém o desejo de ser prefeito da cidade”.

Ora, sabe-se que ele é vice, e só será prefeito se ACM Neto renunciar para disputar o governo do Estado – ou na hipótese mais remota de candidatar-se em 2020 e vencer.

Portanto, pelo que se poderia chamar de uma traição psicológica, Bruno revelou o que se julga oculto, embora depois venha a se constatar que, como disse o poeta, “terá sido o óbvio”.



Os embecados do Judiciário

Data: 21/02/2017
11:15:28

Ministros, secretários, atendentes e advogados que atuam no Superior Tribunal de Justiça vão ganhar becas e capas no valor total de R$ 89,5 mil.

Além de não ajudarem em nada o que as autoridades chamam de prestação dos serviços jurisdicionais, são adereços anacrônicos, símbolos de um elitismo incompatível com a ideia elementar de justiça.



Plano de saúde com um mês de mandato

Data: 21/02/2017
11:14:32

O deputado Targino Machado (PPS) disse que vai se aposentar pelo INSS seguindo o caminho de qualquer brasileiro comum, sem “privilégios em detrimento da honra”.

Ao defender uma discussão aberta das “mazelas dos três Poderes”, o parlamentar revelou-se indignado com as vantagens que um senador incorpora mesmo sendo suplente e assumindo o mandato por apenas um mês.

“Como aconteceu há pouco com um suplente do senador Edison Lobão”, afirmou, “esse tempo já é suficiente para eles levarem muitos direitos para casa, como um plano de saúde ilimitado, pago por todos nós”.



Diálogo

Data: 21/02/2017
11:11:03

O presidente da Assembleia Legislativa, Angelo Coronel, recebeu o presidente do sindicato dos servidores, Gilmar Carneiro, e o tesoureiro, Flávio Abreu, para tratar do plano de cargos e salários. Foi uma “promessa de campanha” de Coronel, que vai analisar o impacto no orçamento da Casa. O plano é um tabu antigo, mas parece que agora sai.



Há vagas na legião presidencial

Data: 19/02/2017
08:12:35

O governo Temer demonstra especialização para escolha de ministros com base na teoria do balão de ensaio ou da simples indecisão mesmo.

Superado o caso Imbassahy, que ficou dois meses em modo espera e teve resultado positivo para o governo, deu-se o inverso com ministro aposentado do Supremo Carlos Velloso.

Da explicação inicial de que o presidente o convidara para “ajudar a salvar o Brasil” à recusa da vaga no batalhão de heróis, foram umas três semanas. Um progresso.



Uma lambança que a experiência repele

Data: 19/02/2017
08:11:11

Temer e Velloso somam 157 anos de idade, o que põe em dúvida a explicação dada pelo ex-presidente do STF para a desistência ou, vá lá, recusa ao convite.

Com tanta experiência, não deixariam vazar negociações para o Ministério da Justiça, especialmente nesta hora amarga da segurança pública, sem que houvesse certeza de um desfecho favorável.

Os motivos alegados por Velloso – a pendência de dezenas de contratos de seu escritório de advocacia e a opinião familiar contrária – teriam existido mesmo antes que Temer pensasse em recrutar sua força hercúlea.



Uma pista: a ética fez parte da decisão

Data: 19/02/2017
08:10:09

Velloso pode ter deixado uma pista ao dizer que sua decisão decorreu de “compromissos de natureza profissional e, sobretudo, éticos”, conceito que tem duplo sentido, não só o dos contratos do advogado.

O cargo de ministro da Justiça, o mais antigo entre os auxiliares presidenciais no Brasil, exige um desempenho republicano de quem o exerce, não manipulação política vulgar.

É mais crível que Velloso, mesmo sendo amigo de Temer há décadas, não tenha gostado da configuração que lhe foi reservada no projeto de salvação nacional, sendo mais razoável a penumbra que o risco ao prestígio longamente acumulado.



Labor eterno

Data: 19/02/2017
08:09:01

Moisés Temer subiu não à Montanha, mas ao Planalto, e tendo recebido do Senhor Meirelles o 11º mandamento, gravemente o proclamou: “Não te aposentarás”.



Esse tempo é meu

Data: 19/02/2017
08:08:19

Nove partidos, entre grandes, médios e inexpressivos, tiveram cassado o tempo no rádio e TV porque não dedicaram 20% da propaganda ao incentivo à participação feminina na política.

Curioso é que partidos que mais se empenharam pela “reparação de gênero”, como PT e PCdoB, estão entre os punidos.

O motivo é simples: em nome do politicamente correto, são criadas as percentagens feministas e as vagas nas chapas são preenchidas mesmo que isso não corresponda à realidade política, com candidatas "laranjas".

Mas quando se trata de distribuir, de alguma forma, o precioso tempo na televisão, que se danem os princípios, as cúpulas masculinas não abrem mão da precedência.



A sabatina vem aí

Data: 17/02/2017
23:35:32

Em observações anteriores sobre a relação do virtual ministro do Supremo Alexandre de Moraes com a ética, foram esquecidos os sucessivos plágios em obra que se supunha guardada por sólida erudição.

A indicação de Moraes é uma das frentes da batalha que a máquina viciada do poder no Brasil trava loucamente na busca da sobrevivência e da preservação de seus melhores espécimes.

Será um prazer ouvi-lo, ao vivo, terça-feira, inquirido ao menos por senadores com autoridade para questioná-lo, que são poucos – pouquíssimos quando se considera que o debate se dará numa comissão.

Alexandre de Moraes reúne todas as condições para não ser ministro do Supremo Tribunal Federal, desde a contradição de sua própria tese do impedimento até os encontros constrangedores com senadores que o julgarão e depois poderão ser julgados por ele.

Jamais houve caso de rejeição a uma indicação do presidente da República para o Supremo, mas, se à sociedade e à opinião pública só resta a fé, tenhamo-la de que a corte não será deslustrada por esse convívio.



Paz a distância

Data: 17/02/2017
23:30:43

Em recente sessão especial na Assembleia Legislativa, o senador Otto Alencar vangloriou-se de ter sido o articulador, lá no início da década de 90, da paz entre Antonio Carlos Magalhães, governador, e João Leão, prefeito de Lauro de Freitas.

O auspicioso acontecimento teria se dado no hipódromo antes existente no município vizinho, que propiciou a instituição, certamente no páreo principal, do Grande Prêmio Governador do Estado.

Segundo Otto, ACM resistiu à proposta: “Vou chegar lá, e esse prefeito que anda me criticando tanto...” – e houve mesmo uma tensão inicial, com olhares de banda.

No fim, clima mais relaxado. “O Leão brincou com ele”, disse Otto, acrescentando que ali começava uma aliança que levaria ao apoio a Luís Eduardo Magalhães e, depois, César Borges, em 1998.

Nesse aspecto, carece de precisão o relato, porque Leão, um político sempre independente, elegeu seus dois candidatos em 1992 e 1996, respectivamente Otávio Pimentel e Roberto Muniz, contra nomes apoiados por ACM.



Ampla, geral e irrestrita

Data: 17/02/2017
23:27:31

O Supremo poderia estender sua decisão quanto aos presidiários e decretar a responsabilidade do Estado de indenizar brasileiros que vivem em “condições degradantes”.



Tudo protocolado

Data: 17/02/2017
23:26:36

Espanta a noticia de que o gabinete de um ministro do Supremo está com 7.500 processos.

Talvez fosse preciso um mutirão, mas isso é coisa para pensar depois das férias e dos recessos.



Muita história pra contar

Data: 17/02/2017
23:25:43

Informa-se que integrantes do PSD e do PP baianos estão sendo “cortejados” em Brasília para se aproximarem da oposição em suas relações regionais, já que ambas as legendas apoiam o governo Temer.

Será um trabalho desnecessário. Na Bahia, PP e PSD estão muito próximos de ACM Neto (DEM), Antonio Imbassahy (PSDB) e Geddel Vieira Lima (PMDB), e a eleição na Assembleia Legislativa bem o demonstrou.

O novo presidente da Casa, Angelo Coronel, chegou a desencavar o fundo do baú para lembrar que fez duas vezes dobradinha com ACM Neto, ele para estadual, Neto para federal.



O calor tá demais

Data: 17/02/2017
23:24:14

Leigos não sabem quanto custam as coisas, mas se o prefeito ACM Neto quiser manter a guarda alta numa eventual disputa eleitoral em 2018, deve se desdobrar nestes 20 meses para cumprir a promessa de campanha de botar ar-condicionado nos ônibus.



Piratas transitam livremente no convés

Data: 15/02/2017
21:55:31

“Senhor Deus dos desgraçados!/ Dizei-me vós, Senhor Deus!/ Se é loucura... se é verdade/ Tanto horror perante os céus?!”

Com todo respeito à perplexidade de Castro Alves ante o tráfico humano em “Navio Negreiro”, repitamos os versos imortais para o Brasil dos dias de hoje.

O líder do governo, Romero Jucá, quer incluir na imunidade por fatos anteriores ao mandato, de que goza o presidente da República, também seus substitutos eventuais, deputado Rodrigo Maia, senador Eunício Oliveira e ministra Cármen Lúcia, esta certamente dispensando seus favores.

Vê-se, portanto, para ficar no Poeta da Praça, em sua ode à libertação da Bahia, que uma “pugna imensa” se trava, etapa por etapa, numa inacreditável sucessão de golpes e jogadas transmitidos ao vivo em horário nobre.

E com tal descaramento que a própria tese extremada da defesa contém sua antítese: quando um senador dependurado em inquéritos, processos e escândalos propõe uma emenda constitucional para evitar que certas pessoas sejam processadas como criminosas, os crimes estão declarados.



Fiat lex

Data: 15/02/2017
21:53:22

É da cultura: discretamente, em Salvador, a Câmara Municipal aprovou uma emenda à Lei Orgânica para permitir que um dos seus membros, o ex-presidente Paulo Câmara, possa ocupar um cargo federal.

Trata-se de um reles e oportunista privilégio, criado talvez para atestar oficialmente que esta capital jamais teve um vereador digno de prestar serviço ao governo central do país.

Mas não há motivo para animação. O caso atual é de favorecimento parental, mesmo que haja mérito. O preceptor Antonio Imbassahy chegou ao ministério e pode cavar espaço.

Tudo isso foi feito à luz do dia, com o cumprimento dos tais trâmites regimentais. A emenda, que corresponde a uma emenda constitucional, foi aprovada em primeiro turno no ano passado e, agora, em segundo.



O povo deveria ouvir as explicações de Moraes

Data: 14/02/2017
19:16:15

Será um espetáculo grandioso a sabatina, a transcorrer na terça-feira da próxima semana, para “avaliação” pelos senadores da Comissão de Constituição e Justiça do candidato do presidente Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes.

É um caso emblemático. Sua aprovação – que dependeria ainda do plenário – será uma derrota da sociedade na difícil luta contra a corrupção. Não que ex-ministro da Justiça seja corrupto, mas ele está sendo protegido por um bando de quadrilheiros da República e não tem, por outro lado, se mostrado eticamente à altura da nobre função de ministro do STF.

Seria o caso de movimentos pela democracia e lisura na vida pública montarem um telão na porta do Senado para que a multidão possa assistir ao ministro explicar o porquê de Renan Calheiros e Romero Jucá terem quebrado lanças para tentar, sem êxito, apressar para hoje a sabatina.

A população teria oportunidade de saber, pelas perguntas certamente de uma pequena minoria, que Moraes, em busca da cadeira na mais alta corte do país, fez um ensaio da sabatina a bordo de uma embarcação no Lago Paranoá, ao lado de dez senadores, entre os quais implicados nos processos que ele julgará.

Valeria também a pena definir a distância entre o jovem advogado que propunha, na tese de doutorado, o impedimento de um membro do governo ser indicado ao Supremo pelo presidente da República e o ávido postulante de hoje, que corta voltas para chegar lá.

Diz-se que o Brasil está avançando em matéria de cidadania, e de fato há muitas conquistas a festejar. Entretanto, essa nomeação armada para o Supremo é desses eventos angulares, um golpe tão potente nas instituições que depois dele tudo será possível. Talvez o povo na rua, consciente do que ocorre, fosse a solução.



Não é por aí

Data: 14/02/2017
19:13:02

O vereador José Trindade (PSL) fez durante muitos anos ataques consistentes à gestão do prefeito ACM Neto, como, por exemplo, contra a exclusividade de marcas de cerveja em festas populares, o que configura privatização do espaço público e atentado à livre iniciativa.

Com desempenho marcante, foi reeleito e guindado à liderança da oposição na Câmara Municipal, que exercia de fato e agora exerce de direito. Mas perde tempo ao atribuir o êxito do prefeito, que abocanhou 74% dos votos da cidade, à “propaganda”. Vai ser difícil convencer até os oito vereadores que comanda.



Brasil ganha sem o peso da corrupção, diz Moro

Data: 14/02/2017
19:11:47

O juiz Sérgio Moro corrobora um conceito clássico quando diz que a Operação Lava-Jato será benéfica à economia do Brasil, ao contrário dos detratores das investigações, que veem danos irreversíveis com a retração de negócios e a destruição da imagem de grandes empresas.

Preliminarmente, é certo que o desenvolvimento do país não se sustentaria com a sangria de recursos públicos, detonadora inevitável, em algum momento, do déficit fiscal e da baixa capacidade de investimento, com todos os desdobramentos, especialmente o desemprego.

A questão é que, no mundo das concorrências, a corrupção entra como um valor incidente qualquer, ao lado de despesas com pessoal, equipamento e operação. Com a expectativa de sua redução, Moro entende que, a longo prazo, o Brasil “será mais competitivo e os custos dos contratos baixarão”.



Capacidade e qualidade vendidas a propina

Data: 14/02/2017
19:10:29

A posição parece uma resposta ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), que critica o tratamento dado às empreiteiras do petrolão, entre elas Odebrecht, OAS, Camargo Correa, UTC e Andrade Gutierrez, que seriam portadoras, em todo o mundo, da excelência da “engenharia nacional”.

Requião reforça um discurso antigo, do princípio da operação, quando se pretendeu distinguir “pessoas” e “organizações” com o fim oculto de preservar patrimônio. As organizações são as pessoas que as fazem, como, no presente caso, as 77 que assinaram a delação premiada pela Odebrecht.

É descabida a defesa da capacidade técnica das empresas brasileiras, porque, conhecidos os métodos largamente usados na participação em concorrência públicas e viabilização de projetos, ficam necessariamente em xeque, pelo menos, a qualidade e os preços oferecidos por produtos e serviços.



Pensamento do dia

Data: 14/02/2017
19:09:04

Corruptos não se sentem mal em liberdade.



“Colégio” em breve fechará as portas

Data: 12/02/2017
10:08:20

O “colégio de líderes” inaugurado na Assembleia Legislativa tem o mesmo destino de outros do passado: a morte por inanição.

É uma ideia nobre e louvável, discutir previamente matérias em tramitação na Casa para que cheguem ao plenário prontas para aprovação.

Essa civilidade, porém, esbarra na necessidade de espaço da oposição. Mesmo atendida em suas emendas e brindada com relatorias, a bancada da minoria não vai querer dar a impressão de que não existe.

Projetos do governo, especialmente os mais sensíveis, serão tratados a discurso e obstrução. Para isso serão apresentadas as melhores emendas, que o governo não aceitará.

A polêmica virá à tona por muitas sessões, com a “imprensa escrita, falada e televisada” em cima, dando voz à discórdia. É disso que político gosta.



Máquina pronta para entrar em ação

Data: 12/02/2017
10:06:42

Na mesma linha, o líder da oposição, Leur Lomanto Junior, garante que não haverá mais aquela prática de apreciar as matérias em regime de urgência, sem debate nas comissões técnicas.

Essa é, também, uma discussão antiga. No tempo do carlismo era pior, porque a oposição não tinha espaço para nada, havendo biênio em que ficou até sem a representação proporcional na Mesa.

Os governos do PT até que deram vez aos adversários, com pequenas migalhas de participação, mas todos os governos são, em geral, exatamente iguais, aprovando, a toque de caixa, com rolo compressor, projetos cujos conteúdos os próprios deputados desconhecem.



Salvo melhor juízo

Data: 12/02/2017
10:05:21

Vale ressaltar que tudo isso vai depender de como se definirá a correlação de forças na Assembleia até o fim da legislatura.

Caso se confirme o que é suspeita nos bastidores políticos, é possível que o governo Rui Cosrta termine em minoria.



Bico seco

Data: 12/02/2017
10:04:37

O aniversário do PT pela primeira vez passou sem festa. Mas não foi por vergonha, foi por falta de dinheiro.

O presidente Rui Falcão protestou contra os correligionários: “Chega de fazer militância pela internet”.

Ele vive o sonho de "ações diretas de mobilização", sem que se saiba de onde provém exatamente tanta esperança.



BLAGUE NO BLOG – Corretagem explosiva

Data: 12/02/2017
10:03:45

Secretário de Redação “emérito” de A Tarde, Chico Ribeiro Neto relembrava ontem com colegas daquele tempo histórias engraçadas que vivemos.

Como no dia em que alguém passou um trote informando a existência de uma bomba, o que deixou todos muito assustados.

Por coincidência, apareceu num dos corredores uma volumosa pasta – e não houve dúvida de que ali estava o petardo.

Foi uma missão para o coronel Nelton, chefe da segurança, que promoveu toda a encenação, com isolamento da área e convocação de peritos para o eventual desmonte.

Nisso apareceu o dono da pasta, um corretor de publicidade do jornal, que a havia esquecido. Com a paz dos inocentes, abriu a dita cuja e foi embora, conferindo seus talões e faturas.



Gato escaldado

Data: 12/02/2017
10:02:10

Esteja ou não em curso um plano do prefeito ACM Neto para incorporar o ex-deputado Marcos Medrado a seu grupo, impedindo-o de assumir mandato na Câmara dos Deputados, já deu errado.

Medrado é desses que não se dispõem a apanhar duas vezes. Vice-prefeito de Antonio Imbassahy nos dois mandatos, tendo sido, inclusive, decisivo para a vitória no primeiro turno em 1996, foi jogado para cima pelo falecido senador ACM na pretensão de ser o candidato em 2004.

Hoje bem aconchegado ao petismo, com bons cargos para si e para o filho, além de uma suplência de deputado estratégica, que o leva a assistir de camarote ao desenrolar da cena política municipal, não quer correr o risco de novo, mesmo à distância de duas gerações.



Como na velha TV Itapoan

Data: 12/02/2017
10:00:45

Pelo visto, o Senado vai reeditar a Sabatina da Alegria.



As amizades são sólidas, mas a traição existe

Data: 10/02/2017
18:53:38

Quando o experiente deputado Marcelo Nilo se diz traído por deputados que vão de Roberto Carlos a Nelson Leal, companheiros de dez anos, sem contar outras defecções fisiológico-partidárias, como Janio Natal e PCdoB, já se vê que traição é oxigênio no meio político.

Portanto, o quadro neste ano e meio até o fervor da sucessão estadual está absolutamente indefinido, apesar das juras de amor ao governador Rui Costa feitas pelo senador Otto Alencar e pelo vice-governador João Leão na cerimônia em que este foi agraciado com medalha na Assembleia Legislativa.

O senador botou panos quentes quanto às relações de Leão com Rui: “Quero dizer ao governador Rui Costa que eu fiquei muito feliz em ver o seu vice-governador com essa lealdade, essa franqueza, essa colaboração”. Lembrou que também foi vice e brincou: “Vice manda muito, o problema é ninguém obedece”.

Leão correspondeu ao caráter festivo do evento. “Eu tenho hoje por Rui Costa uma amizade muito grande”, destacando o êxito do governo, que “não vive as dificuldades que vemos em outros Estados”. Convidou os presentes a ficarem de pé e depois darem “uma salva de palmas a um cara retado, o governador Rui Costa”.

O senador Roberto Muniz foi um pouco mais explícito sobre o clima que tem rondado a aliança governamental. Assegurou que “Leão é um homem que não conspira para o mal” e que, em mais de 20 anos de convivência pessoal e política, jamais foi chamado pelo vice-governador “para fazer o mal contra ninguém”.



A voz do povo

Data: 10/02/2017
18:52:01

O presidente Temer tem prazo até hoje para explicar ao ministro Celso de Mello, do STF, por que criou um ministério para Moreira Franco.

Poderia dizer, como na solenidade de posse: “Todo mundo já chama o Moreira de ministro”.



As letras são outras

Data: 10/02/2017
18:51:21

“Foram emendas genéricas. Não fiz para beneficiar a, b ou c”, diz Rodrigo Maia, acusado de receber propina para patrocinar emendas legislativas em favor de conhecida empreiteira.

De fato, foi para beneficiar o, a e s.



A quadrilha contra-ataca

Data: 09/02/2017
18:27:28

As gravações de Sérgio Machado, reveladas há nove meses, não deixam dúvida quanto ao objetivo de Romero Jucá e cúmplices de derrubar a presidente Dilma Rousseff para “botar lá o Michel” e segurar a Lava-Jato.

A subida de Temer não chegou a barrar os passos da operação jurídico-policial, embora muitos percalços lhe tenham sido criados, até emenda constitucional de clara ameaça ao Judiciário e ao Ministério Público.

Entretanto, enriquecidos pela manipulação da institucionalidade e pelo dinheiro da corrupção, marginais da República vão montando suas barricadas na guerra franca e aberta que travam contra a lei e a democracia.

Por isso, quando Renan Calheiros, José Sarney e o mesmo Jucá são acusados de formação de quadrilha pelo procurador Rodrigo Janot, é reação normal da súcia defender-se com as armas disponíveis.

Coloca-se o implicadíssimo Edison Lobão à frente da Comissão de Constituição e Justiça, que “sabatinará”, com sua penca de investigados, o candidato de Temer ao Supremo Tribunal Federal, que provavelmente o julgará.

Ante o protesto amplo, apesar dos também muitos defensores, é exatamente o virtual presidiário Jucá quem sai a declarar que “não é demérito ser investigado, demérito é ser condenado”.

Os bandidos resistem em aguerrida solidariedade. Nomes seus foram designados para as presidências do Senado e da Câmara. Na liderança do PMDB, Renan simboliza o atrevimento da coligação criminosa.



É de outro

Data: 09/02/2017
18:25:11

Alexandre de Moraes tem um jeito fácil de explicar sua posição contrária, em tese acadêmica, à nomeação para o Supremo de ministro do presidente em exercício: basta dizer que plagiou essa parte.



Reação no Planalto

Data: 09/02/2017
18:24:18

Governo critica vazamento do plágio de Alexandre de Moraes.




Página Anterior   Próxima Página